25 de agosto de 2011

Das alcunhas...parvas

No meu tempo de adolescente, muitos eram os amigos e colegas de escola que foram simpaticamente baptizados com alcunhas, com mais ou menos sentido. Alcunhas essas que se agrafaram à pele e se mantiveram ao longo dos tempos. Eu tive a minha dose, mas como mudei muitas vezes de escola e até de cidade, elas foram-se perdendo. Fui a Girafa (naquela fase em que os rapazes ainda não deram o pulo), a Olívia Palito (pois que já fui mesmo muito magra), a Russa, porque era muito loura (o que se foi perdendo com a idade - foi-se o louro, vieram os quilos), a Barbie (essa não durou muito, porque nem me dava ao trabalho de responder) e depois a coisa ficou por ali.


Mas agora, enquanto passeava os meus olhinhos pelo facebook e fui dar os parabéns a um colega de escola, que não via há anos e que reencontrei por esta via, apercebi-me como estas alcunhas podem ser terríveis. No meu secundário tivemos de tudo: o Couves, o Borras, o Dentes, o Bifes, o Conguito e ainda um Cowboy e um Verdes (não me façam explicar esta), entre outros. Bastava um malfadado dia, alguém usar a roupa errada, ou dizer algum disparate e ficava marcado para sempre. E porque é que pode ser terrível? Porque tenho a certeza absoluta que se me encontrar com algum deles na rua e tiver que o apresentar a alguém ou dizer o seu nome, a alcunha vai andar a cirandar pela minha boca, querendo sair, enquanto me esforço por disfarçar a coisa. Sou do género de dizer exactamente aquilo que não quero, nestes momentos.

Então e por aí? Qual a(s) vossa(s) alcunha(s)?

13 comentários:

  1. metro e meio ... fácil adivinhar porquê =p

    ResponderEliminar
  2. As minhas sempre estiveram relacionadas com o meu nome. Ainda hoj (ou ainda mais hoje!) quase toda a gente me chama Cat. Mas tinhamos muitas alcunhas também... E muitas que duram até hoje.

    ResponderEliminar
  3. no meu caso a tendência era usarem sempre o meu nome com diminutivo... escapei ao resto:)

    ResponderEliminar
  4. Em casa, chamavam-me "velas", porque andava sempre toda ranhosa. :D

    ResponderEliminar
  5. Eu era a "copinho de leite" devido à ser muito branquinha, mas não durou muito.

    ResponderEliminar
  6. Fui desde "quatro-olhos" a "ovelha-ranhosa"... mas tudo acabou no 6.º ano... depois fazia por passar despercebida, o que foi um alívio!

    ResponderEliminar
  7. Eu era a baixinha :D que entretanto cresceu :D

    ResponderEliminar
  8. É curioso que nunca tive alcunha.
    Primeiro quando era mais nova acho que a miudagem ou não tinha capacidade ou não estava para ai virada para inventar alcunhas. Depois no secundário eu e umas amigas passamos a andar sempre em grupo, eramos terriveis quase como um gang. Secalhar por causa disso nunca se habilitaram a meter alcunhas. ehehehe

    ResponderEliminar
  9. Nunca fui muito original nesse departamento. Dado que lá no bairro era dos mais novinhos e os meus amigos e dava-me tendencialmente com os mais velhos, fiquei sempre conhecido simplesmente como o "Puto".

    E ainda hoje sempre que um deles me vê, sou chamado assim.

    Nem que tenho 80 anos, sou e serei sempre o "Puto".

    ResponderEliminar
  10. Os meus colegas de escola tratavam-me sempre por palmo e meio, meio quilo... isto porque sou baixinha e, na altura (bons tempos!) era para o magrita...
    Depois essa fase passou e tratam-me apenas pelo nome mas sempre acabado em ..."inha"...

    Na altura eram muitos os que tinham alguma alcunha, que alguns, ainda hoje, se mantêm, como russo má pelo (por causa de ser loiro), rabo de porco, brazuca, escarreta, rodinha 24... e por aí fora...

    ResponderEliminar
  11. eu era a pink por causa do cor-de-rosa... vá lá não foram maus....

    ResponderEliminar
  12. Na primária chamavam-me Olivia Palito mas a que me tirava do sério era "pirua raivosa". Não me perguntem o porquê da alcunha. Coisas de miúdos...

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins