6 de setembro de 2010

Diálogo entre pai e filha

Eu: Pai, este ano não festejo os meus anos porque...(aqui sou prontamente interrompida pelo meu pai).
Pai (com ar de pena compreensiva): Pois é, já chegaste àquela idade em que não queres contar os anos...
Eu (algures entre um estado atónito e a dúvida): Não!! Porque tenho um relatório para entregar na faculdade no dia seguinte e vou passar esse dia enclausurada, a trabalhar!
Agora digam-me, vou fazer 32 anos, é caso para me preocupar? É que receio que, tal como não consigo ver os quilos a mais quando me olho ao espelho, também não consiga ver razões para deixar de contar os anos. E depois do próprio pai dizer uma coisa destas, com tanta sinceridade, uma pessoa fica a modos que a pensar no assunto...

21 comentários:

  1. são só mais 2 do que eu, por isso acho que tens todos os motivos para celebrar a passagem dos anos...

    ResponderEliminar
  2. Eu acho que há sempre motivo para festejar enquanto cá estivermos! Enquanto nos aguentarmos neste mundo =) Acho que deves comemorar depois e nem que sopres uma velinha num queque no teu dia =)
    Aproveita o que a vida te da=)

    ResponderEliminar
  3. oh... festeja BÊ, festeja! nem que seja assim um bocadinho só com o pessoal a dar beijos e abraços e desejar felicidades sinceras. tão bom. e depois fazes noitada;)

    beijo

    ResponderEliminar
  4. Ahahaha, que pai tao animador.
    Felizmente so fazes 32 , imagina que ias fazer 38? Ja estavas com os pes para a cova:))
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. lol... Bê, isso é apenas o teu pai a tentar ter uma conversa de "gaja" contigo?!

    Quando os homens tentem fazê-lo sai asneira certa!

    Beijocas! LOL!

    ResponderEliminar
  6. oh B: eu não gosto do meu dia de anos! não é por ficar mais velha, porque nem parece a idade que tenho! sei la simplesmente não gosto! mas acho que pelo menos jantar fora com o teu P deves ir!

    ResponderEliminar
  7. upsssss
    O teu pai foi um querido!
    bjs

    ResponderEliminar
  8. Acho que quando consideramos cada dia um motivo de celebração, gostamos de celebrar tudo. Até os aniversários, quando tivermos 100 anos... Pq não os 32 também??:D Se não conseguires celebrar no dia certinho, adia:D Desde que passei a morar longe dos meus pais, muitas datas importantes têm que ser festejadas fora do dia, mas é mt giro na mesma:D

    ResponderEliminar
  9. Bê, com 32 anos, ainda estás a começar a viver :)
    E comemora sempre, nem que seja uma coisinha simbólica!

    ResponderEliminar
  10. OH... eu acho que ele apenas queria mostrar-se compreensivo e mostrar-te que não estavas sozinha no voar do tempo! Enganou-se, porque felizmente não estas nessa onda!


    * Beijocas

    ResponderEliminar
  11. Olá *BÊ*

    Eu já vou nos 43 e adoro festejar o meu aniversário. É sinal que estamos vivos, que respiramos, que temos oportunidade de continuar em frente e viver o que a vida nos tem de dar.
    O teu pai, estava apenas a desrelativizar, para que possas cumprir o teu objectivo que é acabares o teu curso, vais ver que quando isso acontecer, vai dizer-te para todos juntos comemorarem mais um aniversário.

    *BE*ijinhos da Carla e Rotax

    ResponderEliminar
  12. Ainda estás "verde" ainda faltam muitos anos para que percas a vontade de os contar :)
    Beijinhosss

    ResponderEliminar
  13. A resposta do teu pai foi a mais carinhosamente óbvia :).

    Os aniversários são apenas uma contagem de tempo, um dimensionamento da existência. Desde que os vivamos bem... É o que realmente interessa :).

    ;)

    ResponderEliminar
  14. Bêzinha estás (e és) magnifica!!!! Linda que dói! Mesmo mesmo!!

    :)

    Tens miminho no meu blog!

    ResponderEliminar
  15. Estamos quase a fazer anos, as duas :P

    ResponderEliminar
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  17. Querida Bê,

    Tenho 34 anos e posso dizer-te que desde os 30 anos que, para mim, a vida tem outro sabor. Tenho aprendido a saborear cada momento, mais e melhor!
    Aproveita a vida!
    Beijinho,
    P.

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins