8 de abril de 2011

Porque é que a generalidade das pessoas ouve músicas tristes e depressivas quando está em baixo?


Porque são parvinhas. E masoquistas. E tontinhas.

Depois de ter tido, ontem, um dia de mer%$3da, perdão, de cocó no trabalho, hoje saio de casa com o MP4 no máximo, com uma daquelas músicas* que me transmite energia, sorrisos, força e determinação. Lá foi a Maria Bê, pela rua acima, formosa (?) e segura, de cabeça erguida e preparada para a acção. Felizmente as músicas podem ter esse poder, mas também podem ter o efeito inverso, sobretudo se estamos a passar por uma fase menos boa e nos pomos a ouvir aquelas músicas lamecho-dramalhonas, que só nos conseguem por ainda mais em baixo e ainda põem a chorar as pedrinhas da calçada - como quando éramos adolescentes e achávamos, a cada derrocada sentimental, que o mundo acabava ali e que não existiria mais ninguém no mundo certo para nós e que éramos as pessoas mais infelizes de todo o sempre (oh god, a adolescência é tão, mas tão dramática).

Por isso, fofinhos do meu coração, quando o mundo se abate à vossa volta, é favor escolher aquela banda, ou aquela música e colocar em modo repeat e acreditem que tudo se enfrenta com outra vontade.

Bom fim-de-semana, cheio de sorrisos (e de boas músicas!)!



Nota: o mesmo para os filmes, pois claro. Nada de dramas e romances e afins,Ok??


*Esta aqui é uma delas! Embora as pernas da moça - que felizmente não aparecem no MP4 - me deprimam assim um bocadinho...

9 comentários:

  1. Quando estou em baixo só ouço música divertida, aquela que me "puxa para cima".
    Beijinhos, gosto muito do teu blogue

    ResponderEliminar
  2. e mais nada :) bom fim-de-semana querida Bê

    ResponderEliminar
  3. Porque são tontas mesmo. Eu faço precisamente o contrário :)

    ResponderEliminar
  4. Eu coloquei uma música bem gira no teu FB... É favor "gostar" :-)!
    Eu cá não sou nada lamechas... Aliás, música pseudo-romântico-depressiva põem-me à beira de um ataque de nervos, com laivos de histeria: nada como uma boa batida, com uma boa guitarra e um bom baixo para me pôr feliz... São "aqueles" momentos :).

    Bom fim-de-semana, mais uma vez :-)!

    P.S.: Realmente, as pernas da fulana SÃO pernas efectivamente... Só não entendo como é que ela as consegue manter DIREITAS com aqueles saltos :O!!!

    ResponderEliminar
  5. Olha acabei de ser chamada de parvinha .. eheheh
    Querida Be, tambem me acontece ouvir algumas musicas mais tristes quando estou e baixo mas para mim serve de estimulo para dar a volta por cima. Sinto pena de mim nos primeiros 3 segundos e depois penso: Mie Maria deixa mas e de ser parva e anda para a frente. Sempre funcionou, cada um com a sua mania :)
    Beijinho e um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  6. Também escolho a música para me animar, da mesma forma que ouvia as músicas mais deprimentes minha adolescência, quando estava a sofrer de amor... Ou então as músicas dessa mesma história de amor... Que parvoíce!

    Beijinho, minha querida Bê. E um fim-de-semana perfeito para vós.

    :)

    ResponderEliminar
  7. Concordo com tudo ;) E não tirando a intensidade dramática característica da adolescência, o fim do relacionamento, salvo poucas excepções, traz sempre uma enorme carga dramática!

    ResponderEliminar
  8. Tens toda a razão, e olha........ com os livros é igual!

    ResponderEliminar
  9. Eu era uma dessas pessoas. Mas depois descobri que não valia a pena... E agora faço o contrário ;)

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins