23 de novembro de 2011

Das greves

Já vivi muitas greves, mas nunca fiz nenhuma. Amanhã será a primeira, por todas as razões e mais algumas: porque vivo o risco de ficar desempregada a qualquer momento, porque trabalho para o estado, mas quase não tenho protecção, porque me fizeram um novo contrato apenas para me baixarem substancialmente o salário, porque vivo na incerteza todos os dias, mesmo fazendo um trabalho no qual acredito e pelo qual estou apaixonada e ao qual me tenho dedicado nos últimos 10 anos, porque me tiraram os subsídios e nem sequer me pagaram os proporcionais do contrato anterior, porque contornam as leis como ninguém, sempre em prejuízo dos mais pequeninos, como eu, porque sou desvalorizada pelos senhores de gabinete que nem descem do seu pedestal, para conhecer o que faço no terreno. Porque me dedico a este trabalho há tempo demais, para o ver sair prejudicado assim, sem luta. Amanhã vou manifestar-me...está na hora de mostrar o meu descontentamento.

5 comentários:

  1. Vai Bê! Estou contigo, desempregado, mas contigo... Quando não há mais nada, temos sempre a greve...

    ResponderEliminar
  2. muito bem descrito! temos todos que fazer valer os nossos direitos.

    beijinhos***

    ResponderEliminar
  3. Luta pelos teus direitos, isso mesmo. Eu não faço greve... para já, porque estou em estágio. E depois, porque o meu patrão é pobrezinho mas eu sei que faz tudo o que pode para respeitar os funcionários.

    ResponderEliminar
  4. Mas como a vida está, houve muitas pessoas a não aderir há greve :/

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins