5 de abril de 2011

Mudanças


Este fim-de-semana deu-me uma da daquelas pancadas tão grandes quanto raras, ou seja, que só me acontece de tempos em tempos, felizmente. O Paulo agradece (sobra sempre qualquer coisinha para ele) e o meu corpo, longe da frescura dos 20 também: apeteceu-me mudar as coisas cá em casa. E quando eu digo mudar, não foi trocar um bibelot pelo outro, ou mudar as fotos das molduras. Não. Esta menina gosta das coisas em grande e vai daí que, sem grandes dinheiros para comprar coisas novas (estou proibida por mim própria de fazer gastos desnecessários, até saber como se desenrola o meu futuro (?) profissional), resolveu trocar móveis de divisão, o que implicou tirar portas (que pesam, muito), desmontar mesas, carregá-las e tornar a montá-las noutra divisão, carregar as carcaças velhas e desconjuntadas de dois computadores de mil novecentos e troca o passo, mudar cortinados, arrastar estantes de uma ponta à outra da casa, isto tudo sob o olhar atento de três gatos que adoraram a confusão, na qual aproveitaram para se esconder e brincar. No final do dia, a satisfação orgulhosa era total - de um quarto todo desarrumado, passámos a ter um quarto de vestir (não é closet, é quarto de vestir!), espaçoso e cheio de sapatos e roupa, agora organizadinhos, de uma varanda cheia de tralha, passámos a ter um espacinho todo catita para refeições, agora que o bom tempo o permite. E a simples mudança de cortinados fez maravilhas na minha sala de jantar. Mas, no dia seguinte, o desgosto trintão era inegável. Não há nada que não me doa: o rabo, as pernas, os braços, as costas. Acho que até os dedinhos dos pés e a ponta das orelhas estão doridos.
É o que dá ter mais de trinta anos, achar que se pode tudo, agarrada que estou à Serenidade dos trinta e esquecida que sou de que apesar de todas as coisas boas que a idade traz, o corpo já não tem a mesma capacidade, elasticidade, tenacidade...agora vou só ali descansar mais um bocadinho, que hoje é dia de trabalhar até às 21h30 e ainda me dói tudinho.

8 comentários:

  1. Mudanças, minha querida, mudanças! O tema persegue-me ;-)
    Mas já vi que as tuas correram bem! Afinal, as dores passam e a casa linda, quase com novas divisões, fica!

    Beijinhos!
    *Vai correr tudo bem com o teu futuro profissional!

    ResponderEliminar
  2. Oh mulher as dores passam!!!!... Fizeste bem.... sabe bem mudar e ver a nossa casa mais arrumadinha e atirar o que não presta fora.... Limpa a alma!

    ResponderEliminar
  3. Parece que faz bem à alma. Uma pessoa sente que está numa casa semi-nova e isso sabe bem.

    ResponderEliminar
  4. oh também gosto tanto de mudar as coisas lá de casa de sítio... um dia, grávida de 6 meses, ouvi um grande "raspanete" do maridão, ao chegar a casa tinha a sala remodelada, e quando lhe perguntei se gostava, só respondeu "tu não tens juízo!"
    mas sabe tãaaaaaaao bem

    ResponderEliminar
  5. eu de vez em quando tb tenho essas pancas, gosto de mudar... já que não se pode gastar dinheiro para comprar coisas novas, assim tem ar de novo e fica mais em conta ;)

    ResponderEliminar
  6. Deve ter ficado bonito :) Que grande força de vontade!

    ResponderEliminar
  7. Eu achava que adorava extreme makeovers...mas depois de ler este post, acho que não. Gosto de mudanças. Mudançazinhas, vá:P eheh

    (as melhoras para essas dores, e "feliz ano novo"...digo isto porque depois de arrumar e mudar muitas coisas e a casa parecer outra, fico sempre com aquela sensação de "começar de novo", tão característica de entrada em novo ano! :)

    ResponderEliminar
  8. É tão bom mudar de vez em quando!!! Faz bem...

    http://blog-anythingood.blogspot.com/

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins