1 de abril de 2011

Coisas* que me tiram do sério...


Aqueles senhores que vendem créditos nos centros comerciais. É coisa para ficar perto de uma apoplexia de cada vez que um se dirige a mim. Pior ainda, quando o tenta fazer duas vezes no mesmo dia, num curtíssimo espaço de tempo. E as abordagens? Desde o "estuda ou já trabalha", a abordagens mais aproximadas das típicas de um trabalhador das obras, depois de emborcar uma grade de minis, ou algo do género, seguidas daquela perseguição quase claustrofóbica durante dois ou três metros (chega a parecer assédio, a sério que sim - aliás, nas Amoreiras, há uns anos atrás, havia um que de tão desagradável, chegou a levar respostas bem tortas de várias mulheres, eu incluída). Eu bem tento olhar para o chão, ou olhar de forma altiva e antipática em todas as direcções que não a deles, ou falar ao telemóvel, ou andar a passo muito rápido, mas qualquer coisa faz com que venham sempre ter comigo. É que dá raiva. Caramba. Há-de chegar o dia em que, armada em avó M.**, lhes bato com aquilo que tiver nas mãos...



*Neste caso, pessoas ;-)


**(sim, a minha querida e lindíssima avó bateu com, nada mais, nada menos, um saco com batatas, em cheio no nariz de um homem que a assediou!).

8 comentários:

  1. São chatinhos... mas coitados, alguém tem de fazer o trabalho.

    ResponderEliminar
  2. Ahahah
    Grande mulher a tua avó!!

    xoxo,
    Ivânia Diamond*

    ResponderEliminar
  3. Eu só espero que nunca chegue o dia em que eu própria tenha que ganhar a vida dessa forma.
    Não é fácil...ainda por cima está-se sujeito a levar com um saco de batatas na cara LOL

    ResponderEliminar
  4. Minhas queridas, têm toda a razão. É um trabalho que tem que ser feito e contra isso nada digo. Apenas reclamo da atitude agressiva a roçar o abusado que alguns têm e que me tira do sério ;-)

    ResponderEliminar
  5. Felizmente - e digo felizmente porque sou totalmente anti desses tipos de crédito - que nunca fui abordada por quem trabalha nessa área. Sempre que vou a algum sítio (vulgo centro comercial, lugar eleito de ataque), e vislumbro um grupo ao longe, coloco de imediato a expressão maquiavélica e algo esquizófrenica nº 372, e nem a mim se dirigem. Se um dia alguém se atrever, é provável que faça uso do meu "M" e reaja como a tua avó*... Pois gente chata e exageradamente melada tira-me do sério (embora compreenda perfeitamente que têm de trabalhar e ganhar o pão, mas muitos exageram na postura - de alguns casos que tenho observado, o limite que vai do aliciamento ao crédito ao mais descarado engate é muito ténue).

    * Ah, grande Mulher ;)!

    ResponderEliminar
  6. Grande avó! :) Podes crer, são uns chatos do piorio. Eu arranjo todas as estratégias, olho pro chão, finjo que estou ao telemóvel, acelero o passo! :|

    ResponderEliminar
  7. Admiro aquele tipo de emprego, a sério que sim! Mas já é tanto do mesmo que poucos são os que ainda têm paciencia :) **

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins