19 de março de 2012

O teu dia

"Recordo-me de ti, num tempo já muito distante e da forma como a tua arte dominava a minha infância e a nossa vivência. Recordo-me, numa memória já algo amarelecida pelo tempo, das longas viagens de carro, para irmos almoçar a sítios diferentes. Recordo-me de uma viagem ao Algarve, de um almoço em Sagres e de uma música que marca essa lembrança. Recordo-me das prendas com que nos brindavas, por vezes na tentativa de compensar alguma ausência justificada. Recordo-me de ter medo de te perder, mas de nunca o ter partilhado, numa fase mais complicada da nossa vida. Recordo-me de longos períodos sem ti e de alguma distância se ter instalado entre nós os dois. Deixaste de me conhecer e eu a ti. Mas depois, tudo mudou. Regressaste, pudemos viver juntos e conhecer melhor cada um de nós. Recordo-me das viagens longas, que se tornaram um ritual, pela estrada gelada das terras espanholas, a caminho dos Pirinéus carregados de neve e nós, carregados de sorrisos. Recordo-me de te redescobrir e de gostar mais e mais de ti. Tornaste-te presente e um grande suporte na minha vida, mesmo que não o saibas. Porque, tal como tu, sou parca em palavras emocionais e sentimentalistas, nesta nossa relação. Estiveste ao meu lado em momentos difíceis e amparaste os meus ombros e as minhas quedas, quando mais ninguém o fez. Deixaste-me encher a casa de gatos e cães, cúmplice do meu amor pelos animais e cuidaste deles com tanto zelo quanto eu. Confiaste em mim, nas minhas capacidades e deste-me força para lutar pelo meu futuro. Esperaste por mim, tantas e tantas noites, à porta das discotecas, como forma de garantires que eu chegaria em segurança a casa. Não criticaste os meus erros, antes partilhaste comigo os teus, ajudando-me a encontrar as respostas certas e a compreender as partidas que fazem parte do crescimento de qualquer adolescente. Ouviste os meus desabafos e aprendeste a desabafar comigo. Fizeste com que crescesse mais rápido no tempo. Foste sincero quando precisei e carinhoso nos momentos difíceis. Já discutimos muito, mas também já conversámos horas a fio, já rimos juntos, já chorámos juntos e já demos as mãos em silêncio, como forma de partilha de amor e carinho. Espero poder ser para ti tudo e mais ainda do que tu és para mim. Mesmo sabendo que às vezes falho como filha..."


Escrito e partilhado algures em 2009 e tão verdadeiro nessa altura como hoje. Porque a cada dia que passa me sinto mais próxima e parte de ti...Obrigada pai, por tudo.

10 comentários:

  1. Fantástico ! Texto sentido :) Como é bom este amor especial e diferente!!
    É bom haver essa cumplicidade, mesmo com o passar dos anos.

    Um beijinho, Telma

    ResponderEliminar
  2. Olá, desafiamos-te a escrever uma história para fazer parte do nosso livro. Estamos mesmo mesmo a começar, faz parte deste projecto ♥

    ResponderEliminar
  3. Olá, desafiamos-te a escrever uma história para fazer parte do nosso livro. Estamos mesmo mesmo a começar, faz parte deste projecto ♥

    ResponderEliminar
  4. E lembro-me tão bem de ler isto querida Bê... beijo enorme.

    ResponderEliminar
  5. que lindo :D que se mantenham sempre mais e melhores :D beijinho

    ResponderEliminar
  6. Palavras tão bonitas!
    Acabaste de me dar uma ideia para uma rubrica nova no meu blog..."Directamente do coração".
    Beijinho para ti. :)

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins