31 de agosto de 2012

Bom dia!


A família do Cantinho deseja a todos os seus leitores uma óptima sexta-feira e um excelente fim-de-semana, cheio de sorrisos. O nosso vai ser dividido entre muito amor e muito amasso, churrascadas com amigos e, no domingo, concerto dos Bush, com sabor a adolescência.

30 de agosto de 2012

Dramas femininos

No lugar onde a Sílvia Alberto tem um sinal tremendamente sexy, eu tenho uma cabra de uma borbulha horrosa, do tamanho do monte Evereste, que nem com BB cream e erase paste consigo disfarçar. Truques meninas, preciso de truques, mezinhas, magia, o que for, para fazer esta cabra desta borbulha desaparecer antes do fim de semana, que será de festarola boa, churrascadas e concertos. Agradecida!

Mal posso esperar Kenzinho




É já dia 18 de Setembro que chega o mais recente livro e 2.º volume de uma trilogia (O Século), do escritor Ken Follett. Vão ser muitas páginas de puro prazer, tenho a certezinha!

29 de agosto de 2012

Sabemos que o universo conspira furiosamente contra nós...

Quando fugimos para casa a meio de um dia de trabalho porque fomos atacados por uma virose gastrointestinal qualquer que alapou em nós que nem carraça e descobrimos que só temos meio rolinho de papel higiénico (vá lá que é do Lidl) e absolutamente nenhum ultra-levur. Ninguém merece...

Das marcas


Uma das coisas que tento privilegiar na escolha de um produto de beleza é o facto de não ser testado em animais e nas minhas pesquisas encontrei sites interessantes e informativos sobre várias marcas. Partilho convosco uma pequena lista, para quem esteja interessado, realçando aquelas que fazem parte do meu ritual diário:
Avon Products, Inc.
Beiersdorf
The Body Shop
Chanel
Clarins of Paris
Clinique Laboratories

Dermalogica
Donna Karan Beauty Company
Estée Lauder
Eucerin
La Mer
LUSH Cosmetics
M.A.C. Cosmetics
Mary Kay
Nivea
Oriflame USA
Revlon
Urban Decay
Victoria’s Secret
The Wella Corporation

Com calmos passinhos de lã, vou sendo cada vez mais atenta a estas questões e esperam-se mudanças para os próximos tempos, com determinadas marcas a serem completamente proibidas cá em casa. 
Ainda tenho um longo caminho a percorrer, mas o que interessa é que o iniciei com a convicção de que é por uma causa merecida...

27 de agosto de 2012

Do facebook

Dizia-me ontem o P. que aproxima as pessoas que estão afastadas e afasta algumas mais próximas. E não é que é verdade...?

26 de agosto de 2012

Das modas que eu gosto






by Zara
 
A minha relação com a Zara vai sendo de amor-ódio. Peças que amo de paixão vs peças que nem que me pagassem o meu peso em ouro usaria. Mas estas camisolas aparentemente discretas, cujo destaque vai todinho para as costas são a minha cara. Gosto de peças assim, aparentemente casuais, mas bastante versáteis, que permitem uma combinação óptima de looks. E como não comprei os botins que mostrei em baixo, estas três (!) vieram viver comigo e estão bem guardadinhas à espera de dias mais fresquinhos. Sim, que uma mulher quando sabe que em breve vai ficar desempregada, corre sérios riscos de ir até ao shopping mais próximo e afogar as mágoas em compras. Pelo menos esta mulher que vos escreve, assim como uma colega de trabalho, gravidíssima e com as hormonas aos pulos. E agora vou guardar a carteira e tentar não espreitar mais nada nas novas colecções. Ou então rezo para que esteja tudo impregnado de tachas, padrão tigreza e cowboyadas.
 
Resto de um bom domingo, cheio de sorrisos!

O Cantinho está hoje de parabéns!




No início deste blog, há quatro anos atrás, escrevi isto:

Este meu blog, ou cantinho, como eu gosto de lhe chamar, está a correr sérios riscos de se tornar um diário. Não daqueles encadernados com capa grossa, cadeado e uma chave minúscula, mas, e acompanhando a evolução tecnológica, um digital, disponível a quem quer que, por mero acaso, ou não, venha parar à minha página. Mas sabe bem ter um espaço onde posso desabafar os devaneios da minha alma, mesmo que, pela sua forma e efeito, tenha que ser subtil e discreta.

Mal sabia eu que, quatro anos depois, ainda cá estaria e que ao longo deste tempo ia ganhar leitores, perder outros, conhecer pessoas novas e descobrir um novo mundo. Não imaginava o quanto iria partilhar de mim e o quanto poderia aprender com os que estão desse lado. No início, mesmo no início, tinha dois ou três comentários por post e foram esses mesmos comentadores que me foram dando força e vontade de continuar por aqui. Não vou dizer que não me interessa se me lêem ou não, se comentam ou não, porque a mim interessa-me muito e este blog passou a fazer ainda mais sentido por saber que desse lado há quem goste de me ler, de ler os meus disparates constantes, os meus pensamentos mais ou menos profundos, os meus receios e os meus sonhos. Já pensei tantas vezes fechar o blog e cheguei a distanciar-me durante muito tempo, mas se voltei sempre, foi por saber que há gente desse lado, que me dá força e alento, alegrias e sorrisos. Por isso, a todos os que ainda cá andam desde essa altura, os mais recentes e mesmo os que deixaram de cá vir, mas que deixaram uma marca aqui, para sempre, o meu obrigada por fazerem também parte deste Cantinho.

21 de agosto de 2012

Hoje é o dia!

Sabem aquela coisa de passarmos a vida a dizer que vamos avançar com determinado projecto e depois nunca chega o dia? Pois aqui a Maria Bê anda há anos a dizer que quer fazer trabalho voluntário. Sempre foi um objectivo de vida, que sei que será importante não só para judar os outros, mas também para crescer enquanto pessoa. Pois tudo muito lindinho, mas até nesta área do voluntariado as coisas não estão fáceis. Este ano enviei já candidaturas e e-mails e contactos até mais não e até agora, ninguém quis sequer responder a uma psicóloga com um jeito inato, pouco modesto e comprovado para crianças e animais, com alguma disponibilidade horária e muita, mas mesmo muita vontade de fazer algo de verdadeiramente importante e bom.
Mas hoje será o dia em que tudo muda. Notícias para breve!

20 de agosto de 2012

A saga continua

Continuando as minhas deprimentes pesquisas de anúncios de emprego em todos os sites da especialidade e deparando-me com exigências destas:

- Fluência escrita e falada em Italiano;
- Fluência escrita e falada em Inglês;
- Domínio de Alemão, Holandês ou Finlandês como terceiro idioma - valorizado;
- Licenciatura em Recursos Humanos, Psicologia ou Gestão (ou similar);
- Experiência profissional superior a 1 ano em Recrutamento & Selecção, ou noutra área dos Recursos Humanos;
- Experiência internacional (Erasmus, viagens, entre outras);
- Domínio das ferramentas do MS Office e Internet;
- Disponibilidade horária;
- Proactividade, capacidade de organização e de gestão de prioridades;
- Orientação para resultados e capacidade de trabalho;
- Capacidade de comunicação e de relacionamento interpessoal
...

gostava muito de conhecer o jovem génio multilingue, formado e viajado que conseguir este emprego. Tem todo o meu respeito.

Nota do dia

Depois de ontem dar um olhinho pela blogsfera e pelo facebook, chego à conclusão que sou a única alminha que por aqui anda que ainda nem sequer pegou no livro do momento, do qual todos falam -  e que não tenho qualquer interesse em ler - e que consegui viver até ao dia de hoje sem ouvir a música da Fanny e o vídeo onde também entra o Sr. Fernando. Sou, decididamente, uma mulher feliz.

19 de agosto de 2012

E o fim-de-semana foi assim...

Este fim-de-semana foi para recarregar baterias. Sábado não fiz absolutamente nada que não implicasse descansar no sofá, ler e namorar. Hoje foi dia de praia boa, mergulhos revigorantes no mar e muitos sorrisos cúmplices. Agora resta-me benzer-me que a época futebolística começou e o P. já anda aqui nos seus stresses e a falar comigo de futebol, de faltas e de foras de jogo como se eu percebesse muito da coisa. Mulheres, acabou o descanso! 

14 de agosto de 2012

Futlidades de uma lady

Pronto Zara, assim redimes-te. Só não acho muita piada ao preço, que a minha carteira não anda muito abonada. Mas como ofereço sempre um presentinho a mim mesma nas vésperas do meu aniversário, quem sabe, quem sabe...? Se alguém tiver visto algumas do género a menos de 50€ é favor avisar.
     
Contudo, enquanto dava uma vistinha na loja on line, deparei-me também com estas aqui e nem sei o que diga, o que pense, o que sinta...Ainda estou para aqui a piscar os olhos, que acho que estou a ver mal a coisa...

Nota

Não há coisinha mais terrivelmente deprimente do que pesquisar sites de emprego e perceber que:
a) somos demasiado velhos para a grande maioria dos empregos;
b) já não temos idade para começar por um estágio e, "se tudo correr bem", podermos ser integrados numa empresa;
c) nos dedicamos às áreas profissionais erradas e provavelmente assassinámos o nosso currículo nos últimos anos, apenas porque seguimos o coração e fazemos o que realmente gostamos;
d) ainda fomos gastar os últimos tostões de um pé de meia meio rotinho, para tirar um mestrado numa área sem grandes saídas;
e) não falamos a língua certa (tanto anúncio para a Alemanha e Holanda e afins e o meu alemão está tão morto e enterrado);
f) muito provavelmente nunca mais iremos ganhar o que ganhamos actualmente e que até nem é nada de mais...

E não vendo muito bem como resolver estas questões na iminência de perder  o emprego brevemente, não me resta grande coisa senão, ter M-E-D-O!

13 de agosto de 2012

Espero ficar rendida #3

Não partilhei convosco as imagens, mas depois de me ter rendido ao verniz de gel nas mãos, mais tarde fiz também nos pés*. Acabei por optar pela mesma cor (rosa vivo e com sabor a verão), considerando algumas das vossas sugestões e estou bem contente. Amanhã é dia de fazer manutenção nas mãos. Passaram três semanas e as unhas estão para lá de impecáveis, agora resta ver como está a própria unha em si. Como as minhas são já muito frágeis e andam sempre lascadas, não me considero uma boa referência para falar sobre as consequências. Considero sim que, por ter as unhas assim, vale bem a pena colocar este verniz, porque andam sempre bonitinhas e arranjadas ao invês de andarem com verniz, mas a lascar (vergonha!) ou sem verniz de todo, coisa que também não gosto. Mas,como não sou grande entendida de modas de unhas, venho mais uma vez pedir a vossa ajuda: as unhas francesas ainda se usam? A última vez que fiz foi há quatro anos, quando casei e estava com vontade de fazer agora uma coisa assim, mais discreta. Três semanas com um rosa forte nas mãos é coisa a que não estou habituada e acho que devo descansar um bocadinho os olhos. Outra dúvida: existe moda também nas unhas (cor,corte e afins), ou devemos fazer aquilo que gostamos e mais nada?


* eu até punha foto, mas acho os meus pés para lá de feios e ainda descobri, há bem pouco tempo - que tristeza - que tenho dois dedos gémeos, assim a dar para barbatana... :|

Porque um dia perdi o meu verão

Eu sempre fui uma pessoa de outono e de inverno. Gosto do frio cortante, da chuva copiosa, dos dias solarengos, mas gelados. Gosto das mantas grossas nos sofás e dos chás confortavelmente quentes. Gosto das castanhas assadas, embrulhadas em papel de jornal, saboreadas em longos passeios pelas ruas antigas de Lisboa. Gosto das comidas de inverno e do aroma perfumado dos bolos acabados de fazer. Gosto dos cheiros do inverno, da terra molhada e das roupas deliciosamente quentes. Gosto das trovoadas vigorosas e das lareiras acesas. Mas no ano passado eu perdi o meu verão. Passei parte dele a ansiar por uma operação urgente e a outra parte a recuperar da mesma. O sol brincava lá fora e eu azedava presa ao sofá, enredada em dores afiadas e indisposições persistentes. Todos iam para a praia ou de férias. Eu fazia férias entre a sala e o quarto, incapaz de dar muitos mais passos, cuidadosa para não me tornar um fardo incómodo, mas certa de que era a pior das companhias. Não houve praia, sol, areia, cheiros de verão. Foi um verão cinzento e triste. Salvaram-me os livros e a companhia carinhosa e sempre presente da Minha pessoa, o P.
Dizem que só damos verdadeiramente valor às coisas quando as perdemos e é bem verdade. Por isso eu, uma mulher de inverno, de frio e de chuva, estou a amar cada minuto deste verão, cada dia de sol, cada momento de calor que se me cola teimosamente na pele. Estou a adorar cada ida à praia, cada mergulho no mar e o sentimento de desprendimento leve que só o verão tem o dom de me incutir. Eu, que passava o verão todo acampada junto às ventoinhas ou debaixo de um qualquer ar condicionado, que não dormia sem sentir o fresco bem junto ao meu corpo, durmo agora sem precisar de adereços barulhentos. Habituei-me ao calor e agora, adoro cada minuto de cada estação do ano. Porque o perdi uma vez, agora quero usufruir de cada momento como se não houvesse amanhã,até ao último dia.

12 de agosto de 2012

E se...

E se tivessem que escolher ler um livro que já leram. Um livro que vos marcou a alma, que vos tocou nos sentidos, que se colou na vossa pele e vos deixou a sonhar. Que vos tenha dado uma vontade imensa de o esquecerem, para terem o mesmo prazer de o reler novamente, como se da primeira vez se tratasse. Qual escolhiam?
Eu vou (re)ler um, que já descansa aqui ao meu lado, na sua ânsia de ser redescoberto. Um dos livros da minha vida: O amor nos tempos de cólera do Grande Grande Gabriel Garcia Máquez.



Seguir-se-ão outros, com certeza. E ainda bem que assim é.

11 de agosto de 2012

Coisinhas da moda que eu não usaria nem que me pagassem o meu peso em ouro

Os botins da discórdia. Para mim, o susto das novas colecções. Juro que quando os vi a primeira vez à venda, pensei que me tinha esquecido das lentes em casa e não estava a ver bem. Depois fiquei nervosa e com vontade de fugir da nova colecção para sempre, recesosa de me dar a travadinha e sair dali com uma qualquer peça dentro deste género. Ah, e também há em preto, mas não melhora nada.
Se há meninas que gostam, óptimo óptimo, a Zara e outras que tais ficam muito felizes. Eu odeio e ponto final!



10 de agosto de 2012

Sexta-feira!



A família do Cantinho deseja a todos os seus leitores um excelente fim-de-semana, cheio de sorrisos. Nós vamos repetir a dose de 4.ª feira e começar o fim-de-semana da melhor maneira e às 18h é ver-nos felizes numa qualquer praia deste nosso cantinho português. Até amanhã!

9 de agosto de 2012

E ontem foi assim:








Um fim de tarde de aniversário absolutamente perfeito. O mar cúmplice e tranquilo, uma temperatura fantástica e um jantar maravilhoso, com a melhor das companhias.


Obrigada às meninas maravilhosas que me deram a conhecer o http://pixlr.com/o-matic/!

Alguém me dá uma mãozinha?

Pois que a última moda é trabalhar as fotos nessa aplicação que é o instangram. Toda a gente o faz em todo o lado, menos a Je aqui, naba que só ela, que chega ao site e parece um burro a olhar para um palácio de cristal. Não consigo sequer uma coisa tão simples como criar a conta. Eu até achava que me ajeitava bem com tudo o que diz respeito às novas tecnologias, mas depois destas tentativas frustradas, percebi que não passo de uma azelha. Por isso,queridos leitores, expliquem-me como se eu fosse mesmo muito burra, como criar conta. O eterno agradecimento substituirá a vergonha que sinto no momento, por ser a única alminha que não percebe nada do assunto.

8 de agosto de 2012

Um amor de uma vida

6 on 6 (august) - A series of serendipity


Emociono-me só de pensar na quantidade de acontecimentos e relacionamentos, todos eles perfeitos, que fizeram com que hoje estejas a celebrar os teus 37 anos ao meu lado e desses, quase 10 de uma história tão entrelaçada e sintonizada. Tanta coisa podia ter sido diferente, mas o destino tem uma força poderosa e nós estávamos já na história um do outro muito antes dos nossos caminhos se cruzarem. Acreditarei sempre nisso.
E hoje, aqui, repito para todos o saberem - sou a mais feliz das mulheres, por te ter ao meu lado. Parabéns a ti meu amor. Que venham muitos mais, sempre com esse sorriso maravilhoso que me aquece a alma e ilumina a minha vida.

7 de agosto de 2012

Coisinhas da moda que eu não usaria nem que me pagassem o meu peso em ouro


Daqui se depreende que a minha pessoa não percebe nada da coisa, como constatei há pouco tempo num blog desses muito famosos, só porque não gostei de determinada peça, que diz que está superrrrrr na moda. É que ainda por cima nem à chibatada, nem empalada no meio de 20kg da Vogue isto vai lá. Pobre de mim.

6 de agosto de 2012

Ai que se me dá um fanico!!

E agora sim, sei o que sofrem as pessoas que, sem querer, apagam cenas dos seus blogues. Hoje foi a minha vez. Ao adicionar um novo blog à minha lista de leituras, devo ter feito mal a coisa (isto de andar a fazer duas e três coisas ao mesmo tempo dá nisto) e pufff, apaguei tudo. Nem dei por nada na hora, só agora que ia cuscar as novidades do dia. Está mal. Anos de procura e blogues e blogues que moram no meu coração, mas cujas moradas não sei de cor. Por isso, peço o favorzinho a quem cá vem e que sabe que eu visito e/ou que tinha aqui na barra esquerda o seu blog (que eu nem sempre comento), por favor, enviem-me o vosso link. Todos os outros, que não me visitam, ficarão para sempre perdidos pela blogsfera, até que os nossos caminhos se cruzem novamente, sabe-se lá como. Damn it!

Note to self

Esta é a tua última aquisição de verão, Lady Bê:


by Zara

Enjoy!

PS: Tenho a vermelha e a verde. Adoro estas saias!

Uma semana especial

Porque esta semana temos uma semana muito especial, com o homem da minha vida a fazer anos. 37 anos, dos quais quase 10 são a fazer parte da minha vida. E eu faço questão de iniciar festejos no dia anterior e terminar só no dia seguinte ao aniversário. Ele merece. Eu adoro.

Uma boa semana para todos vocês, cheia de sorrisos.

3 de agosto de 2012

Dilemas de uma jovem de 33 anos

Quando eu era ainda uma miúda, lembro-me que quando as calças de ganga vinham acabadinhas de lavar, era uma alegria. Ficavam mais justinhas, assentavam que nem uma luva e ficava mesmo satisfeita e poderosa, quase orgulhosa do meu rabiosque e da barriguinha lisa. Agora, alguns anos (e 10kg) depois, é um martírio. De cada vez que vou buscar umas lavadinhas já sei que vou viver ali um momento daqueles dignos do combate mais aceso entre judocas, nos jogos olímpicos, em que esperneio em cima da cama, luto com as calças, com o fecho, com o botão, como meu rabo, transpiro, inspiro fundo, faço ginástica para cima, para baixo, em ziguezeague, rebolo, puxo daqui e dali, para finalmente conseguir fechar o botão, apenas para constatar que a gordurinha a mais na anca, me subiu até à barriga impiedosamente. É triste. E não, não adianta dizer que se calhar compro o n.º errado de calças, a ganga é que já não é o que era. Vão por mim.

2 de agosto de 2012

E porque falas tanto sobre o assunto Maria Bê?

Algumas pessoas que me conhecem e conhecem o blog, perguntam-me porque escrevo sobre a nossa demanda para termos filhos. Acham que partilho e me exponho demasiado. Afinal são já 4 anos (sim, 4 anos, a caminho dos 5) de luta sem fim, de caminhos intermináveis e sem luz aparente à vista e de vez em quando toco no assunto por aqui, sabedora de que, desse lado, vem sempre um carinho que me contagia. E por isso eu pergunto - E porque não falar sobre o assunto? É um problema que atinge muitas pessoas, é um assunto muito, mas mesmo muito importante para mim e escrever exorciza-me. Faz-me bem. Escrevo sobre esta parte da minha vida sem dramas, como escrevo sobre o meu problema de saúde, sobre as minhas cirurgias, sobre a instabilidade do meu trabalho ou sobre as minhas cuequinhas aos coraçõezinhos e a última cor das minhas unhas. Eu prefiro que as pessoas o saibam. Já o escondi durante uma fase da minha vida e tornava-se muito mais difícil do que assumir a verdade, sobretudo porque as pessoas assumem os clichés relacionais que implicam namorar, casar e ter filhos, por esta ordem e no matter what e esperavam isso de nós. Éramos constantemente bombardeados com perguntas acutilantes e quem as fazia não tinha culpa. Porque quem nos conhece sabe e vê como gostamos e crianças (e como as crianças gostam da tia Bê do tio P.) e como nos amamos tanto, por isso, para essas pessoas, fazia todo o sentido sermos já detentores de uma bela equipa de pequenos P's e Bês.

Ter dificuldades em engravidar não faz de mim menos mulher. Não o sou menos do que qualquer outra mulher que tenha uma catrefada de filhos atrás, porque engravida  de cada vez que usa a escova de dentes do marido. Apenas faz de mim uma mulher que tem um percurso mais difícil a percorrer, mas com o qual pode aprender. E eu tenho aprendido muito. Sobre mim, sobre nós e sobre o amor. Porque um problema destes pode afectar um casal, mas a nós tem-nos tornado cada vez mais fortes. E sabemos que assim continuaremos, aconteça o que acontecer. Há uma cumplicidade perfeitamente sintonizada que nos acompanha em qualquer momento da nossa vida. E este não é excepção.

 

1 de agosto de 2012

O estado em que estamos

Estou envolvida num projecto que implica ir a um bairro muito complicado sensibilizar as pessoas que são acompanhadas por um organismo, a darem continuidade ao seu percurso escolar, um trabalho de orientação, mas para maiores de 18 anos. Aplico-lhes testes de diagnóstico e faço relatórios de perfis e, em conjunto com esse tal organismo, encaminhamo-los para cursos que se adaptem às suas necessidades e que lhes permitam aprender uma profissão e, em simultâneo, melhorar (ou ganhar) as suas competências de leitura, de escrita, de matemática e até a aprender informática. de forma a poderem ter mais escolaridade e alguma preparação para a vida, fora da sua bolha social. Estou a referir-me a pessoas com 20/30/40 anos ou mais, muitas delas apenas com a 3.ª ou 4.ª classe, quase todas com imensas dificuldades teimosas. Estou a referir-me a pessoas que, na sua grande maioria, nunca trabalhou e que não se sente minimamente motivada para tal. Estou a referir-me a pessoas que vivem em habitações sociais e que recebem o rendimento social de inserção e que não têm sonhos ou ambições. Estou a referir-me a pessoas que provavelmente, enquanto tiverem casa e o dito rendimento, nunca irão trabalhar. Grupos de jovens na casa dos 20, com roupa da moda, resistentes a algo de bom que podemos estar a tentar fazer por eles. Pessoas bem mais velhas que sobreviveram até agora, porque o sistema o permitiu e que agora dificilmente aceitam que as coisas mudem. Todos eles cheios de manhas e a tentarem mostrar que a escola não é para eles (um deles até dizia que não sabia qual a sua data de nascimento ou morada, vejam só, outros trazem os cinco filhos e não os impedem de quase destruir a sala e roubar-me o material, apenas como forma de se imporem). E hoje, ao pegar em cada um destes casos para os analisar e dar início aos relatórios, percebi, de forma mais consistente, como o sistema está errado. Sobretudo quando sabemos de casos de pessoas que foram despedidas sem terem direito a nada, com filhos para alimentar, que querem trabalhar, mas os mais de 40 anos não ajudam, a par do quadro que se vive actualmente, e que por terem casa própria, não têm direito a qualquer tipo de apoio.

Algo está mesmo muito errado neste nosso Portugal...Hoje não foi um bom dia de trabalho.

Preparem os tambores, o fogo de artifício e a banda filarmónica:


Maria Bê ontem correu. E não, não foi até ao autocarro, ou até aos saldos da Zara nem tão pouco para apanhar o último metro de areia livre nas praias da Costa da Caparica. Não, foi mesmo no parque da sua cidade, uma volta inteirinha sem parar (vá, que foi no circuito mais curto, mas ainda assim foi de campeã, sobretudo considerando que sou uma asmática em potência, que ainda sofre de alergias e rinites e afins). E isto tem mais valor se considerarem que estou inscrita na natação e no espaço de ano e meio pus lá os pezinhos duas vezes e seja mais comodista que o meu gato Tobias, que é um autêntico Garfield, em tons de cinzento. Claro que o orgulho de ontem foi hoje substituído pelo arrependimento de hoje, que não há nada que não me doa da cintura para baixo. Cheira-me que hoje serei arrastada até ao parque pelo homem do cantinho, debaixo de ais e uis...

Nota: os ténis cor de rosa da foto não são meus. Os meus são uns velhinhos de uma qualquer marca que estava com uns preços fantásticos. Não sou uma hit girl ;-)