25 de agosto de 2009

Muito mais do que um número

Há um ano atrás, por esta altura, andava mais do que preocupada, receosa e a matutar na proximidade do dia em que iria fazer 30 anos. Para mim e penso que para muitas mulheres, é um marco especial, não pela entrada em si, mas pela saída, a saída dos 20. Lembro-me de pensar que passei toda a minha infância a ansiar pela adolescência, a adolescência a ansiar pela idade adulta e na idade adulta a ansiar poder parar no tempo. Com a proximidade dos 30 só queria poder voltar para trás e o factor que mais me incomodava é que agora a meta que gostaria de atingir, já não era possível. Agora, perto de fazer os 31 penso "E depois?" - não me faz a mínima diferença mais um aniversário - venham as prendas, o bolo e o möet chandon, venha a festa e os cartões de aniversário, venham os 31, os 32 e por aí diante. Venham muitos mais. Porque se há algo que aprendi, é que nós somos muito mais do que um número, somos muito mais do que uma cara bonita, um corpo magro ou umas maminhas jeitosas e um rabinho no lugar. Há inconvenientes que vêm com a idade, mas também há tanta coisa boa, como o prazer da experiência, do conhecimento aplicado à vida, há o saber viver, sabendo o que se quer e o que não se quer. Há o facto de gostar muito mais de mim hoje, com quase 31 anos, do que quando tinha 18. E de saber tirar melhor proveito da mulher que sou hoje, do que da jovem que fui em tempos.
Claro que, entre os inconvenientes, temos as rugas, cada uma com a sua história, as gordurinhas que se instalam com mais teimosia, os cabelinhos brancos que começam a espreitar, mas eu acho que as compensações são muito maiores e, sem dúvida melhores, do que estes pequenos inconvenientes, facilmente eliminados com os mais básicos truques de beleza...E, como eu costumo dizer, afinal só tenho 30 anos. Ainda tenho tanto para viver e aprender...
PS: Não, não é hoje que faço anos. Ainda faltam uns dias. Prometo avisar!;)

37 comentários:

  1. e eu que estou quase nos 29 e gostava que o tempo parasse por aqui!!! mas tens razao qd dizes que se aproveita melhor a vida com esta idade...o que é bom tem mais valor e relativiza-se o que é mau!!!

    beijocas gordas

    ResponderEliminar
  2. tb fiz 31 este ano!
    somos ambas de 78 deve ser uma boa colheita não achas?

    temos de aproveitar a vida independentemente dos anos, pois como tu dizes e bem não somos apenas um numero, uma carinha laroca ...

    Somos únicas!

    Bjs e no dia dos teus anos cá estarei para te dar uma beijoca!!!!

    Ah e eu nunca festejo muito os aniversários coisas do passado! Mas adoro os aniversários dos outros!!!!

    ResponderEliminar
  3. completamente querida Bê. a idade está na nossa cabeça e na forma como a encaramos, sejam 20 ou 30 ou 40 anos :) e tu és linda, pelas tuas fotos nao tens do que te queixar :) really.

    beijinho

    ResponderEliminar
  4. Lia, todas as idades têm o seu gostinho especial. Aproveita-as bem!
    *******************************

    Chocolate: A colheita de 78 é das melhores ;)
    Eu depois partilho o dia!

    ResponderEliminar
  5. Hermione: agora fiquei sem palavras :)
    Obirgada querida!

    ResponderEliminar
  6. Cabelos brancos pintam-se... Gordurinhas persistentes com a idade têm o seu quê de fofo... E rugas...se rirmos muito ficarão no lugar certo:D Venham muitos mais anos!:)

    ResponderEliminar
  7. Nem mais *BÊ* zinha, á que aproveitar todos os dias da nossa vida, tenhamos a idade que tivermos.
    Na adolescência, ânsiamos pela juventude, para podermos sair com os amigos e termos mais liberdade, quando chegamos a adolescentes, queremos rapidamente ser adultos e quando chegamos aos trinta, lembramo-nos do que fazíamos e queríamos quando éramos mais novos.

    Muitas vezes dou para mim a pensar como o tempo passou tão depressa e já estou nos 42 anos. Mas por nada trocava a sabedoria, a quietude, a disponibilidade e as alegrias com que encaro os meus dias (que passam tão, mas tão depressa).

    E estou como tu dizes, as rugas são marcas daquilo que vivemos e devem ser encaradas como parte da vida (como quando nos tornamos mulheres), por isso venham as rugas, venham os cabelos brancos, as gordurinhas que são danadas para sairem do sítio, porque é sinal que vamos vivendo.

    *BÊ*ijinhos

    ResponderEliminar
  8. Grande texto, Bê!

    Eu já estou mais perto dos 30 do que dos 25 e, honestamente, nem perco tempo a pensar nisso. Talvez daqui a uns anitos, pare para pensar, mas eu quero é viver e ser feliz!

    =)

    ResponderEliminar
  9. Adek - nem mais!


    Rotax - tens tanta razão no que escreves. E o tempo passa cada vez mais depressa sim, por isso, a vontade de o agarrar e viver bem é cada vez maior!
    Em relação à idade, uma das minhas melhores amigas tem 43 anos e é das mulheres mais bonitas que conheço. Linda que só ela!

    *B* - cada idade tem o seu encanto, há é que saber tirar proveito disso! Beijnhos querida!

    ResponderEliminar
  10. E tás uma jovem, cada vez mais me convenço que a idade é um número e o que sentimos é bem diferente. Eu cá sinto-me uma garota com 24 e espero senti-me uma jovem aos 94!

    ResponderEliminar
  11. Sandy - é isso mesmo e o que sentimos é o que transparecemos ;)

    ResponderEliminar
  12. Olá Bê
    Pois eu vou fazer 35 e adoro ter esta idade,sou hoje uma mulher muito mais madura e realizada do que á dez anos atrás,já tenho umas ruguinhas de expressão e umas gordurinhas,(cabelos brancos ainda não:) )o corpinho danone já foi,mas o que importa isso??por dentro estou muito mais decidida,forte,inteligente e feliz...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Eu tenho 36 e digo-te não gostava de voltar a ter 16!!!

    Um grande dia de anos Bê, um beijo!!!

    ResponderEliminar
  14. Atenção que ainda não faço anos! Está só a aproximar-se o dia ;)

    Rute - tal e qual. eu também me sinto mais feliz, melhor e mais confiante hoje do que quando tinha 18 ou 20 anos. É a delícia de se ser mais velho!

    Este blogue - eu também não queria ter essa idade. Deus malivre! Tanta coisa boa que sei agora.

    ResponderEliminar
  15. a colheita de '78 é realmente fenomenal!
    eu lembro-me de ter os meus 18 anos e achar que 30 era tipo "idade da reforma" lol
    com o aproximar da data apercebi-me que é uma idade fantástica quando nos sentimos bem com a vida, com o nosso corpo, com o entendimento que temos dos outros.
    fiz uma grande festa no ano passado e estava também eu GRANDE... com a minha filhota na barriga. acho que pouco haverá a desejar.
    uma vida feliz Bê
    beijos

    ResponderEliminar
  16. ok... li agora no teu comment que ainda não é o dia... ups
    mas desejo-te na mesma uma vida feliz. lol;)

    ResponderEliminar
  17. Art.soul - mais uma da magnífica colheita! Uma vida feliz também para ti!

    ResponderEliminar
  18. Olha que a colheita de 79 também não é nada má. Tem um saborzinho a casca de carvalho e amoras silvestres. Nunca provei a de 78 mas sobre a de 77 posso opinar. É muito boa e, como tal, a de 78 também o deve ser :)
    Gostei de entrar nos 30 mas irrita-me as “obrigações” que impõem. Entrar nos 30 é, aos olhos de muitos parolos (são quase sempre familiares invejosos), sinónimo de abandonar a vida dos “vintes”. Quem não tem carreira é um fiasco. Quem não tem um relacionamento é um encalhado(a). Quem se recusa a abandonar os “vintes” é irresponsável. É criança. Grande estupidez! Não é?
    Para mim é como dizes. Simplesmente um número. Tenho 30 mas recuso-me a abandonar os “vintes”.
    Não me preocupam os números. A rugas que vierem são bem-vindas. São alegrias e tristezas. São a minha vida. Os pneus, não gosto muito deles mas não vou perder as horas de petiscadas num ginásio.
    Venham de lá estes “trintas”, “quarentas” e “cinquentas”…. Enquanto tiver os “vintes” na cabeça, não me ralo.
    Go, go… 31 :)

    ResponderEliminar
  19. Como nunca comemoro o meu aniversário fazer 30 foi mais um dia, como foi fazer 31, e foi fazer 32... gosto de mim a cada dia que passa, não escolho um só dia para celebrar esse facto :)

    beijinhoss

    ResponderEliminar
  20. como se costuma dizer: 30's are the new 20's

    um beijao grande!!

    ResponderEliminar
  21. Olha eu sou daquelas que não se importam com a idade que têm no momento mas a idade a longo prazo assusta-me. Mas não são os 30 nem os 40 e nem sequer os 50 mas a partir daí... a velhice e o perder faculdades mete-me um medo danado.

    ResponderEliminar
  22. Este ano ando a pensar muito nisso...tenho 29 e ponho-me a pensar se não me vai dar uma crise qualquer nos 30 :)
    Mas sinto-me muito bem com a idade que tenho e diz quem me conhece que pareço uma miúda. De aparência, certo? lol
    Bjinhos pra ti querida Bê!

    ResponderEliminar
  23. Eu fiz 29 este mes,e lembro me que este ano passou a voar, ou seja daki a nada estou nos 30... e tudo me assusta imenso... Mas pronto, vamos desvalorizar os números e aproveitar o que temos por viver intensamente!
    beijinhos :)

    ResponderEliminar
  24. Eu que me aproximo dos 30 penso o mesmo... mas não me importava nada que o tempo para-se!

    :-)

    ResponderEliminar
  25. Eu sabia Bê! Tu só podias ser da colheita de 78! Mas cada vez me convenço mais que foi mesmo uma das melhores! :D

    ResponderEliminar
  26. Querida Bê, eu ainda só vou a a caminhos dos 25 aninhos, mas ultimamente tenho dado por mim a pensar no envelhcer... Ainda um dia destes tava a conversa com uma amiga e disse que tinha medo de chegar aos 30!! E na realidade tenho medo... Não propriamente dos 30, mas sim de envelhecer... De não saber como é!! Mas também sei que vou ter coisas positivas... Vamos ver!! Queria parar entre os 25 e os 30, mas sei que não posso!! Entretanto, vou dando um passinho de cada vez, aindo com bastante medo e ver o que vou encontrando por aí!! 8)

    Bjinho*

    ResponderEliminar
  27. Eu costumo dizer que vou adorar ter 30 anos!
    O importante nunca é a idade, mas sim a forma como encaramos isso e como vivemos.
    Se tudo está bem, e se soubermos ser felizes, será um prazer sentir os anos a passar e ver que nada nos está a passar ao lado.

    (adorei o teu blog. :) )

    ResponderEliminar
  28. Esta contagem não há como fazê-la parar, portanto, a única saída que temos é aprender a lidar com ela. Eu também tenho 30 anos e, muito sinceramente, o meu espírito permanece adolescente (mas responsável) e isso é que é importante. Como se costuma dizer, "velhos são os trapos". E nós não somos trapos. :)

    Beijinhos,
    Nuno.

    ResponderEliminar
  29. A idade é um estado de espírito... eu sempre disse, mas às vezes é um estado um bocadinho deprimente! LOL Nada de grave! Também concordo que a idade traz muita coisa boa e não gostava de ter menos da idade e sabedoria que tenho hoje, por isso, se para ter que ter mais sabedoria, tenha também que ter mais idade... venha ela! :)

    ResponderEliminar
  30. olá , tenho uma prendinha para ti no meu blog :-)
    beijinhos.
    Have a nice day.

    ResponderEliminar
  31. Olá!
    As mulheres Balzaquianas, são do melhor:=)
    Honoré de Balzac lá sabia porquê....

    Beijocas

    ResponderEliminar
  32. Posso subscrever tudo, tudo, tudo o que escreveste?! Posso?! Bebi cada palavra que escreveste e revi-me em cada uma delas. Tenho 28... e eu também digo que me sinto muito melhor agora do que aos 18. Gosto muito mais de mim, sou mais segura de mim...
    Eu acho que somos como o Vinho do Porto: quanto mais velhas melhor!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  33. Bem eu este ano vou começar a caminhar para os trinta! Faço 26 e confesso que estou algo ansiosa... nem sei muito bem explicar!
    Mas confesso que à medida que idade passa gosto mais de mim, aceito-me melhor, dou-me melhor comigo mesmo (se é que me faço entender!)


    * beijocas

    ResponderEliminar
  34. Digo-te, eu só tenho 22 e já quero que o tempo páre, imagino quando tiver 31!... Ahah :)

    ResponderEliminar
  35. Eu estou quase SÓ nos 22 e já penso assim =$

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins