14 de janeiro de 2011

Amar à distância

Hoje, em conversa com uma amiga e porque ela tem o namorado a trabalhar bem longe, ainda que por pouco tempo, lembrei-me do início da minha relação com o P. , um início marcado pela distância, porque pouco tempo depois de começarmos a namorar, ele foi para a Alemanha, por lhe ter surgido uma oportunidade única que eu, pasmem-se, perdida e completamente apaixonada, incentivei a aceitar. E mesmo na fase das saudades mais profundas, daquelas que apertam no peito, da solidão silenciosa, das noites longas e frias, nunca me arrependi de o ter feito.

Por isso, quando me perguntam se as relações funcionam à distância, eu sou a primeira a acreditar que sim. Quando são sólidas, profundas, sinceras e verdadeiras, têm tudo para resultar e podem até fortalecer-se ainda mais, quando milhares de km se impõem. E durante esses cinco longos meses (os mais longos da minha vida e que podiam ter sido mais, caso ele aguentasse as saudades - que não aguentou), sobrevivi a cartas de amor (as cartas mais lindas que alguma vez pensei receber), que funcionavam como oxigénio para mim. Em plena era tecnológica e com o msn e o telefone como aliados, o P. enviava-me cartas com frequência, que me alimentavam a alma e me aqueciam o coração. E eu respondia, como se dum diário se tratasse, contando-lhe como eram os meus dias, as minhas noites, o meu trabalho, as minhas dores, as minhas saudades.

Custou, muito. Doeu-nos aos dois. Era o início, o nosso início e não estávamos juntos. As ligações telefónicas nem sempre eram boas e as cartas por vezes perdiam-se. Mas o regresso recompensou cada minuto de ausência, cada lágrima teimosa e, quase 8 anos depois, estamos mais felizes do que nunca e juntos em cada momento. Por isso sim, eu acredito em relações à distância...quando os dois querem, os dois conseguem que resulte. Nós resultámos.

15 comentários:

  1. Acredito totalmente nisso... e acho que essas pequenas provações só reforçam os verdadeiros amores.

    ResponderEliminar
  2. Acredito que essas pequenas provações só servem para reforçar os verdadeiros amores.

    ResponderEliminar
  3. Que lindo Bê, também acredito que amar a distância da sim muito certo quando os dois querem! Minha relação também se iniciou-se atráves da distância, depois vou contar no blog minha relação com a distância, e uma amiga também está vivendo isso! Acredito sim na distância para fortalecer!

    http://flordelis02.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. É muito bonito o que contas e deve ter sido maravilhoso quando ele voltou :) Eu acho que depende muito das relações.. Há relações que não foram talhadas pra isso. Tive um namorado com quem estava todos os dias, desde há 3 anos e quando tivémos de nos separar (e não era propriamente Alemanha/Portugal, era Lisboa/Porto)... simplesmente não resultava assim.

    Já com o meu actual namorado, quando começamos, estávamos em cidades diferentes e corria tudo bem. Agora que estamos juntos é muito melhor, claro. Mas imagino-nos bem a sobreviver se continuassemos separados como estávamos.

    Bom fim-de-semana, querida *

    ResponderEliminar
  5. Acredito se forem meia duzia de meses, mais nao consigo.
    E muito bonito ver o vosso amor :))

    ResponderEliminar
  6. Eu tenho uma relação à distância há 5 anos e sei dar o valor. Dói mas o amor supera tudo e qd estamos juntos sabe sp tão bem! acredito que um dia, e ambos fazemos por isso,vamos poder estar todos os dias juntos a dividir a mesma casinha :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Estou completamentte de acordo, estive, um ano e meio longe do meu namorado, em diferentes paises e longe...mas como bem disseste quando a relação é sólida, existe amor (e claro algumas viagens low cost durante o ano ehehe) as coisas funcionam, porque chega a um ponto que as vidas convergem e agora vivemos juntos ha quase 2 anos, vivemos num pais neutral (nao é o meu, nem o dele, mas porque calhou)e nao podiamos estar mais felizes :D houve tempo que achava que relaçoes ha distancia nao funcionavam...até que num conto de fadas (que à que acreditar nesta vida, que so a realidade é mto chata hehe) apareceu o tal! e depois de tanto texto eheh, desculpa se foi abusivo, mas queria comentar e dizer que estou de acordo ctg, há que celebrar o amor sem dúvida!! continua a ser feliz:)
    * * * *
    clementine

    ResponderEliminar
  8. acredito que quando uma relação é sólida e há Amor, apesar de custar, o amor supera a distância =)

    ResponderEliminar
  9. Acredito nisso querida Bê. Acredito mesmo porque vivo uma relação assim.
    Custa, as saudades são muitas, e o tempo que estamos junto passa a voar.
    Sonho com o dia em que vamos poder dividir a mesma casa, partilhar muito mais momentos, muito mais sorrisos.

    Bjinhos***

    ResponderEliminar
  10. Como sabes, a "sensação de Amor" é-me algo difícil de perceber... Mas paradoxalmente há algo em mim que acredita que a "presença" de uma pessoa pode manter-se durante longo período de tempo, a pairar na mente... E a palpitar no coração :). E acredito que seja essa sensação que nos leva a pensar: "That's the one": o que o P. é para ti, sem dúvida :)!

    ;)

    ResponderEliminar
  11. é tão bom sentir que não estou só.Não sou apenas eu que acredito que a distência não prejudica uma relação,que até pode fortalecê-la.é bom sentir que há alguém que não diz: "seis meses??? ai... " Não agoirem minha gente! Se se dizem amigos,só têm que apoiar e dizer "tens que ter paciência" não é o melhor! Por vezes sinto-me só, por vezes sinto uma enorme vontade de chorar e desejo apenas ser "um casal normal" mas felizmente caio em mim e apercebo-me que de que quem passa por isto se torna especial. E não,não quero ser "um casal normal" Quero estar aqui sempre que voltares! Quero superar cada barreira.Sei que te aqueço o coração à distância,sabes que estou a torcer para que corra tudo bem.
    Como costumo responder a quem "me deseja mal": o que são seis meses comparados com uma vida?
    ;) (desculpa o "anonimato"mas não tenho blogue)

    ResponderEliminar
  12. Olá (:
    Descobri o teu blog através de um outro e devo dizer que adorei todos os textos, mas especialmente este. E tudo porque também a minha relação começou à distância. Adorei mesmo.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  13. Olá Bárbara!
    Descobri o teu blog através de uma amiga e adorei! Sou amiga da Raquel Silva (tua amiga) e tivemos juntas no casamento dela. Não sei se te recordas de mim, mas realmente só te queria dar os parabéns pelas tuas palavras tão bonitas, principalmente ao ler este teu "post". Sei perfeitamente o que é amar à distância e comigo também tem resultado, pelo menos já lá vão 11 anos, em que 4 têm sido vividos dessa forma. Não é fácil, há momentos angustiantes, mas temos conseguido ultrapassar e os reencontros são fenomenais! Beijinho grande e nunca deixes de ser FELIZ! :) *Vanessa*

    ResponderEliminar
  14. Neste momento estou a viver um momento angustiante. O meu namorado já está fora á mais de dois anos. estamos juntos apenas tres vezes por ano. No primeiro ano, embora dificil sei que fortaleceu muito a relação. Serviu para sentir que realemente era a pessoa que amava. No entanto agora sinto-me bastante triste. neste momento também que encontro desemprega, o que agrava ainda mais a situação. Ando completamente deprimida. Queria que ele estivesse aqui para me apoiar, para me abraçar e confortar. Mas não posso ter isso. ultimamente estou sempre a chatear me com ele. Sinto-me cansada com toda esta distancia e ausencia. Queria estar com ele e não posso. Agora ele diz-me que tão cedo não vem para Portugal. E a nossa relação como fica? E eu como fico nesta história toda? Ás vezes sinto que estou em segundo plano na vida dele. Em primeiro lugar está a vida profissional. Ás vezes gostaria que ele simplesmente me pedisse em casamento e insistisse para eu largasse tudo e fosse ter com ele. Será igoismo da minha parte?

    ResponderEliminar
  15. estes testemunhos apaixonados de gente que vive ou viveu relações à distância, não sei porquê, deixam-me sempre emocionada. acho lindo que se viva um amor assim, que sobrevive a todos os obstaculos. fiquei com a lagriminha no olho só de ler.

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins