30 de janeiro de 2012

Desafio literário

Concorrentes: eu e o meu pai.
Duração: um ano.
Objectivo: Ler! Ler muito!
Regras: Ganha quem tiver lido mais livros no final do ano, independentemente do seu tamanho (a Anna Karenina ainda me vai tramar...).
Prémio: Por decidir, mas eu apostava numa garrafinha de um bom vinho tinto que é coisa para deixar qualquer dos dois muito feliz.

No ano passado perdi, por dois ou três livros, porque, imersa nos livros da faculdade, fui deixando as minhas leituras para trás. Este ano não me apanha, que eu sou menina para, facilmente, ler 300 páginas em menos de um dia.  E só nos metemos nesta brincadeira porque adoramos ler e porque não há vício mais deliciosamente saudável. A coisa começou por graça e agora é quase uma questão de honra!

Nota: Se pensaram que se tratava de um concurso com o qual podiam ganhar qualquer coisa, foram bem enganados. Neste blog só se oferecem palavras!

29 de janeiro de 2012

Das modas que eu não gosto #2

Destes meninos, de seu nome Melissa. Já vi alguns modelos potencialmente giros e que ao longe me fariam virar a cabeça algumas vezes, mas o facto de serem de plástico não me convence nada e perdem logo ali o encanto. Em Praga parei em frente a uma loja Melissa e não havia um modelozinho que fosse capaz de trazer comigo para casa. Eles bem que me piscaram o olho, mas eu não me enamorei.

28 de janeiro de 2012

E hoje é dia de...

Pôr a leitura em dia. E que bem que me sabe ter arrumado todos os livros, apontamentos, fotocópias e cadernos do mestrado e poder dedicar-me aos meus livros. Porque às vezes sabe bem ter um dia caseiro, de mantas quentinhas, comidinha leve, roupa confortável, gatos melosos e com ele ao meu lado agarrado ao seu vício*, a Playstation. Cada um com o seu, mas sempre bem perto um do outro.


*Porque em vez de me chatear com as horas que passa agarrado à PS, aos jogos na tv ou mesmo na vida real, aproveito esse tempo para aquelas coisas que eu adoro fazer.

27 de janeiro de 2012

6.ª feira à noite...

É o meu momento preferido da semana, que antecede dois dias de gestão quase anárquica dos nossos horários, sempre tão programados nos dias úteis. Começa sempre com um maravilhoso jantar, que ele prepara para nós, muitas vezes à luz das velas, acompanhado de um bom vinho e imbuído numa conversa que muitas vezes se prolonga pela noite fora, fazendo-nos esquecer as horas e o mundo à nossa volta.
Porque muitas vezes os melhores momentos, são também os mais simples. Um bom fim de semana a todos, cheio de sorrisos e momentos deliciosamente simples.

26 de janeiro de 2012

Ninguém merece!

E pronto, como existe alguém "lá em cima" que não gosta de me ver sempre sorridente e bem disposta e vai daí que depois de o meu médico me dizer que estou pronta para outra (o caracinhas é que estou) e que só volto em maio para check-up, recebo umas análises, feitas depois da super mega suposta virose que me atacou três semanas e tenho uma série de valores alterados. Livrei-me de um médico, para logo me agarrar a outro. Anemia já está identificada, vamos lá a ver o que se passa com o resto. E eu que sou uma menina tão saudável, que não fuma, bebe só socialmente, sorri muito e está de bem com a vida. Amanhã, nova consulta. Ninguém merece!

Séries perfeitas


A ingenuidade tonta do Phil;
A doçura do Cam;
A sinceridade adulta do Manny;
As obsessões da Claire;
A naturalidade colombiana da Gloria e todos os outros que, no conjunto, fazem desta família, a família perfeita para os meus serões. Adoro!

25 de janeiro de 2012

Hoje vamos namorar por aqui...

Uma boa noite para todos, cheia de sorrisos...

Das datas importantes

Brincam comigo porque eu festejo tudo e mais alguma coisa. Sei as datas mais importantes dos últimos 9 anos. O primeiro jantar, o primeiro beijo, o dia em que começámos a namorar, quando fui ter contigo à Alemanha, quando começámos a viver juntos, o dia em que me pediste em casamento, o dia em que casámos. Curiosamente, ou não, sou péssima com todas as outras datas, anos, momentos. Mas estes 9 anos têm sido perfeitos, mesmo nos seus momentos imperfeitos e cada data é um momento que faz parte da nossa história e que fica impressa na minha memória.

São 9 anos e como me dizias, entre passeios e gargalhadas de fim-de-semana, é tudo tão melhor agora, que temos a cumplicidade perfeita, de quem adivinha o pensamento do outro, não por nos termos tornado banais ou previsíveis, mas porque nos conhecemos tão bem. São 9 anos de uma vida em comum e eu sei e sinto que são apenas os primeiros anos da nossa vida juntos - porque me fazes tão feliz, porque me fazes querer ser uma pessoa melhor, porque me fazes sorrir, mesmo quando choro, porque me abraças quando preciso, sem ter que o dizer, porque me fazes sentir única e especial, porque estás sempre ao meu lado, porque és sincero comigo, porque me ouves e abraças, porque me conheces tão bem, porque me fazes sentir uma adolescente sempre que ouço a tua chave na porta da rua, porque és tu, o amor da minha vida.

Parabéns a nós...

24 de janeiro de 2012

Às 3.ª de manhã...

3.ª Feira de manhã é o momento dedicado à mãe. Aproveitamos o facto de termos as duas a manhã livre (ou uns horários de trabalho muito estranhos) e tomamos sempre o pequeno-almoço juntas, no nosso spot favorito: duas meias de leite bem escurinhas, um scone com manteiga para mim, um pãozinho mal cozido com manteiga para a minha mãe, envolvidas em cheiros a bolos acabadinhos de fazer e no conforto da nossa mesa de sempre. Depois passeamos durante uma ou duas horas e, como se tivéssemos a despreocupação dos 18 e não nos víssemos há dois meses, conversamos a um ritmo só nosso. Assunto nunca nos falta, cumplicidade também não. Pedimos conselhos uma à outra, ouvimo-nos, puxamos as orelhas quando tem que ser. Partilhamos segredos e pensamentos, dúvidas e receios. É o nosso momento, o nosso ritual. E que bem que sabe. Porque somos, desde sempre, as melhores amigas...

23 de janeiro de 2012

Das modas que eu não gosto



Dando continuadade ao post no qual me referi à malinha chanel, fica aqui o horror dos horrores para mim. E eu reforço, para mim. Nada contra quem goste. Como comentei, ainda bem que não gostamos todos do mesmo, senão o mundo seria de um cinzento banal muito enfadonho.

Tenho para mim que estas meninas, de seu nome Litas, se não fossem compensadas, seriam fantásticas, mas assim, lembram-me sempre um drag queen, uma jóia de moço, de tão simpático que foi, que há uns anos atrás me ia arrancando os dedinhos do pé ao pisar-me com algo muito parecido na noite lisboeta. Não foi bonito de se sentir, que não foi, mas teve graça pelo abraço que me deu.

22 de janeiro de 2012

Das coisas boas da vida...

Eu e ele, um dia de inverno cheio de um sol confortável, a liberdade que nos permite ter a nossa mota, o sorrido dele, declarações de amor em cada olhar e em cada gesto, um passeio de dedos entrelaçados, por uma das zonas mais bonitas da nossa cidade, a terminar com um dos melhores gelados de sempre, na Santini.
Há dias maravilhosos e hoje foi (está a ser) um desses dias. Bom domingo, cheio de sorrisos.

21 de janeiro de 2012

E o que será melhor?

Vestir roupa de marca, usar calçado de marca e malas de marca e não ter atitude (às vezes parecem-me todas tão iguais, na postura, no diálogo, nas ideias), ou usar coisas mais acessíveis, das lojinhas agora chamadas de lojinhas do povo (mangos, zaras, h&m e afins) e ter uma atitude que contagia e que brilha, que marca, hein? Não é a roupa, as marcas, o verniz ou o calçado que usamos que fazem de nós pessoas memoráveis, mas aquilo que somos enquanto pessoa, os  valores que mostramos...acho eu. Gosto de moda, que gosto, mas gosto muito mais de tantas outras coisas, que são tão mais importantes para mim!


Nota: E serei eu a única pessoa da blogsfera que não acha piadinha nenhuma à mala Chanel? Deus me livre que algum dia alguém me ofereça uma...

20 de janeiro de 2012

Habemus mestra!

E pronto. Ia nervosa, ia insegura, ia cheia de dúvidas. Sentia o cérebro apagado e que tudo o que tinha estudado se tinha evaporado. O marido interrompeu a minha apresentação, porque resolveu aparecer de surpresa e a coisa começou uns minutinhos mais cedo. 5 Segundos de pausa para lidar com a situação, que quase quase me apanhou desprevenida*. A arguente (que era só a professora mais tramada de todo o mestrado) colocou várias questões que podiam ter-me transformado num ratinho minúsculo de cabeça enfiada num buraco. Parecia colocar tudo em causa e afirmou mesmo que as minhas ideias não eram exequíveis (coisa pouca portanto). Diz quem assistiu (e oh se estavam pessoas assistir, incluindo a minha coordenadora e a directora da escola - uma honra diziam uns, um stress tremendo pensei eu, sentindo-me avaliada em várias direcções) que me portei à altura e que conduzi muito bem toda a defesa. A postura dela é mesmo essa, encostar as pessoas à parede, para ver se conseguem safar-se das suas garras. Safei-me bem. Parece que sim. Tive um 17 e hoje estou orgulhosa de mim. Bom fim-de-semana a todos, cheio de sorrisos! O meu já está a ser.
*Tínhamos combinado que não iria, perante o meu receio de que corresse muito mal, mas a verdade é que a sua presença me soube pela vida e me fez sentir tão mais segura e acarinhada. E o abraço final foi O momento.

19 de janeiro de 2012

...

Vou agora até ao médico, ver se estou a recuperar bem (ainda as consultas pós-operatórias). Amanhã defendo a tese. Estou nervosa como o raio e não sei dizer qual a origem: se a consulta, ante a perspectiva de ouvir alguma coisa menos agradável, como tem acontecido até aqui, se da defesa da tese, se das duas coisas juntas (ninguém merece)...Só  quero dar um salto no tempo e apanhar-me de fim-de-semana!
Por isso meus amores, até amanhã à tarde, momento em que se espera uma Bê bem mais tranquila, como habitual.

18 de janeiro de 2012

Preciosidades

Estes são os meninos que estão já a ocupar a mesa-de-cabeceira, à minha espera. É só sobreviver a esta semana a agarro-me logo a um deles, feliz por poder voltar às minhas leituras intensivas. Só me resta decidir por qual começar. Sou uma eterna apaixonada pelo Gabriel (de quem li praticamente tudo o que foi editado em Portugal), mas um clássico é sempre um clássico...

17 de janeiro de 2012

Finalmente...

Última semana de reclusão académica, de horas de estudo e de leituras e de elaboração da tese*.... Mas pronto, a partir da semana que vem e se tudo correr bem, serei uma "mestra" - vamos ver é se nos dias que correm, isso me valerá de alguma coisa...!
Uma boa semana a todos - a minha não será grande coisa, mas para sexta-feira está já prometido um jantar de arromba e um fim-de-semana cheio de amor, namoro, passeios e tudo a que tenho direito e que mereço.

 
*Até me dar outra travadinha e voltar à faculdade, já esquecida da trabalheira que isto dá e das responsabilidades e gestão que exige

14 de janeiro de 2012

Emigrar ou não?

Não porque o Passos Coelho o sugira, mas porque, nos últimos dois anos é algo de que e o P. falamos com alguma frequência, embora sem seriedade suficiente, até ao momento, para o fazermos efectivamente. Mas a verdade é que as coisas estão tão complicadas que pensamos cada vez mais nessa hipótese e hoje actualizámos os nossos currículos, para começarmos a pensar a sério em mudar de vida. Não penso no depois, porque não sei como sobreviver longe da família e porque se me parte o coração cada vez que penso na tortura que será para os meus gatos (porque não pondero sequer a hipótese de ir para algum lado sem eles). Por isso, se alguém por aí estiver a viver a experiência, ou já a tiver vivido ou conhecer alguém que a esteja a viver, agradeço do fundinho do coração todas as perspectivas que possa partilhar comigo no Cantinho, sites que eu possa visitar e anexar cv's e outros pormenores que considere interessantes.

A todos, um maravilhoso fim-de-semana, cheio de sorrisos!

13 de janeiro de 2012

Just for girls #8

Há algum tempo apresentei aqui o meu desmaquilhante de olhos favorito, da marca Mary Kay. É óptimo e super eficaz. Mas há pouco tempo e porque a sephora tinha um desconto simpático na compra de três produtos, resolvi experimentar o deles e confesso que não fica atrás e é mais baratirnho e fácil de adquirir. O que eu não sabia sobre estes produtos, antes, é que não é necessário esfregar o olho com o algodão embedido, como tinha que fazer quando usava outros produtos. Com estes, basta manter o algodão uns segundos em cima do olho, que a maquilhagem sai com toda a facilidade. Aprovo e aconselho, numa sephora perto de si.



Nota: Os poucos conselhos que aqui vou dando e que valem o que valem, são feitos com a intenção simples de partilhar os meus hábitos e rotinas, porque sei que por vezes podem ajudar pessoas mais indecisas ou desconhecedoras (como eu sou muitas vezes, em relação a determinadas coisas). Não sou patrocinada por marcas (mas não me importava nada) e não ganho um cêntimo para falar das mesmas aqui (também não me importava nada). Falo de produtos acessíveis e que gosto e recomendo, porque adoro produtos de beleza, assim como gosto de moda, mas não sou fashinista, apenas curiosa ;-) 

12 de janeiro de 2012

2.ª resolução de ano novo

Hoje vi-me ao espelho enquanto me vestia e tudo eram peles penduradas e gordurinhas a mais. Eu, que sempre fui magra, agora é ver-me a encolher a barriga quando uso vestidos mais justos e a recusar certas roupas, por sentir que me expõem demais. A celulite alapou-se no meu rabo e ameaça descer pelas pernas e subir pelas costas. Por isso, a 2.ª resolução deste ano é o regresso definitivo à natação (até porque as minhas costas também agradecem) e a inscrição num ginásio, daqueles só para meninas, mesmo à porta de casa. No verão estarei um arraso*! É perder o amor ao dinheiro e ganhar o amor ao corpinho.



* Isto sou eu a tentar convencer-me a mim própria...

11 de janeiro de 2012

Do desemprego...

Depois de, no ano passado, ter vivido cerca de 7 meses num casa-descasa com o meu trabalho, perante a possibilidade de o perder após o dia 31 de Agosto, em Setembro veio a boa nova da continuação, supostamente, por mais dois anos, mais coisa menos coisa. Mas isto de trabalhar para o estado sem ser funcionária pública tem destas coisas e cheira-me que, a qualquer momento, irei mesmo parar ao desemprego. Eu, que trabalho desde os 16 anos, sem nunca ter parado de estudar e que aos 24 fui viver sozinha, sem depender de ninguém. Eu que, mais do que as 35h horas contratuais, vivo no trabalho e trabalho em casa. Eu que gosto do que faço e o faço com todo o gosto. Eu que invisto, que inovo, que faço mais do que o que é esperado e que o faço com um sorriso.
Até ao momento, vivi apenas cerca de mês e meio desempregada e foi o descalabro total, para alguém tão habituado a uma vida cheia, exigente e com muito trabalho. Esperam-se dias difíceis, num ano tão cheio de nada...É caso para pensar "Maria Bê":
A vida continua, mesmo quando parece que um caminho termina, há apenas outro à espera de ser descoberto. Ou pelo menos, assim o espero.

8 de janeiro de 2012

(Únicas) Coisas boas de se estar doente


A mamã fazer o nosso bolo favorito de todos os tempos, só para nos mimar. Um bolo com sabor a infância e memórias e uma pitada de carinho. O apetite tem sido nulo para estes lados, mas pode ser que com este incentivo, a coisa melhore.

7 de janeiro de 2012

Locais onde já fui muito feliz: Marrocos

Bê a caminho de Marraquexe - 2005
Em ano de contenção e de viagens só cá dentro, confesso que ando a ressacar uma viagem assim daquelas, bem longe e diferente. Mas, como não sou de me lamentar, nada como sentir-me feliz e satisfeita por já ter tido a oportunidade de ir a tantos locais maravilhosos, quer em Portugal, quer no estrangeiro. E assim se inicia uma rubrica com as minhas viagens, os locais onde já fui muito feliz.
Começo por Marrocos, porque foi uma viagem única, como poucos têm oportunidade de fazer. Fomos com um casal amigo, sendo ela marroquina e com toda a sua família à espera para nos receber como se de familiares nos tratássemos. Tivemos a oportunidade de conviver com a sua cultura a fundo, viver os seus hábitos, seguir as suas rotinas, comer as suas comidas e habitar as suas casas, com salas amplas e sofás ao longo de toda a parede. Viajámos por vários locais, sempre de carro, visitámos as lojas mais maravilhosas (a nossa casa tem, naturalmente, bastante influência marroquina), percorremos as feiras e os locais históricos. Comprámos tapetes, candeeiros, chás, brincos e roupa, entre outras coisas. Fumámos xixá e ainda tivemos a oportunidade de passar dois dias num hotel luxuoso, sem pagar um tostãozinho, porque o irmão da nossa amiga era o Director, na zona mais turística, Agadir. Cheirámos Marraquexe e conhecemos El Jadida de lés a lés, onde se pode visitar a cidade portuguesa e perceber a nossa influência por aqueles lados. Também vimos locais feios, sujos e pobres, como em todo o lado. Mas a beleza de umas férias tão profundas suplantou estas imagens. Sem dúvida, uma das viagens da minha vida. A repetir.

6 de janeiro de 2012

Dos dramas femininos



Deitar com o cabelo normalzinho e acordar com o aspecto de uma muito má permantente dos anos 80. Eu. Hoje de manhã. Caramba, que ter cabelo com vida própria é tramado.

5 de janeiro de 2012

Estão a ver as resoluções de ano novo e os desejos típicos de saúde, alegria e realizações e bla bla bla? Esqueçam tudo. Ou então anda alguém lá em cima com vontadinha de me chatear. É que o meu principal desejo no que à minha pessoa diz respeito foi, ao contrário do que vivi no ano anterior, ter muita saúde, para dar e vender e nos últimos dias bati já duas vezes com os costados nas urgências e os médicos nem se decidem quanto ao que tenho - ora é uma faringite, ora é uma virose, ora o raios te par&/%65m que ando há mais de duas semanas com uma febre maldita (que me tira as forças e a disposição) náuseas, falta de apetite (este não me importo de manter, que nunca tive a boca tão bem fechadinha), suores nocturnos, tonturas e dores musculares (no fim-de-semana até coxeava). Já tomei antibiótico, anti-histamínico, antipirético, analgésico etc, etc e continuo na mesminha. Se não estou a tremer de frio e de febre, estou a morrer de calor, com bochechas de saloinha e a despir-me que nem uma louca. E eu odeio andar assim. Ao contrário de uma considerável parte da população, prefiro mil vezes trabalhar e estar bem, cheia de energia e hiperactiva, as usual. Resta-me aproveitar o carinho da família que me conseguiu dar cabo da bateria dos dois telemóveis num instante com tantos e tantos telefonemas ;-)

2 de janeiro de 2012

Just for girls - Saldos


Também eu dei o meu saltinho aos saldos, embora os deteste, por natureza. Não os preços, óbvio, mas a confusão, o caos, a desarrumação, as filas e os tamanhos (sim, que os que eu uso, são os que desaparecem primeiro) e as expectativas furadas. Mas lá ganhei coragem, já que este é um ano de grandes restrições e pouco dinheiro e fui até ao Dolce Vita tejo (onde não tinha ido ainda e onde não conto voltar nos próximos anos, que eu não gosto de grandes confusões) e aproveitei para visitar a tão referenciada Primark, que ainda não conhecia e onde tive o prazer de me cruzar com a Fanny, o Sr. Fernando, o bigode deste, a esposa, um guarda-costas e mais uns quantos elementos. Saí do shopping com apenas três vestidos (dois da Mango e um da Primark, mas deste não consegui imagem) todos baratíssimos (menos de 20€ cada - o da direita custou apenas 12€) e um gel para os olhos da body shop. E chega, que tenho para mim que o problema dos saldos é que as pessoas compram o que precisam, o que não precisam, o que não lhes fica bem, o que não lhes serve e mais alguma coisinha, encantadas com os preços e incapazes de fazerem as contas ao total. Se eu precisava deles? Não, mas são giros, baratos, não me estiquei demasiado e ficam-me mesmo bem - e todos sabemos o bem que estes mimos fazem às mulheres. E agora, fechei a carteira até novas estações.

1.ª Resolução de ano novo

Escrever mais, muito mais. Por vezes quase me esqueço do prazer que retiro da escrita...mas este ano será diferente!