12 de dezembro de 2008

2008...




Desde o meu último e bastante confuso post a minha vida deu uma volta tremenda...não só porque casei e porque atingi a barreira dos 30, mas porque, na semana antes do casamento consegui despedir-me do meu emprego e começar um novo, a minha casa foi assaltada enquanto eu profundamente dormia, ganhando assim um trauma, descobri coisas que queria e muitas coisas que preferia que não tivessem acontecido com quem está mais próximo de mim, descobri ainda, em resultado de uma biopsia, que tinha que ser operada e conheci a república dominicana e a serra nevada (isto já depois de casada). Tive a minha despedida de solteira - muito calminha por sinal, mas na qual ganhei prendas muito úteis e extremamente apreciadas lá em casa. Casei, usei um vestido de noiva (essa tortura por descobrir), consegui estar na minha própria festa de casamento e não beber nem um copo (sabe-se lá que figuras poderia fazer e cair com um vestido de noiva não deve ser bonito de se ver) não chorei nem estava nervosa. Descobri um novo autor maravilhoso, cujo livro devorei: Carlos Ruiz Zafon e a sua "Sombra do Vento", passei a dizer marido, em vez de namorado (embora me engane muitas vezes)...ufa...uma azáfama, que tornou este ano, prestes a terminar, um dos mais importantes da minha vida, por tudo o que representa, pelas mudanças que trouxe e pela aprendizagem.

De quê? :D bem, em primeiro, se voltasse atrás escolheria outro vestido de noiva, um mais prático
e que me permitisse comer sem ter a sensação de que estava a inchar que nem um balão, segundo, descobri que em momentos difíceis as pessoas conseguem revelar, muitas vezes, o pior de si; em terceiro, que sou boa naquilo que faço, no meu trabalho e que consegui fazer a diferença na vida de algumas pessoas (e que sabor de gratificação que isso traz); aprendi ainda a nunca mais deixar as janelas destrancadas; mais - o "tudo incluído" não é tudoooo incluído mesmo, mas vale bem a pena; que Espanha tem sítios bonitos por descobrir - amei Granada, da qual destaco a zona de Alhambra, imbuída de história e repleta de gatos simpáticos.. Que a força dos 30 existe mesmo e que é uma época maravilhosa na vida de uma mulher (ou, pelo menos, assim quero crer).enfim...e o mais importante, que quanto mais esperamos de uma pessoa, maior pode ser a desilusão. A força do amor tem um poder tremendo, mas será implacável? A ver vamos...talvez o segredo esteja em não querermos demais e apenas recebermos aquilo que a vida nos dá...

3 comentários:

  1. Simplesmente genial... amiga!!! Já tinha saudades das tuas palavras....sábias... ainda outro dia estive a ouvir uma canção que fizemos e tocámos juntas... e pasme-se... uma foto que tirámos juntas no teu casamento é muito muito parecida com uma que tirámos em 1998, eu ia levar-te no Domingo para tu veres..... eheheheh

    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  2. :D será que isso significa que os últimos 10 anos não passaram por nós? ;)

    ResponderEliminar
  3. Bom, sei que este post já tem uns anos mas, infelizmente, apenas hoje descobri o teu blog pelo que estou a conhecê-lo, aos poucos.

    O que quero dizer-te é que este post, em particular, é talvez um dos melhores que já li até hoje. Adorei.

    Um beijinho

    Raquel L

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins