14 de janeiro de 2009

Addiction

Estou com um problema, uma addiction: estou viciada no SIMS...
Pois é, já há muito que ouvia falar no Sims e na forma como vicia as pessoas, mas nunca pensei que pudesse ser atacada por este vício (nem sequer o compreendia). Recentemente fizemos o download (será que posso referir isto na net) do mesmo no nosso portátil e, uma noite desta semana, lá me decidi explorar, pouco certa de achar alguma piada ao mesmo (não sou grande adepta de jogos, PSP, etc) - mas fiz o esforço porque ele há muito que tenta aliciar-me para estas coisas. Mal sabia eu no que me ia meter. Depois de criar algumas personagens (uma delas a Bê, pois claro) e de, numa só noite (real) ter conseguido mobilar uma casa, arranjar um emprego, socializar (a minha personagem tem, de facto, uma vida social muitooooo mais activa do que eu, mas também não dorme tantas horas quanto eu), fazer triqui trique (quem joga sims sabe do que estou a falar, quem não joga, é fácil imaginar - ainda tentei fazer bebés, mas não deu), dar beijinhos, discutir e ficar desempregada (parece que não gostei do meu trabalho como recruta e fiz alguma coisa mal - pois claro, a levantar-me todos os dias às 6h, não podia correr bem).
Depois disto já muita coisa aconteceu. Criei várias personagens e assim o meu bairro está cheio de bonequinhos engraçados e bem vestidos (sim, que há lá uns muito mal vestidos, bimbos mesmo). E pronto, agora tenho que assegurar que a minha personagem esteja feliz e, para isso, é necessário assegurar algumas coisas básicas do seu dia-a-dia: que coma, faça xixi, tome banho, socialize, namore, se divirta, durma, que mantenha o ambiente à sua volta cuidado e limpo, que dê festas, pague as contas (já fui penhorada duas vezes porque me esqueci deste pormenor) e consiga fazer amigos. E ainda há que evitar os seus medos, que podem ser tão variados ou disparatados, como alguém recusar triqui triqui comigo ou engordar (gosto deste, tão real e que me obriga a por a minha bê a treinar que nem uma louca). O divertimento, depende de cada personagem (conjugando o seu signo, com as suas aspirações e desejos): pode ser a leitura, pintura, jogar, ver as estrelas, cozinhar ou simplestemente ver televisão. Ora o grande problema é que temos que assegurar os seus níveis altos em todos estes aspectos e isso é que ainda não domino: está a fazer xixi e o telefone toca, ou está a dormir e é assaltada, ou tem que namoriscar com alguém e ele não quer... no meio disto tudo eu, Bê, esqueço-me de comer, de ir à casa de banho, de me arranjar, de namorar e de dormir (não me esqueci de tomar banho!). Ora aí está o efeito perverso da coisa! E ele, que tanto queria que eu me rendesse, deixou de ter espaço para jogar ao seu Footbal Manager.
Conclusão das conlcusões: nem em atrevo a experimentar o second life!

6 comentários:

  1. E quem é que põe a roupa a lavar, faz o jantar... o camelo?!

    ResponderEliminar
  2. É viciante sim. Também já passei pelo mesmo. O entusiasmo inicial acaba por passar.

    ResponderEliminar
  3. O camelo cozinha muitooooo bem, felizmente. Quanto à roupa...quando é que isso aconteceu?

    ResponderEliminar
  4. Blue A. espero que passe senão o que será de mim? :|

    ResponderEliminar
  5. Olá. Vim aqui parar sem querer e acabei por deitar um olho. deixa-me que te diga que tens piada miúda.
    Vou voltar

    Botaabaixo

    ResponderEliminar
  6. é que deve ser o único blog de gaja que não fala só de batons e coscuvilhices e consegue ser engraçada, sem pretensões disso.

    boataabaixo

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins