27 de fevereiro de 2012

O melhor dos óscares!

Trazia-o comigo para casa na hora. Quais vestidos, penteados, jóias e afins. Este menino, fofinho que só ele, arrebatou-me o coração!

25 de fevereiro de 2012

18 de fevereiro de 2012

Do Carnaval

Eu não sou nada carnavaleira. Nunca gostei de grandes confusões, das bisnagas, dos ovos e afins. Das guerras de balões de água, dos quais fugia a sete pés. E ainda hoje sofro ao lembrar-me do dia em que cheguei a casa achando que a minha mãe me iria obrigar a ficar na rua até não sobrar nenhum grãozinho da farinha de um pacote inteiro que um chico esperto me despejou pela cabeça a baixo e pelo nariz a dentro.
Mas depois cresci e comecei a ver a coisa com outros olhos e a fazer o meu próprio carnaval. Por isso, hoje à noite, temos jantar de máscaras cá no Cantinho. Muita comida, muita bebida e muitos sorrisos. Os balões, a farinha e os ovos ficam à porta. A boa disposição reinará cá dentro.
Um bom carnaval para todos.

17 de fevereiro de 2012

Minha querida Mango, estás perdoada.


Depois de há uns tempos atrás ter deitado abaixo aquela que foi, quase desde sempre, a minha loja favorita, confesso que, com esta colecção, fiquei conquistada novamente. Estas foram as pecinhas que vieram comigo para casa (coisa pouca que ando poupadinha):
                                           
Mas muitas mais teriam vindo, caso não me soubesse controlar (a muito custo). E a Kate Moss está linda de morrer no novo catálogo.

14 de fevereiro de 2012

Valentine's day...

E por mais pirosinho que possa ser este dia, quando temos A pessoa certa ao nosso lado, A nossa pessoa, é difícil resistirmos ao miminho especial...

13 de fevereiro de 2012

A que me conhece verdadeiramente bem...

A amiga que me conhece verdadeiramente bem é aquela que sabe que me pode dizer que está grávida, porque eu irei partilhar a sua felicidade emocionada. Que sabe que me pode convidar para comprar o enxoval do bebé, porque eu irei entusiasmada e cheia de ideias. Que me pede conselhos sobre o nome, porque eu dou, feliz por ser tida em consideração. A que me conhece verdadeiramente bem sabe que eu vou acompanhar cada etapa, cada momento, cada sorriso, cada ansiedade, como se fossem meus.
As amigas que não o sabem, já o deviam saber. Porque posso estar a passar por esta batalha ingrata, de mais de 4 anos, mas as vossas conquistas são minhas também e irei ser a melhor e mais babada das tias, para todos os meus sobrinhos lindos.
A caminho vem a A. e eu já a tenho como sendo um pouco minha e estou desejosa de a receber, lá para junho.

10 de fevereiro de 2012

Das modas que eu gosto

Os americanos já nos mostram isto há anos, nos filmes e séries de escritórios de advogados e afins e eu aderi há já muito tempo atrás, a esta moda de levar a comidinha de casa para o trabalho, que até parece só agora ter chegado a Portugal. Comida de confiança, baratinha e sempre ao meu gosto. Já trabalhei em locais mais adaptados, com cozinhas, microondas e mesa de refeições e noutros menos ajeitados, como a escola onde estou agora, mas o mercado oferece-nos alternativas muito simpáticas (como a marmita com duas caixas para a comidinha, de onde se pode comer directamente). Neste momento não temos microondas, por isso aposto em comida que se come bem morna ou fria: saladas, alguns legumes, pratos de atum ou salsichas de soja, carnes frias, etc - mais uma peça de fruta ou gelatina e faço uma refeição bem saudável, que me permite escapar às pataniscas com arroz e ao chili (a comida de hoje, no bar dos professores...). É tudo uma questão de imaginação e o bolso, ao fim do mês, agradece. Como sem filas, confusão, stress e ainda fico com tempo para uma boa caminhada antes de regressar ao trabalho. Aconselho! 

6 de fevereiro de 2012

Dizem que:

O pior cego é aquele que não quer ver. Pois para mim, pior são todos os que pensam que os outros são cegos e não os topam. É que tiram-me mesmo do sério.



Eu posso até parecer distraída - e em certas coisas até o sou, em demasia - mas quando quero, sou muito muito atenta...

3 de fevereiro de 2012

Das cartas...

Tenho uma caixa bem cheia de cartas de amor, que o P. me escreveu quando foi para a Alemanha, durante 5 meses. Foram as cartas que me alimentaram durante esse tempo em que a saudade quase me consumia a alma. Que me ajudaram a manter a serenidade que podia ter-se evaporado por causa dos milhares de km que nos separavam. Que me permitiram receber muito do seu amor a cada palavra, a cada linha e perceber o quanto eu lhe fazia falta - tal como ele a mim. Porque além do telefone e da internet, ele entregava o seu coração em cada uma dessas cartas, que eu guardo como se de uma jóia se tratassem, porque para mim, é isso que são e não têm qualquer preço. São as cartas que espero, um dia, poder mostrar aos meus filhos, sobrinhos e netos, para que saibam que este sentimento que nos une ultrapassa qualquer barreira, mesmo a da distância, tão difícil de aguentar. Ele guarda também as minhas algures, assim como folhas e folhas de papel, escritas com as mensagens que eu lhe enviava para o velhinho telemóvel, sem capacidade para guardar tantas palavras. Eu guardo o meu velhinho telemóvel, porque está carregado com tantas e tão belas mensagens de amor.
Hoje não escrevemos cartas, mas muitos postais e bilhetes que espalhamos pela casa, com mensagens cheias de significado. E o que eu gosto destes registos assim, no papel, tão mais românticos...Porque em algumas coisas, ainda sou uma menina à antiga. E esta é uma delas... 

Uma rapariga de sorte...

Enquanto que as meninas (quase) todas têm uma bimby, que faz cozinhados maravilhosos, bolos deliciosos, sopas cremosas, sumos e um sei lá de coisas óptimas, eu tenho um P. que faz tudo isso e muito mais. Temos cozinheiro!



Ou como eu sou uma rapariga de sorte porque me calhou o pacote completo!

2 de fevereiro de 2012

Ajudinha, por favor?

Aos que têm um íconzinho todo fofo (essa coisa se seu nome favicon) e relacionado com o blog, em vez desta letrinha do bloguer - como é que essa coisa se faz?? Expliquem-me como se eu tivesse 7 anos, que desde que o bloguer mudou o esquema todo, ainda não me pacifiquei com ele.
Agradecida!

1 de fevereiro de 2012

Pois...

Vou cortar a franja. Provavelmente amanhã voltarei aqui, para vos contar como estou arrependida...

Porque acontece sempre, mas nem assim aprendo. Quando meto na cabeça que tenho que mudar alguma coisa em mim, não descanso enquanto não o faço acontecer...