11 de janeiro de 2012

Do desemprego...

Depois de, no ano passado, ter vivido cerca de 7 meses num casa-descasa com o meu trabalho, perante a possibilidade de o perder após o dia 31 de Agosto, em Setembro veio a boa nova da continuação, supostamente, por mais dois anos, mais coisa menos coisa. Mas isto de trabalhar para o estado sem ser funcionária pública tem destas coisas e cheira-me que, a qualquer momento, irei mesmo parar ao desemprego. Eu, que trabalho desde os 16 anos, sem nunca ter parado de estudar e que aos 24 fui viver sozinha, sem depender de ninguém. Eu que, mais do que as 35h horas contratuais, vivo no trabalho e trabalho em casa. Eu que gosto do que faço e o faço com todo o gosto. Eu que invisto, que inovo, que faço mais do que o que é esperado e que o faço com um sorriso.
Até ao momento, vivi apenas cerca de mês e meio desempregada e foi o descalabro total, para alguém tão habituado a uma vida cheia, exigente e com muito trabalho. Esperam-se dias difíceis, num ano tão cheio de nada...É caso para pensar "Maria Bê":
A vida continua, mesmo quando parece que um caminho termina, há apenas outro à espera de ser descoberto. Ou pelo menos, assim o espero.

17 comentários:

  1. Bê iniciei o ano no desemprego. Mas tenho um lema: "Quando se fecha uma porta, abre-se sempre um portão!".

    Muita saúde, que isso é que é importante!!! :)

    ResponderEliminar
  2. Bê iniciei o ano no desemprego. Mas tenho um lema: "Quando se fecha uma porta, abre-se sempre um portão!".

    Muita saúde, que isso é que é importante!!! :)

    ResponderEliminar
  3. Tenho a certeza que tudo vai correr pelo melhor... :)


    Agora, trata mazé de ficar boa, oki?! ;)

    ResponderEliminar
  4. Não vale a pena chorar o mal antes de ele acontecer. Pode ser que não vás para o desemprego. Pode ser que vás e arranjes algo ainda melhor. Boa sorte.

    ResponderEliminar
  5. Compreendo-te perfeitamente.
    Eu estou numa fase que estou a passra por algo identico, de tal forma que nem sei se para o ano, por esta altura terei trabalho... :/

    enfim há qye olhar o lado positivo da coisa, e é como a Miss Blue Eyes diz: 'Quando se fecha uma porta, abre-se sempre um portao'.

    Beijinhos e Boa Sorte

    ResponderEliminar
  6. eu comecei agora a minha fase de emprego. nada de muito fixo, nada de espetacular, mas é o primeiro emprego e, apesar de tudo, há que saber valorizar. boa sorte *

    ResponderEliminar
  7. Te mandei um e-mail, vc viu? Venham pra cá passar uns dias para sentir o Brasil! Tem uma ex-colega nossa, nò vou mencionar o nome sem antes falar com ela, acho deselegante. Me escreveu igualzinho a vc, diferente de ser solteira. Esta se organizando para vir para minha casa e dps ir até o RJ e ver se gostaria de fazer a vida aqui. Embora vc nào goste do calor, eu acho que vc e o P iam amar morar aqui e sua família adoraria ter uma casa para passar férias. Arrumem "milhas", casa vcs já têm!
    No mais, tenho tentado dramatizar menos e viver o que temos: que é o aqui e agora. Experimente! Tudo vai dar certo e se ainda nào deu é porque ainda nào chegou o fim.
    Mil beijos carinhosos!

    ResponderEliminar
  8. Já te leio há muito tempo. Antes de ter blogues. Portanto, sei perfeitamente a pessoa positiva que és. A paixão que tens pela tua profissão. a dedicação. Só te digo: vais conseguir, tenho a certeza. Manter esse não sabemos, mas até pode ser que sim. E com a experiência que tens, vais conseguir. És diferente,*

    ResponderEliminar
  9. Revi-me no que escreveste, mas com a agravante que desde agosto que não recebo nada, pq o sitio onde trabalhava não abriu ainda insolvencia,e por isso não tenho direito ao subsideo ainda. e com uma casa para pagar...so sad...

    ResponderEliminar
  10. Ai Bê, como esta insegurança me deixa triste. Ver pessoas com tanto valor a serem colocadas de parte todos os dias... Apenas te desejo muita sorte e que tudo corra pelo melhor para ti. Bjs

    ResponderEliminar
  11. É preciso muita força para enfrentar a vida sem saber se estamos seguras de ter trabalho. :/

    ResponderEliminar
  12. Também tenho estado no mesmo dilema... Eu, espatifada que ando por tanto gostar de trabalhar, dou por mim a olhar para a vida como uma página em branco. Pergunto-me de que me serve esfolar-me viva e ver-me mal de saúde numa luta constante de ver reconhecido algum mérito do meu trabalho. Durmo mal. Como mal. E, embora tenha lutado com unhas e dentes para conseguir a bolsa, sinto-me desanimada com tudo. Infelizmente, nestas coisas não é apenas a nossa vontade que dita a sorte.

    Vou voltar ao meu retiro intelectual... Tenho 2 trabalhos para entregar até dia 20 e o cérebro recusa-se a trazer-me as palavras :/.

    Trata de ti. A saúde é que é importante (não falo por mim :/)... :)!

    ResponderEliminar
  13. Também tenho estado no mesmo dilema... Eu, espatifada que ando por tanto gostar de trabalhar, dou por mim a olhar para a vida como uma página em branco. Pergunto-me de que me serve esfolar-me viva e ver-me mal de saúde numa luta constante de ver reconhecido algum mérito do meu trabalho. Durmo mal. Como mal. E, embora tenha lutado com unhas e dentes para conseguir a bolsa, sinto-me desanimada com tudo. Infelizmente, nestas coisas não é apenas a nossa vontade que dita a sorte.

    Vou voltar ao meu retiro intelectual... Tenho 2 trabalhos para entregar até dia 20 e o cérebro recusa-se a trazer-me as palavras :/.

    Trata de ti. A saúde é que é importante (não falo por mim :/)... :)!

    ResponderEliminar
  14. Nem me fales deste assunto. 2011 foi para esquecer!!!

    ResponderEliminar
  15. Que tudo te corra pelo melhor querida, beijinho enorme

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins