21 de março de 2011

Das asneiras e dos palavrões feios...


Por vezes nada é tão libertador e purificante como uma asneira bem dada. Alivia o corpo e a alma. Em determinados momentos, não há como fugir-lhes e acabam mesmo por nos fazer/saber bem. Não é com palavrinhas doces ou educadas que vamos lá. Não. Nem pensar. Como quando batemos com os dedinhos mais pequenos dos pés nas esquinas dos móveis. Naquele momento de dor lancinante, em que julgamos que o dedo se perdeu para sempre, não é com um "ai que doooorrrrr". Ou quando, nos últimos segundos de um jogo decisivo, a nossa equipa falha aquele último penálti, ou lance perigoso. Não nos pode sair um "que imbecil, que cretino...". E quando estamos a trabalhar arduamente num documento importante e a luz falha e as últimas alterações, aquelas mais brilhantes, inteligentes e importantes vão ao ar, para nunca mais serem recuperadas - nada como uma ou várias asneiras praguejadas para nos sentirmos menos mal.
É feio? É. Fica mal? Sem dúvida. Mas eu não estou nem aí...e como dizia uma antiga colega, professora de língua portuguesa, "as palavras devem ser todas usadas". Nem mais!

15 comentários:

  1. "(...) E quando estamos a trabalhar arduamente num documento importante e a luz falha e as últimas alterações, aquelas mais brilhantes, inteligentes e importantes vão ao ar, para nunca mais serem recuperadas - nada como uma ou várias asneiras praguejadas para nos sentirmos menos mal.(...)" Ainda ontem disse uma data delas :P

    ResponderEliminar
  2. podes crer que não há nada mais libertador do que uma asneirada no preciso instante em que nos sai à boca!

    ResponderEliminar
  3. aii caralho foda-se eu digo digo a toda a hora..... queria eu tanta nota de 50 euros como caralhadas que cuspo...
    Estava rica,
    Vivia a boiar em notas...

    ResponderEliminar
  4. Sabe bem soltar as palavras que nos vão na alma :)

    Bjinhos***

    ResponderEliminar
  5. "Das asneiras e dos palavrões feios"... Tem andado a minha boca cheia (mas tudo mantendo a classe e o decoro) :-)! Daí andar a falar muitas vezes sozinha ultimamente...

    ResponderEliminar
  6. Quando estou irritada, saem-me todas tipo espingarda! Ai fico aliviada fico!

    ResponderEliminar
  7. é que é mesmo isso. eu sou mesmo assim. falo muito mal, pior do que devia. mas há que saber estar, não é em qualquer lado ou com qualquer pessoa. Há que haver respeito, educação. mas um palavrão nunca fez mal a ninguém :)

    ResponderEliminar
  8. Também sou adepta de que as palavras devem ser todas usadas :=) E um bom palavrão, no momento certo até ajuda a aliviar o stress e nervosismo!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins