12 de maio de 2010

Sem falsas modéstias

Sou uma excelente condutora. Sem falsas modéstias, que eu não sou dessas coisas. Mas é que sou mesmo boa: estupidamente ágil, confiante, segura e atrevida q.b, sem ser em demasia, que isto do excesso de confiança é normalmente fatal para um condutor. Sou tão boa que qualquer homem da família me passa, sem pensar duas vezes o seu bólide para as mãos (e todos sabemos o quanto os homens amam os seus carros). Até mesmo o meu irmão, que é do mais mariquinhas que há com o seu. Ou o meu pai, com o seu luzente e maravilhoso carro (mais confortável que o meu sofá) - e se não percebem a importância da coisa, deixem que vos diga que não o faz com o meu irmão, mais velho do que eu. Sou tão boa, mas tão boa, que em 13 anos de carta e muitos, mas mesmos km de rodagem (e durante anos, muitas viagens por esse país fora, em trabalho, no carro do P - bem mais rápido do que o meu), nunca bati, nunca tive um acidente e as únicas multas até ao momento foram de velocidade (coisa de homem! - mas só em situações seguras, como estar sozinha na auto-estrada às tantas da manhã) e de estacionamento (coisa de quem gosta de arriscar o tudo por tudo, ou que está aflitinha para ir para o trabalho e não tem alternativa senão estacionar no primeiro buraco que encontra). E conduzo carros novos e velhos, com ou sem direcção assistida, com ou sem mudanças automáticas. Além disso, os únicos riscos que o meu carro tem, foram provocados por outros - sendo aquilo a que chamo "riscos da maldade". Com 8 anos de vida, estava pronto para mais uns quantos (palavras do mecânico), não fosse ter sido vendido no mês passado (snif...).

É por isso, homens deste país e arredores, que odeio, mas é que odeio mesmo, ser avaliada nesta tarefa, apenas por ser mulher. Odeio que me vejam numa rotunda e se metam à minha frente, só porque vêm que sou mulher, odeio que me mandem com o dedo, de cada vez que vocês próprios fazem asneiras do pior, odeio as piadinhas e as graçolas e os lugares-comuns em relação a este tema. Odeio que não respeitam as minhas prioridades, porque pensam que estou toda baralhada das ideias. Odeio que pensem que me pinto e penteio e falo ao telefone e aperto os sapatos, enquanto conduzo e envio sms (embora não tenha dúvidas de que o consigo fazer, que isto da multiplicidade de tarefas é coisa exclusivamente feminina). Odeio que baixe em vocês o síndroma da inferioridade (e da pilinha pequenina- tenho cá para mim) de cada vez que vos ultrapasso e que tenham a necessidade de me ultrapassar logo de seguida aos ziguezagues, provocando o caos e com a segunda metida, para se fazerem notar. E porque odeio e recuso as catalogações e generalizações e, na generalidade dos temas, esta é das que mais me tira do sério. Porque nos dias que correm, considerar que uma mulher é má condutora, só por ser mulher, é como não acreditar que um homem possa ser um excelente cozinheiro, só por ser homem. Vá, chega de ideias pré-concebidas, da idade da pedra. Porque mulheres más condutoras há aos magotes, mas os homens maus condutores ultrapassam-nos em número e em estupidez. Têm dúvidas?

11 comentários:

  1. toda a razão. eu sei que não sou grande condutora (mas também nunca bati), mas também tenho amigos que não o são.
    Não acho que seja, de todo, uma questão de género!

    ResponderEliminar
  2. Só conduzo há 3 meses mas acho que tenho tudo para ser uma boa condutora. Calma, segura e cautelosa.

    ResponderEliminar
  3. Não tenho a menor dúvida!! Sejam homens ou mulheres há os bons e os maus em todo o lado. MAs nunca percebi porque não há mulheres condutoras na formula 1 ...

    ResponderEliminar
  4. Oh querida, admiro-te ainda mais. A sério. Quem me dera ser assim. Sou uma nulidade a conduzir.. Mas tenho bem noção disso, não me ofendo nada.

    ResponderEliminar
  5. Bem dito!!!! Preconceitos é do pior que há, e esse de "Mulher é má condutora" é do pior... É que vê-se cada abécula do sexo masculino...*

    ResponderEliminar
  6. Não sei como, mas roubaste-me o post.
    Isto estava aqui bem gravadinho na minha cabeça, pronto a ser exteriorizado...
    Deve ser telepatia...

    ResponderEliminar
  7. Concordo, eu posso não ser a melhor condutora do mundo, mas já vi homens muito piores que eu.

    ResponderEliminar
  8. Ah, ah, ah! Boa Bê, é assim mesmo. Preconceito machista é do que mais há por esse alcatrão fora. "Dá-lhes" ;-)

    ResponderEliminar
  9. muito sinceramente acho as mulheres mais desenrrascadas que muitos e muitos homens ;D

    ResponderEliminar
  10. Para quem odeia generalizações, catalogar o pessoal da pilinha como tendo uma pequenina...

    Mais a sério, definitivamente os bons condutores não têm género, de acordo.
    Sem recurso a estatísticas, afirmaria que os diferentes géneros têm comportamentos muito distintos na estrada: mais facilmente uma mulher me dificulta a entrada num cruzamento, mais dificilmente um homem me deixa ultrapassar; mais facilmente uma mulher pára o carro onde não deve, mais facilmente um homem acelera para nada.
    Géneros à parte, diria que a grande maioria das cartas nunca deveriam ter sido atribuídas.

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins