21 de dezembro de 2012

Não sei embrulhar abraços


Não sei embrulhar abraços, mas se soubesse embrulharia um bem forte, demorado e caloroso para todos os que fazem parte da minha vida. Embrulharia protecção infinita para todas as crianças à minha volta e serenidade sapiente para todos os pais, receosos da incerteza certa do amanhã. Embrulharia clareza de espírito para os que vivem mergulhados na dubiedade e uma calma sensata para os que se deixam levar pelo stress, esse inimigo implacável de todos os dias. Embrulharia uma fé convicta e imensa para todos à minha volta que vivem momentos mais assustadoramente perturbados. Embrulharia saúde para a minha doce avó, cujas mazelas dos seus 81 anos se sentem cada vez mais frequentemente, parecendo levar um bocadinho dela todos os dias para longe de nós. Embrulharia felicidade, alegria e esperança e distribuía por todos com quem me cruzasse. Embrulharia amor e sorrisos, alegria e força. Mais do que presentes palpáveis e consumistas, se eu soubesse, era o que embrulharia.

10 comentários:

  1. E com abraços embrulhados, seríamos todos muito mais felizes.
    Um bom Natal

    ResponderEliminar
  2. Que texto tão bonito, como já é habito!
    Feliz Natal!

    oneplustwoblog.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Que texo bonito. Quando souberes avisa, gostava de saber também.

    ResponderEliminar
  4. Neste Natal também não peço bens materiais. Quero apenas harmonia, paz, amor... E que um desejo muito particular se realize. ;)

    Beijinhos (adorei o teu blogue)

    ResponderEliminar
  5. Esses são aqueles presentes nos quais "trabalhamos" um bocadinho todos os dias :)

    ResponderEliminar
  6. Este texto vem embrulhado de amor... linda!

    ResponderEliminar
  7. Que lindo! Amei este texto.
    Tão verdadeiro. :)

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins