2 de agosto de 2012

E porque falas tanto sobre o assunto Maria Bê?

Algumas pessoas que me conhecem e conhecem o blog, perguntam-me porque escrevo sobre a nossa demanda para termos filhos. Acham que partilho e me exponho demasiado. Afinal são já 4 anos (sim, 4 anos, a caminho dos 5) de luta sem fim, de caminhos intermináveis e sem luz aparente à vista e de vez em quando toco no assunto por aqui, sabedora de que, desse lado, vem sempre um carinho que me contagia. E por isso eu pergunto - E porque não falar sobre o assunto? É um problema que atinge muitas pessoas, é um assunto muito, mas mesmo muito importante para mim e escrever exorciza-me. Faz-me bem. Escrevo sobre esta parte da minha vida sem dramas, como escrevo sobre o meu problema de saúde, sobre as minhas cirurgias, sobre a instabilidade do meu trabalho ou sobre as minhas cuequinhas aos coraçõezinhos e a última cor das minhas unhas. Eu prefiro que as pessoas o saibam. Já o escondi durante uma fase da minha vida e tornava-se muito mais difícil do que assumir a verdade, sobretudo porque as pessoas assumem os clichés relacionais que implicam namorar, casar e ter filhos, por esta ordem e no matter what e esperavam isso de nós. Éramos constantemente bombardeados com perguntas acutilantes e quem as fazia não tinha culpa. Porque quem nos conhece sabe e vê como gostamos e crianças (e como as crianças gostam da tia Bê do tio P.) e como nos amamos tanto, por isso, para essas pessoas, fazia todo o sentido sermos já detentores de uma bela equipa de pequenos P's e Bês.

Ter dificuldades em engravidar não faz de mim menos mulher. Não o sou menos do que qualquer outra mulher que tenha uma catrefada de filhos atrás, porque engravida  de cada vez que usa a escova de dentes do marido. Apenas faz de mim uma mulher que tem um percurso mais difícil a percorrer, mas com o qual pode aprender. E eu tenho aprendido muito. Sobre mim, sobre nós e sobre o amor. Porque um problema destes pode afectar um casal, mas a nós tem-nos tornado cada vez mais fortes. E sabemos que assim continuaremos, aconteça o que acontecer. Há uma cumplicidade perfeitamente sintonizada que nos acompanha em qualquer momento da nossa vida. E este não é excepção.

 

27 comentários:

  1. e fazes mto bem falar, se isso te faz sentir melhor, força!

    Bjos
    Maggie

    ResponderEliminar
  2. Querida, tu és uma mulher fabulosa, tens um casamento muito feliz... é normal que fales sobre algo que, para ti, é incómodo. Como bem referiste, é uma forma de exorcizares o que sentes... desejo-te toda a sorte do mundo. Vais conseguir! :)

    ResponderEliminar
  3. Um abraço! :)
    Sem pressão Bê, o que tiver de acontecer acontecerá. Música do skank para relaxar e iiiiiiiiir em frente: "vou deixar a vida me levar, pra onde ela quiser, seguir a direcção de uma estrela qualquer"

    Força!!*

    ResponderEliminar
  4. Eu compreendo perfeitamente que fales do assunto. Nós andamos a tentar há 16 meses e também falamos disso. Porquê? Porque para nós é mais fácil. Mas há que manetr a esperança, ainda ontem uma colega minha que andava há 5 anos a tentar teve o tão desejado teste positivo :)

    ResponderEliminar
  5. E tenho a certeza que tudo vai correr bem pois uma criança merece ser amada e só pode nascer de um amor assim :)

    ResponderEliminar
  6. Eu acho que fazes bem em escrever, se isso te faz sentir melhor porque não? Além disso acho que ao escreveres podes de certa forma ajudar mais pessoas que passem pelo mesmo problema. A tua força, o facto de nunca desistires (tu e o teu P. claro) podem ajudar muito quem está prestes a desistir do sonho de ter um filho.

    Beijinhos`*

    ResponderEliminar
  7. É como dizes, muitas vezes é bom falar porque se exorcizam os sentimentos que nos estavam a sufocar. Além disso, ao partilhares um assunto tão delicado, também podes estar a ajudar alguém que tenha o mesmo problema. Muitas vezes estas pessoas sentem-se sozinhas e basta alguém que as compreenda perfeitamente porque passa pelo mesmo, para ser uma lufada de ar fresco na sua vida e uma forma de encarar a situação com mais garra. Nunca se sabe...

    De certeza que um dia será uma maravilhosa mãe. ;)

    Beijinho especial ♥

    ResponderEliminar
  8. Pois eu acho muito bem que fales no assunto. Mas acho mais maravilhoso ainda a vossa relação: sempre unidos e fortes.

    Vocês são fantásticos!

    :)

    ResponderEliminar
  9. As tuas palavras podiam ser minhas, "sem tirar nem por"(se eu tivesse a capacidade que tu tens para a escrita). Bj enorme

    ResponderEliminar
  10. E cada um não é livre de escrever e expor o que quer? Se calhar, se não fosse exposto, perguntar-te-iam porque não falas mais disto ou daquilo... O certo é que NUNCA se consegue agradar a todos!

    ResponderEliminar
  11. Nunca tive problemas em verbalizar a nossa dificuldade em engravidar e apesar de ter sido um sucesso os tratamentos nunca escondo ou escondi que foi difícil. O sabor do resultado final é tãooooo mais maravilhoso.
    Vocês vão conseguir, disso não tenho dúvidas :) beijinho enorme deste lado!

    ResponderEliminar
  12. sabes que te compreendo a 100%.
    e sim, o "abrir o jogo" ajuda muito (alivia muito) e, para mim, clarifica e relativiza o "problema". está lá e é para resolver e não para consumir a relação. fortalece, sem dúvida, e aproxima porque faz parte de nós (ele e ela).

    mas o preconceito irá sempre existir e eu que, felizmente, consegui o meu "milagre", não me livrei das perguntinhas parvas e dos questionários ridículos sobre (pasma-te) um segundo filho!

    felizmente sou pessoa de resposta na ponta da língua, e sinto-me tão realizada a este nível que o assunto é resolvido na hora. se ao menos soubessem do que falam...

    ResponderEliminar
  13. Oh Bê, fazes muito bem de por cá para fora esse assunto, faz parte da tua vida, e cada vez atinge mais casais.
    Ao escreveres sobre isto, estás a partilhar e trocar experiências, e isso ajuda-te a ti e aqueles que te vão lendo. grande beijo.

    ResponderEliminar
  14. Querida Bê eu acho que falar ou escrever ajuda sempre! A nós e a quem nos lê, mais que não seja porque tiramos duvidas ou simplesmente porque percebemos que não somos os únicos a ter este ou aquele problema!! Das poucas vezes na minha vida em que resolvi "fechar-me" em relação a um assunto, arrependi-me!! Antes de ter tido a Carlota sofri um aborto expontâneo às 13 semanas. Agora tenho a certeza que devia ter falado no assunto abertamente. Teria ouvido outras mulheres que passaram pelo mesmo e a melhor forma de ultrapassar aquela dor. Somos livres para escrever e estes cantinhos também servem para trocar experiências. Um grande beijinho e que tudo corra bem!

    ResponderEliminar
  15. Hoje, não sei bem como, vim aqui parar. E quero, desde já, dar o meus parabéns pelo blog. Há algum tempo que não gostava tanto de ler um, como gostei aqui do teu. Gosto da maneira descontraída como falas das coisas.

    Às vezes penso que também me exponho um pouco, mas sinto-me bem a escrever e de certa forma o blog é um escape, uma forma de desabafar e deixar voar as emoções. :)

    ResponderEliminar
  16. Incrivel não é o facto de falares do assunto mas a forma como o fazes! Com amor e otimismo. Continua sempre a acreditar e há-de acontecer. Boa sorte!

    ResponderEliminar
  17. Minhas queridas, queria responder uma a uma, mas não dá! :)
    Mas agradeço o vosso carinho - que eu já sei que vem sempre desse lado e agradecer muito particularmente a quem vive ou já viveu o mesmo que eu. Vocês estão no meu coração.

    ResponderEliminar
  18. Quem faz esse tipo de reparos só pode ser tonta (ou tonto). Primeiro, acho mesmo que falas muito pouco sobre este tema. Mas, quando te apetece, porque este é o teu espaço de desabafo, escreves sobre isso.

    Era só o que faltava teres um blog que é lido por familiares, amigos e pessoas que, como eu, não te conhecem mas gostam muito de ti e, não poderes escrever precisamente sobre aquilo que te transtorna.

    Um grande beijinho cheio de força minha querida

    ResponderEliminar
  19. Adorei este texto! És uma grande mulher, sem dúvida! Parabéns a ti por isso e parabéns a vocês por contrariarem a tendência e fazerem o vosso amor durar!
    Beijinho e muita força*

    ResponderEliminar
  20. Eu acho que deves falar. Aliás, se te ajuda, mais um motivo para o fazeres. Além de que pode ajudar outras pessoas na mesma situação a encararem/assumirem o problema de forma diferente.

    Nâo imagino o quão difícil seja aquilo por que tens/têm passado. Mas vão conseguir, querida. Mantém o teu optimismo e essa forma tão bonita e coajosa de encarar as coisas. Fico a torcer muito!

    ResponderEliminar
  21. Claro que não faz de ti menos mulher!!As coisas não podem ser vistas assim.E se te faz sentir bem falares do assunto,porque não??A blogosfera é um meio muito curioso mas onde acho que se sente ondas de solidariedade, boas energias de pessoas que nem conhecemos fisicamente.

    ResponderEliminar
  22. Falar sobre o assunto também me ajudou muito e apesar de ter tido a benção de uma gravidez aqueles anos todo de espera NUNCA se esquecem...

    Sinto no meu coração que a vossa vez está perto e que um casamento cheio como o vosso só é possível quando há pessoas especiais!!!

    Um beijo grande

    ResponderEliminar
  23. ora, e não tens de te sentir menos mulher. pelo contrário, nem toda a gente tem a coragem de lutar e a perseverança de encarar essa luta sempre com otimismo. e o melhor de ti, razão pela qual deves estar orgulhosa, o facto de teres ao teu lado um amor verdadeiro que te apoia sempre, estão juntos em tudo, para o que der e vier. boa sorte bê, tem fé que irás conseguir...

    ResponderEliminar
  24. Encontrei este teu blog e gostei tanto... Gosto especialmente deste texto, desta simplicidade e da frontalidade! Força e acredita, com esse amor incondicional, vai ser possível :) um beijinho e segui!*

    ResponderEliminar
  25. Se isso te faz bem nós cá estaremos para ter "ouvir" e aplaudir e torcer por ti no dia que essa criança for parar à tua barriguinha e depois ás tuas mãos. Aprendi que nada acontece por acaso e, com toda a certeza, essa criança virá quando assim tiver que ser. Mas com amor, muito amor como se vê ser o vosso caso, tudo se consegue. Força :) Beijinho

    ResponderEliminar
  26. Acho que já foi tudo dito em comentários anteriores, se te faz sentir melhor falar sobre o assunto, força. Nós estamos cá para ler (:

    ResponderEliminar
  27. Fale Bê por favor, pois fala e sente o q eu e mtas outras mulheres q merecem ser mães e por motivos alheios à sua vontade n o podem ser gostariam por vezes de gritar ao Mundo e sentem q n são compreendidas. É isso e haver mulheres por vezes amigas q n aceitam a nossa opinião pq n somos mães e n sabemos o q é!
    Para mim esse sonho já n é possível mas tornou-me a mim e ao meu marido cada vez mais próximos, fortes e unidos neste amor incondicional!
    Por isso fale, fale sempre q apetecer pois ajuda e muito e em breve teremos notícias boas concerteza. Fé e mta força Bê! Beijinhos

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins