4 de agosto de 2011

Das relações e das diferenças...




Relações...existirá algo mais complicado? Não me parece. As relações que estabelecemos com todos à nossa volta gerem a nossa vida e da qualidade das mesmas depende a nossa felicidade. Mas de todas, as mais complexas são sem dúvida as relações amorosas. Quando escolhemos alguém com quem namorar, viver, casar, ter filhos, não escolhemos com base no que poderíamos considerar os requisitos ideais, mas porque nos apaixonamos, porque é aquela a pessoa com quem queremos estar. Porque é o nosso coração que nos comanda. E se na altura do encantamento tudo se desculpa e até aquelas coisas que nos irritam profundamente em qualquer outra pessoa, se tornam encantadoras e cheias de graça, com o decorrer dos tempos, as diferenças vão emergindo e é aí que surge o grande desafio: aprender a lidar com elas. É que além das diferenças de carácter e de feitio existem ainda as diferenças que tornam os homens e as mulheres tão opostos entre si: elas chegam a casa e adoram falar sobre como correu o seu dia. Eles chegam a casa e querem descanso e o comando da televisão ou a play station disponível. Elas gostam de dissecar, eles de simplificar. Elas analisam a relação à lupa, eles acham que tudo se resolve por magia. E nenhum tem mais razão do que o outro. O truque é encontrar o ponto de equilíbrio entre as diferenças que vamos descobrindo ao longo dos tempos. É ceder um bocadinho em cada coisa, de parte a parte. É parar para pensar, sentir, analisar e deixarmo-nos levar pela sensatez. É avaliar a importância da relação e agir de forma a mantê-la, quando é merecedora. É acima de tudo, saber amar e preservar esse amor que nos permite respirar. Se é fácil? Não. Claro que não. Mas vale bem a pena, quando é aquele amor que nos faz sorrir com a boca e com a alma. Mas atenção que não há uma receita certa - cada um tem que encontrar a dose ideal de cada ingrediente daquilo que o define como parte de um casal.

8 comentários:

  1. Como diz a sabedoria popular, é no meio que está a virtude. :) Eu gosto da procura do ponto de equilíbrio.

    ResponderEliminar
  2. Que texto excelente, querida.

    Não podia concordar mais...



    [abraço]

    ResponderEliminar
  3. é tão assim Bê. homens e mulheres são mesmo, realmente seres diferentes. pequenas diferenças que no fundo se completam, que com o tempo e com vontade aprendemos a conhecer, a aceitar e também a ceder. porque é assim que faz sentido e porque se queremos que seja mesmo para sempre, temos de nos adaptar :)

    ResponderEliminar
  4. Bê, um excelente post!! Infelizmente, muitos casais não estão dispostos a ceder de parte a parte e passam imediatamente ao desrespeito pelo outro e aí é que tudo fica estragado...

    ResponderEliminar
  5. É mesmo assim como escreveste: não existe uma fórmula mágica para que todas as relações dêem certo. Cada pessoa é diferente, cada casal é diferente e não existe uma única forma de tornar tudo um mar de rosas. Equilíbrio é necessário e compreensão, acima de tudo, para que a relação seja sempre conduzida a bom porto (espero que a recuperação esteja a correr bem :)).

    ResponderEliminar
  6. Não concordo com muita coisa que dizes, mas a vida é mesmo assim!
    Vivências e experiências diferentes!

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins