7 de janeiro de 2011

Das decisões cheias de convicção


Há alguns anos atrás, algures entre o final da adolescência e o início da vida adulta, tomei a decisão de deixar de comer carne. Foi uma decisão que foi amadurecendo na minha cabeça, até ao dia em que assisti a algo que me fez deixar de comer carne de um dia para o outro,sem olhar para trás, sem pensar mais no assunto. Nunca o impus a ninguém, nunca fui fundamentalista na forma de fazer e defender as coisas, era a minha causa e tinha as minhas razões. E durante três/quatro anos deixei tudo o que sempre gostei: os bifes grelhados, os enchidos, os frangos assados, os cozidos à portuguesa, que facilmente foram substituídos por tofus, seitan, soja e muitos muitos legumes. E nunca me arrependi. Apenas me arrependo do dia em que fraquejei e voltei às carnes brancas (apenas frango e peru)...passado uns tempos foi o bife de vaca que voltou à minha vida e, aos poucos, comecei a comer (quase) de tudo (exceptuando coelho, pato, borrego, cabrito, cavalo, avestruz...esses nunca). E há já muito tempo que ando a sentir que não o devia ter feito. Não devia ter fraquejado. Sinto-me quase envergonhada por não me ter controlado, depois de tantos anos. E por isso andava há algum tempo a preparar-me (e ao mundo à minha volta, porque isto requer alguma compreensão dos que nos são próximos e dos que nos preparam refeições) para deixar de comer carne outra vez*. E deixei. E estou feliz com a minha decisão. Sei que vou sentir a falta, seria uma grandessíssima mentirosa se dissesse o contrário, sobretudo em determinadas ocasiões nas quais me irei deparar com aquelas coisas que não consigo deixar de gostar (os petiscos senhores, os petiscos são a minha perdição...), mas sei que não me faz falta e sei que tenho a convicção de que necessito para me manter fiel a esta decisão!

* Peixe não. Vá, chamem-me hipócrita, mas não consigo ainda deixar o peixe. Mas com o tempo, quem sabe ;-)

Nota: Nada de vir para aqui dizer que quem não come um bom bife, carregado de molhanga, não é boa gente, ok?

15 comentários:

  1. Parabéns pela decisão :)
    A minha mãe é vegan e eu sempre fui influenciada por ela.
    Não como carne, nem peixe. Apenas abro pequenas excepções quando vou a casa de amigos e não tenho alternativa (e porque também não gosto que façam comida à parte só para mim).

    **Beijinhos**

    ResponderEliminar
  2. Eu carne vermelha já deixei de comer. Por enquanto só peru e frango (e peixinho claro)...

    Tenho vindo a pensar em tornar-me vegetariana. Mas primeito tenho de deixar essa ideia amadurecer bem e ir experimentando as coisas aos poucos para me ir habituando. :)

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Como fazes para gerir os teus menus? eu pergunto isto porque gostaria de deixar de comer carne mas como tenho dois empregos torna-se dificil gerir os menus diarios, primeiro para serem equilibrados e segundo porque cozinhar Seitan, Tofu, etc torna-se ... mais dificil vá :P

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Parabéns pela decisão. Eu não como carne há 17 anos (como o tempo passa) e sinceramente não me faz falta nenhuma, sou bem mais saudável agora. Não comi peixe durante 15 anos mas voltei a comer quando comecei a pensar em ter um filhote, foi uma decisão muito difícil mas não me arrependo.
    Tudo de bom para 2011 :)
    Teresa

    ResponderEliminar
  5. Eu sou suspeito para comentar este post, porque simplesmente nao consigo viver sem carne. Tambem adoro peixe, legumes, mas por favor nao me deem seita ou tofu...o meu palato nao reconhece aquilo como algo comestivel. Nao e embirrancia, tenho mesmo aversao fisica. Bem sei que com a alimentacao que levo e bem provavel que la para os 40 e pouco tenha uma complicacao cardiovascular, mas assumo os riscos...

    ResponderEliminar
  6. Fiquei mesmo feliz ao ler o teu post. Eu não como carne nem peixe e, tal como tu, respeito as opções de cada um. A tua opção eu respeito e fico orgulhosa com ela =)

    E se comes peixe não vai ser assim tão difícil a adaptação. Só se for pela gula ;)

    E vê lá se desta vez resistes até ao fim ehehe

    ResponderEliminar
  7. eu cresci no meio dos campos da minha avó com produção própria de vacas, coelhos, patos, ovelhas e porcos (e que diferença o sabor da carne de um porco caseiro). assisti às matanças e à distribuição das carnes pelos 4 filhos. naturalmente, toda a minha vida.
    para mim comer carne é isso mesmo, é natural.
    actualmente ela já não tem vacas mas o resto das carnes tenho-as sempre directamente do campo, oferecidas pela minha avó ou sogro.
    tento sempre comer uma refeição de carne e outra de peixe por dia. não é difícil.
    adoro ir ao mercado comprar peixe fresco ao sábado.
    adoro as sacas de legumes que chegam do campo da minha avó Às 5as feiras. para mim não faz sentido mudar MAS sabendo como se produzem os alimentos actualmente, entendo perfeitamente a tua decisão. por isso força!

    beijos:)

    ResponderEliminar
  8. Eu adoro bife carregado de molhanga! Mas tem de ser tudo bem passado porque não suporto sangue. Admiro os vegetarianos, mas acho que eu não conseguia...

    ResponderEliminar
  9. Eu raramente como carnes vermelhas [muito raramente mesmo - acho que no ano passado comi 2 vezes], mas brancas como com alguma frequência.

    Agora tofus, sojas e seitans sempre se comeram muito em casa. Em particular, quando vivia com os meus Pais. A minha Mãe [que é praticamente Ovo-Lacto-Vegetariana, tirando o 'lacto' pois só consome leite/iogurtes de soja - e fez o rastreio à osteoporose e está fina :) - e quase não toca em queijo] praticamente não come carne e foi com ela que aprendi a cozinhar pratos vegetarianos. E adoro.

    O S acabou por se render, não por imposição minha, mas porque acha delicioso. Ainda na semana passada fiz alho francês à Brás e ele amou. Todas as semanas faço pratos vegetarianos.

    Quanto à questão da carne, tu tens todo o direito de tomar essa escolha e ninguém te irá acusar. Eu entendo-a e até já estive mais longe de o fazer, mas se algum dia deixar de comer carne de todo, será naturalmente.


    Beijinho, querida!


    Bom fim-de-semana :)

    ResponderEliminar
  10. grande decisão... eu acho que não era capaz.

    ResponderEliminar
  11. Olá! Eu só como perú e frango(e peixe, claro) á 11 anos...A minha mãe habituou-se a fazer tudo o possivel com estas duas aves, até salpicão e chouriços faz...para matar as saudades, diz ela, e eu adoro! Não sinto a menor falta das outras carnes.
    Força!
    Ana C.

    ResponderEliminar
  12. É de facto uma decisão complicada porque parece que o nosso mundo está absolutamente preparado para comer carne. Eu também assumi a decisão de deixar de comer carne há uns anos atrás. Peixe, confesso que ainda me custa mas, às vezes não tenho alternativa e lá como carne, porque seria incapaz de dar trabalho a alguém a cozinhar de propósito só para mim. E é como dizes, é necessário preparar os que estão à nossa volta para esta decisão :-)
    Mas, acho que precisava de tirar um cursinho de cozinha vegetariana para aprimorar a coisa!

    ResponderEliminar
  13. Nao acho nada hipócrita continuares a comer peixe, nao é obrigatório quando se deixa de comer carne nao comer peixe também:-)Sao opçoes pessoais que devem ser respeitadas.

    ResponderEliminar
  14. Triss - concordo contigo, mas é algo que habitualmente as pessoas me dizem "então não tens pena dos peixinhos?" - e sim, tenho. Tanto que só como peixe ao fim-de-semana e gostava de o anular da minha alimentação, mas só gradualmente e com algum tempo!

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins