2 de abril de 2012

Aborrece-me...

Aborrece-me que não me possa queixar dos kg que sei que tenho a mais, porque logo cai em cima de mim uma alminha mais anafadinha do que eu, que me trata como se eu fosse louca, mentirosa, ou estivesse à procura do elogio fácil. Nada disso. Acontece que eu, não sendo gorda, tenho a sorte de ter uma estatura mediana e alguma noção de estética no que ao vestuário diz respeito, que me permite disfarçar aquelas zonas mais inglórias - no meu caso a zona lombar e barriga (por algum azar cósmico, nunca vai nada para as mamocas). Assim sendo, nada de camisolas justas ou calças apertadas na cintura. Nada de saias curtas, a mostrar a celulite. Ou os calçõezinhos da moda que eu tanto gosto, mas que apenas uso quando posso usar umas collants opacas. Haja bom senso. Ora como tenho algum cuidado com o que visto e disfarço bem o que tenho a mais (que sei que tenho a mais e o P. concorda que tenho a mais e ele sabe melhor do que ninguém porque me vê de todas as maneiras e feitios) não posso nunca participar nas conversas das meninas do trabalho, só porque sou a mais magra. Não sendo magra. Tenho que ficar caladinha a ouvir as suas choraminguices. As queixas de que os namorados controlam o que comem. De que as calças favoritas deixaram de servir. E ninguém me leva a sério quando me queixo que comi um croissant que seguiu directamente para as ancas (até o sinto a baloiçar, enquanto arranja o seu espaço), ou quando refiro que tenho que ir fazer a minha caminhada, porque ando a ter mais cuidados e o exercício físico faz agora parte da  minha rotina semanal. Ou que o biquini de há dois anos, que adoro, deixou de me servir e que já não uso aquela camisola que tanto gostam, porque me expunha as carnes. Chateia, porque uma pessoa não tem que ser necessariamente gorda, para ter peso a mais. E eu ganhei cerca de 10 kg nos últimos 8 anos e se há 10 kg atrás eu tinha peso a menos, que tinha, agora tenho a mais. No meio termo é que está o meu peso ideal - não de acordo com tabelas que me parecem sempre um exagero, mas de acordo com  o que preciso para me sentir mesmo bem comigo mesma. Não tenho culpa que as restantes (de que eu gosto muito, mas que não me deixam queixar-me como quero e preciso, caramba) tenham kg a mais e nenhum cuidado para os perder. E por isso hoje fica aqui o meu silencioso grito de revolta. A revolta de uma moça mediana na estatura e no peso, mas que precisa de se re equilibrar.

12 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  12. Olá, Bê. Este post poderia ter sido escrito por mim. As minhas colegas também me "caem em cima" quando digo que estou com uns quilos a mais, simplesmente porque sou a mais magra. Mas quando não tenho o meu peso indicado não me sinto bem. E isso é o mais importante.

    Por isso, tens aqui alguém que te compreende :)

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins