12 de março de 2009

Ainda a trabalhar

Se não me pagam mais, não vou receber nenhum aumento, prémio ou louvor, se o P. já está deitadinho, quentinho e confortável, porque é que eu ainda estou na sala, com o portátil ligado, a trabalhar a estas horas?? Porque sou parva, pois claro!
Maldita noção de responsabilidade e cumprimento que me faz ficar acordada até tarde nos dois últimos dias e ainda sonho com trabalho, isto quando adormeço - porque entre o deitar e adormecer há ainda uma longa espera que implica pensar em todas as coisas importantes para fazer no dia seguinte: contactos, marcação de entrevistas, entrevistar pessoas que sei que serão complicadas (casos de exclusão social ou em risco), fazer relatórios, novos materiais de avaliação de perfis...and so on...Os dias de 10/12h de trabalho são curtos para tanta coisa que quero fazer.
E hoje não me sai do pensamento uma pessoa que entrevistei, uma das mais recentes desempregadas deste nosso país, depois de 16 anos de dedicação a um estabelecimento, cujo desespero se sentia no olhar, na voz e, por fim, nas lágrimas. Apetecia-me quebrar as regras e dar-lhe a mão...restou-me dizer coisas como "vai ver que a situação vai acabar por melhorar"; "este curso vai ser importante para melhorar o seu curriculum"; "tem que ter força e não desistir" - quando eu própria não sei se acredito que uma senhora de 51 anos e com a 4.ª classe alguma vez voltará a ter hipóteses de empregabilidade - e não é por falta de competências dela, mas por falta de vontade das entidades patronais...Outro senhor que entrevistei há tempos contou-me hoje como, numa entrevista para emprego, o entrevistador lhe disse que estava muito velho para procurar emprego - tinha menos de 50 anos! Se é velho como vai comer? Viver?
...E em vez de estar a trabalhar estou aqui a desabafar para o pc...estas e muitas outras histórias tocam-me todos os dias - já trabalho nesta área há algum tempo, mas ainda não ganhei a capa, não me consigo distanciar...este trabalho permite-me acompanhar a dura realidade em que está o nosso país ao vivo e em directo todos os dias, no meu gabinete. Mas uma coisa é certa - aprendo todos os dias a dar valor ao que tenho.

12 comentários:

  1. :( custa tanto... join the group.

    Beijinhos e força. Mesmo que não consigas mudar o mundo, oferece teu sorriso sempre, melhora o astral de quem vê um sorriso... sempre.

    *

    ResponderEliminar
  2. Cada vez mais vivemos numa sociedade que apenas previligia os jovens, apenas vai pela aparência. É desesperante para uma pessoa dessas idades ninguém olhar à experiência de vida. Porque há 4ªs classes que valem mais que muitos cursos superiores...

    ResponderEliminar
  3. é muito importante dar-mos valor ao que temos e estimar-mos as coisas.

    CONVIDO TODA A GENTE A PASSAR PELO MEU BLOGUE

    bjs

    ResponderEliminar
  4. Obrigada a todas pelas palavras...De facto já percebi que não posso mudar o mundo, mas às vezes ainda acredito que posso fazer a diferença no mundo de algumas pessoas... :)

    ResponderEliminar
  5. Haveria tanto para dizer... Estas situações tocam-me particularmente. E dói.
    Há tanta gente incapaz, de fato e gravata, que se auto-denominam doutores, para quem trabalho é sinónimo de emprego, que levaram este país à beira do precipício... E são as pessoas simples - afinal a principal força motora deste burgo - a sofrer. É revoltante...
    Tenho o maior orgulho na minha mãe, que tem apenas a dita 4ª classe, e considero-a muito mais sábia perante a vida do que muita gente com a qual me relaciono todos os dias: inteligência é também sensibilidade.
    Parabéns Bê, pelo texto. E é bom que sejam divulgadas mais situações destas: este país ou anda a dormir, ou está hipnotizado.

    ResponderEliminar
  6. realmente não deve ser fácil! esta sociedade é uma selva! infelizmente!

    ResponderEliminar
  7. Do que percebi, tu fazes a selecção, eu depois dou-lhes formação. 150 horas de matemática para a vida. Que vida? maior parte deles de facto não torna a arranjar emprego...

    ResponderEliminar
  8. Pois... o que é que podemos fazer? =/

    ResponderEliminar
  9. Podemos estar atentos...podemos valorizar estas pessoas, que não têm um canudo mas têm muita epxeriênica de vida e que aprendem muito nos mais variados contextos. Para mim não há nada mais gratificante do que alguém vir ter comigo e dizer"obrigado por ter acreditado em mim. A minha vida mudou quando pensava já não ser possível" - infelizmente isto não acontece com todos os casos, mas se pudermos ajudar alguns, já fazemos a diferença.
    Maria: tenho conhecido pessoas super interessantes, inteligentes, cultas e cheias de experiências de vida com a 4.ª classe :) - e o que eu aprendo com elas...

    ResponderEliminar
  10. Porque acho que toda a gente deveria passar pelo teu lugar, aprendiam muito nesta vida.
    Acima de tudo a olhar a vida de forma diferente e a dar graças ao que teem, por muito pouco que possa parecer.

    Por isso, amiga, dá graças por poderes ter esse emprego, certamente és Grande de coração ;)

    Beijo

    ResponderEliminar
  11. Imagino o que sentes... nem sei o que dizer, mas posso garantir que num momento de agonia, uma palavra amiga faz toda a diferença!!!


    :-)

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins