31 de março de 2012

Bom fim-de-semana!

E os planos para hoje incluem uma visitinha ao Chiado, uma das minhas zonas favoritas de Lisboa, compras e um jantar com amigos, cá em casa, daqueles que se prolongam pela noite dentro. Parece que pelo meio teremos um jogo do Porto e um do Benfica, mas isso são meros detalhes.

A todos, um bom fim-de-semana, cheio de sorrisos!

30 de março de 2012

E durante as próximas..vá...horas...

Não liguem ao que se passa por aqui. Apesar de lá fora mais parecer que o outono chegou, um pouquinho fora de horas, este blog está em experiências profundas, à procura de um outfit primaveril.

...

Quase 1h depois - já perdi a conta aos backgrounds experimentados e já estou quase quase a perder a paciência com a coisa...

29 de março de 2012

Dos comentadores

"Medicina reprodutiva é contrariar a selcção natural darwiniana que originou o apuramento e a evolução das espécies na Terra" Silva, in Diário de Notícias on line

"Casais inférteis subsidiados ou não, com a ajuda preciosa dos médicos da reprodução, estão a fazer acumular erros e defeitos genéticos na população e a condenar o futuro da Humanidade à doença e à extinção" Vol, idem.

Comentários a esta notícia aqui.

Eu já sabia que 90% das pessoas que comentam notícias on line são verdadeiros idiotas, que pensam saber comentar sobre tudo e sobre todos. Já várias vezes me irritei, incrédula com tantas barbaridades ignorantes que se vão lendo. Mas estes comentários ultrapassam qualquer capacidade minha de poder entender que por trás de tais palavras estão dois seres acéfalos que provavelmente acreditam no que escrevem. Este é um tema que me é particularmente importante - não a questão das taxas moderadoras, que quanto a mim são irrisórias, mas a questão dos avanços da medicina que permitem que casais com problemas de infertilidade possam ter uma mão científica a ajudá-los a concretizar o sonho de ser pais. E eu vivo há quatro anos com fé nesta área da medicina e agradecida, todos os dias da minha vida, por todos os casos de sucesso de que vou tendo conhecimento, mesmo que o meu possa nunca o ser.
No fundo, o que mais me surpreende, é a minha capacidade de ainda me deixar surpreender com tamanha ignorância maliciosa.

28 de março de 2012

Tobias...

 O Gordo
No seu lugar à mesa, à nossa espera para mais uma refeição
 Ao sol, numa das suas posições, sempre diferentes

Shop shop...

E porque ando com vontade de ter umas desde que as vi pela primeira vez, aqui estão as minhas novas skinny jeans. Da próxima não me escapam as verde água, mesmo correndo o risco de andar vestida igual a todas as meninas por esse país fora. Simplesmente adoro a tendência das calças em tons pastel. Estas são de um rosa muito muito claro e foram compradas na Stradivarius. E caem maravilhosamente bem - já tinha comprado umas pretas há mais tempo e não há quem não me elogie o rabiosque. Como se quer ;-)

27 de março de 2012

Das modas que eu não gosto

E depois das Litas, vai daí que a marca JC lança estes meninos aqui - uma versão mais arejada, igualmente cara, pavorosa e dragqueenesca. Pelo menos para mim e para os meus ricos pezinhos!

Melhores amigos


Há dias perguntava-me uma amiga, cheia de dúvidas incrédulas, se é suposto o nosso namorado/marido/companheiro ser o nosso melhor amigo. Sem ter que pensar mais de meio segundo respondi que não é suposto, mas que meu marido é, sem qualquer dúvida, o meu melhor amigo. E pensando no assunto, não consigo imaginar-me a sentir-me tão feliz e completa nesta relação se assim não fosse. Claro que tenho outros amigos e tenho amigas a quem conto coisas que não conto ao P. apenas porque não lhe interessam determinados assuntos, do foro feminino e nesses momentos, nada como uma mulher para nos compreender e aconselhar. Mas o P. sabe praticamente tudo sobre mim. Sabe o que é importante. Conhece-me como ninguém, conhece os meus sonhos, os meus receios, os meus objectivos, o que me irrita, o que me faz feliz. E quando algo me acontece, seja bom, mau, inesperado ou simplesmente estúpido, é ao P. que quero ligar na hora. Dele vêm os melhores e mais sábios conselhos, os olhares ajuizados e sinceros sobre o mundo que nos rodeia, as palavras interessadas de alguém que me quer todo o bem. E é alguém que sabe apontar os meus defeitos se for necessário, que me ajuda a ser uma pessoa melhor, dia após dia e que se preocupa comigo a todo o momento. Por isso, pode até nem ser suposto, pode até nem ser habitual, mas eu vivo com o meu melhor amigo e acho que tenho uma sorte danada que assim seja.

24 de março de 2012

Vizinhos famosos


Vizinho da minha sogra, vejam só. E só o soubemos depois de se mudar. Uma pena!

Ser reconhecida

E porque às vezes o nosso esforço, o nosso amor pela camisola, o nosso sentido de responsabilidade e de entrega total, são recompensados, aqui a Maria Bê foi premiada com a melhor avaliação de toda a equipa. E (quase) todos os colegas me deram parabéns sinceros e mostraram que o merecia, mesmo quando eu me debatia com a dúvida da justiça da atribuição. Fui a última a sabê-lo e a primeira a duvidar. Sinto que não seria a única a merecê-lo, mas não posso negar que a sensação é muito boa.

23 de março de 2012

Das modas que eu gosto


Sabrinas. Sou uma verdadeira fã. Eu, que sempre fui loucamente viciada em saltos altos, tão sensualmente elegantes. Costumava brincar  dizendo que facilmente correria atrás de um autocarro de saltos altos, sem perder a pose. Aguentava dias inteiros, com vários cm debaixo dos meus pezinhos, sempre a um ritmo louco. Mas desde que fui operada, fui descobrindo, aos poucos, as maravilhas de andar tão deliciosamente confortável e nem por isso menos feminina. Os saltos altos são mais tchan-nan, sem dúvida, mas ao ritmo que a minha vida anda, é cada vez mais raro o dia em que os escolho para companhia. Deixo-os sobretudo para os dias mais formais no trabalho e para as saídas à noite. Quanto às sabrinas...se continuar assim, não tardo a ter um par de cada cor. E as minhas costas ainda agradecem a atenção.

20 de março de 2012

A crueldade kármica do universo

Cada vez tenho menos pachorra para as pessoas que veem o copo meio vazio, que vivem cercadas de dramas psicológicos e que se agarram a cada queda como prova incontornável da crueldade kármica do universo. Pessoas incapazes de avaliar o que estão a fazer de mal, mas sempre prontas a apontar as faltas dos outros e as garras cruéis da injustiça divina. Pessoas centradas em si, nos seus dramas e nos seus problemas, que esperam soluções por parte dos outros, mas que se revelam incapazes de as procurar e de lutar por elas. Pessoas que deixam de ouvir o outro, apenas se ouvem a si próprias e que esperam que todos façam o mesmo.  E não me estou a referir a pessoas com dramas reais, mas sim àquelas que não os tendo, os conseguem inventar a cada vírgula do seu dia-a-dia…

19 de março de 2012

O teu dia

"Recordo-me de ti, num tempo já muito distante e da forma como a tua arte dominava a minha infância e a nossa vivência. Recordo-me, numa memória já algo amarelecida pelo tempo, das longas viagens de carro, para irmos almoçar a sítios diferentes. Recordo-me de uma viagem ao Algarve, de um almoço em Sagres e de uma música que marca essa lembrança. Recordo-me das prendas com que nos brindavas, por vezes na tentativa de compensar alguma ausência justificada. Recordo-me de ter medo de te perder, mas de nunca o ter partilhado, numa fase mais complicada da nossa vida. Recordo-me de longos períodos sem ti e de alguma distância se ter instalado entre nós os dois. Deixaste de me conhecer e eu a ti. Mas depois, tudo mudou. Regressaste, pudemos viver juntos e conhecer melhor cada um de nós. Recordo-me das viagens longas, que se tornaram um ritual, pela estrada gelada das terras espanholas, a caminho dos Pirinéus carregados de neve e nós, carregados de sorrisos. Recordo-me de te redescobrir e de gostar mais e mais de ti. Tornaste-te presente e um grande suporte na minha vida, mesmo que não o saibas. Porque, tal como tu, sou parca em palavras emocionais e sentimentalistas, nesta nossa relação. Estiveste ao meu lado em momentos difíceis e amparaste os meus ombros e as minhas quedas, quando mais ninguém o fez. Deixaste-me encher a casa de gatos e cães, cúmplice do meu amor pelos animais e cuidaste deles com tanto zelo quanto eu. Confiaste em mim, nas minhas capacidades e deste-me força para lutar pelo meu futuro. Esperaste por mim, tantas e tantas noites, à porta das discotecas, como forma de garantires que eu chegaria em segurança a casa. Não criticaste os meus erros, antes partilhaste comigo os teus, ajudando-me a encontrar as respostas certas e a compreender as partidas que fazem parte do crescimento de qualquer adolescente. Ouviste os meus desabafos e aprendeste a desabafar comigo. Fizeste com que crescesse mais rápido no tempo. Foste sincero quando precisei e carinhoso nos momentos difíceis. Já discutimos muito, mas também já conversámos horas a fio, já rimos juntos, já chorámos juntos e já demos as mãos em silêncio, como forma de partilha de amor e carinho. Espero poder ser para ti tudo e mais ainda do que tu és para mim. Mesmo sabendo que às vezes falho como filha..."


Escrito e partilhado algures em 2009 e tão verdadeiro nessa altura como hoje. Porque a cada dia que passa me sinto mais próxima e parte de ti...Obrigada pai, por tudo.

7 de março de 2012

Gatos terapêuticos =^._.^=

Chego a casa. Cansada emocional, física e gastricamente (comi muita porcaria hoje - os níveis de stress são proporcionais à minha necessidade de me enfardar com bolachas, chocolates e coisas assim). Os saltos altos magoam-me os pés cansados dos km que percorrem nos poucos metros que constituem as instalações onde trabalho. O cabelo está vergonhosamente desalinhado e a saia que escolhi parece estar prestes a subir até à anca  enquanto as collants me querem fugir pelo rabo abaixo (acho que engordei ao longo do dia, para ajudar à festa). Estou com um projecto muito exigente no trabalho, a par de todas as outras responsabilidades que se acumulam e ainda tenho que levar com colegas fogem descaradamente das suas responsabilidades.
A minha avó continua internada à espera de uma cirurgia que todos os dias é adiada. A minha sogra foi ao hospital para fazer um exame e ficou internada para ser operada amanhã. O humor aqui em casa está pelas horas da morte. Ao meu lado tenho um dossier carregado de trabalho que quero e vou terminar hoje, se o vírus que se me instalou no pc não me der cabo de tudo. E dois gatos, um de cada lado, que me observam com um olhar de plena adoração, enquanto ronronam e pedem festinhas com as suas patas silenciosas e almofadadas. O dia estava a ser daqueles, bem maus, mas estes meus amigos patudos conseguem colocar-me logo um sorriso feliz na cara. E só quem os tem sabe do que estou a escrever.

4 de março de 2012

O futebol, os homens e a idade...

 Guardiola antes...
Guardiola depois - Guapíssimo! Gatão. Giro, giro, giro!

 Mourinho antes...perdido algures entre os anos 80 e o sporting...

Mourinho actualmente. Cheio de qualquer coisa...!



Isto apenas para reforçar: Homens, não tenham medo de envelhecer. Se o souberem fazer, fica-vos tão bem!

3 de março de 2012

Dos obstáculos improváveis...

E quando achamos que agora é que é, que está tudo bem encaminhado, que os problemas ficaram para trás e já quase nos sentimos invadir pela ansiedade feliz e que nada nos pode prejudicar, que caminhamos na direcção do nosso maior desejo, a vida prega-nos mais uma partida daquelas, quase impossível de acreditar. E por incrível que pareça, conseguimos enfrentar os obstáculos sempre com determinação e uma calma inabalável. Por sorte, somos os dois muito parecidos e andamos sempre lado a lado.
E hoje já sorrimos, já rimos um com o outro, já nos abraçámos e conversámos muito.É isso que nos permite sermos felizes, mesmo quando nem todos os nossos sonhos se concretizam.


PS: desculpem-me os que me têm enviado e-mails, mas neste momento não tenho tido capacidade de resposta. Prometo compensar-vos.