27 de fevereiro de 2013

Planos

Dois cursos em Março e em Abril (querido P., sábados a dois só lá para Maio, mas eu compenso-te!) e a perspectiva de um outro também em Março (com continuação para outros meses). Todos eles em áreas diferentes - um na área da psicologia, no ISPA, os outros em áreas distintas, mas que se podem complementar. Todos eles em áreas que me enchem as medidas. E projectos, muitos projectos na minha cabeça e já a passar para o papel, porque eu não sei e não quero estar parada. Vou investir em mim, no meu crescimento, na minha formação e no meu futuro. Será com algum esforço financeiro, que será, mas sei que valerá a pena. Sexta-feira é o meu último dia formal na escola e não estou nem um bocadinho melindrada com isso. Não encaro o futuro com medo, mas com curiosidade e expectativa. A porta fecha-se, mas eu já estou à procura da minha janela aberta...  

26 de fevereiro de 2013

Desabafos

Depois de sair cedinho do (ainda) trabalho, lanchar com o mano, chegar a casa e ajeitar-me no sofá, no meio das mantas, no meio dos gatos, com um chá maravilhoso e um bom livro...custa tantoooo enfrentar o frio e ir para a aula de pilates. Tantoooo...

25 de fevereiro de 2013

Ora sobre os óscares

Longe vai o tempo em que me aguentava até às tantas da manhã e acompanhava a cerimónia inteirinha em directo, conhecedora de grande parte dos filmes nomeados e com a minha listinha de favoritos toda rabiscada. Eu sofria, eu emocionava-me, eu desesperava por este programa. E ontem tentei. Eu juro que tentei, mas depois de três vestidinhos pior que enfadonhos (a Nicole Kidman então, por pouco não me provocou pesadelos, já que as náuseas ficaram cá) adormeci no meio de mantas e gatos. Acordei não sei a que horas a tempo de ver o Russel Crowe a cantar (ou então sonhei com isso, hum?) e a menina do momento a receber o seu óscar. Apaguei outra vez e quando acordei já estava no ar esse momento televisivo especial e de grande qualidade que são as televendas. Não sei se fui eu que cresci e que perdi o gosto por estas coisas ou se as cerimónias em si perderam a surpresa e tornaram-se tentativas desesperadas de fazer mais e melhor, que normalmente não cumprem o seu próposito. E depois passeamos pelo facebook e pela blogsfera e só se fala dos vestidos - que este ano foram mauzinhos, regra geral. E todas gostam dos mesmos e o meu favorito não é sequer referido. Tenho para mim que há muito isto deixou de ser primeiramente uma cerimónia de entrega de prémios, para passar a uma feira de vaidades em que ganha a mais bonita da noite. E eu não acho piadinha nenhuma a isso. Longe vai o tempo...

22 de fevereiro de 2013

Partilhas e conselhos - De mulher para mulheres

 
Sou portadora de endometriose profunda. A forma mais grave de endometriose. Foi-me diagnosticada há cerca de 3 anos atrás (já a tendo, provavelmente, há muito mais tempo), mas tive o azar de ser empurrada de hospital em hospital, sem que nada me fizessem e com medicações que me pioraram os sintomas. Por sorte, o tumor grave que tinha e as aderências aguentaram-se  sem comprometer alguns dos meus orgãos, até chegar às mãos de um grande especialista, no privado. Em menos de dois meses fiz finalmente todos os exames que no público nunca me mandaram fazer. Em menos de dois meses estava na cama de um hospital, com receio que a operação, que não seria fácil, comprometesse a minha qualidade de vida, já que essa era uma possibilidade. A recuperação foi lenta, dolorosa e difícil e sei, como portadora desta doença, que leu tudo e mais alguma coisa sobre a mesma, que conversou muito com os seus médicos e que se mantém ligada a fóruns de endogirls, que tem sido muito bem acompanhada, que a próxima operação poderá estar para breve e muito provavelmente, será mais uma de algumas que se possam seguir. Porque não tem cura ou a cura que poderia ter,implicaria nunca poder ter filhos e disso eu não abdico. Por isso minhas queridas, ficam os conselhos - Façam exames regularmente. Não aceitem as dores menstruais altamente debilitantes como sendo normais, porque nem sempre o são. Não se conformem com hemorragias, com a dispareunia, com dores musculares e cansaço físico sem razão aparente. Não se conformem com os ginecologistas que desvalorizam as vossas queixas. Porque a endometriose, quando não tratada ou tratada por quem não a domina, pode ter consequências muito muito graves, que podem afectar a vossa vida para sempre.
Neste momento sou acompanhada no público, por uma médica também de referência e o acompanhamento não poderia ser melhor. Porque em todo o lado, há bons e maus médicos. E eu descobri os bons, depois de muito investigar.
 
Ficam algumas informações do site do Dr. António Setúbal:
 

A Endometriose profunda apresenta-se sob a forma de tumores que envolvem vários órgãos pélvicos, nomeadamente do recto, vagina, cólon sigmoide, bexiga e nervos superficiais e profundos. Algumas formas graves, podem envolver também outros órgãos, locais ou não, como intestino delgado, apêndice, diafragma e pulmão.
Estima-se que a incidência de endometriose no mundo atinja 176 milhões de mulheres e 8 a 10% das mulheres em idade reprodutiva. Felizmente, mesmo sem números concretos, as formas mais graves e profundas são a minoria.
De acordo com as estatísticas cientificamente comprovadas, o tempo médio para o diagnóstico da doença varia entre 8 a 11 anos e o número médio de médicos visitados é aproximadamente 7 (endometriosis.org). O caso mais clássico é o da Endometriose com envolvimento do intestino grosso e do recto onde é comum as doentes passarem anos em tratamento de gastroenterologia com diagnósticos vagos de Colite.
Outro factor importante é o familiar e social. De facto esta é uma doença associada a um número elevado de roturas nos casais por incompreensão da dor, quer a nível das relações sexuais quer a nível do impedimento de uma actividade social normal. Também a este fenómeno se associam as elevadas taxas de gâmetas e embriões devidamente congelados e não reclamados no prazo legal. Daí a importância de poder proporcionar em circunstancias de infertilidade causada pela Endometriose, o acesso à criaoperservação de ovócitos para prevenir uma infertilidade definitiva futura, só resolúvel através da doação de ovócitos de outras mulheres.
 
 
Para qualquer conselho que necessitem, estou aqui - paudecanelaementa@gmail.com
Aqui encontrarão um mundo de mulheres fantásticas e imensa informação útil - http://mulherendo.blogspot.pt/

Ora diz que vem aí uma frente fria mega polar, directamente da Sibéria



 
Não pensem no sol. No verão. No calor. Não pensem no que queriam ter, mas não têm. Pensem no que têm e querem ter sempre. Aproveitem o frio de inverno que se faz sentir. bebam bebidas quentes e maravilhosas. Leiam aquele livro que há tanto tempo espera por vós. Vistam roupas quentinhas e sorriam para a vida e para as vossas pessoas.
Sejam felizes.  Bom fim de semana.

21 de fevereiro de 2013

Perguntinhaaa

Já a fiz no facebook, mas repito por aqui, porque há sempre alminhas muito iluminadas que tudo sabem: sites bons, de confiança, para ver empregos para o estrangeiro? Quero saber tudinho!

19 de fevereiro de 2013

Fui ao Outlet sem sair de casa

E estou prestes a tornar-me fã desta coisa das compras on-line, já que cada vez mais detesto centros comerciais repletos de gente e as idas ao Chiado não são para todos os dias. Desta feita, comprei as seguintes pecinhas, já a pensar nos dias mais quentes:

Vestido que andava a namorar há tempos, já que eu sou fã assumida de vestidos e saias compridas

 
Blusa verde

Blusa simples, mas bem ao meu gosto
 
Tudo peças a preços bem acessíveis, disponíveis no site da mango.outlet. Devo parecer maluquinha por comprar peças de verão, mas a verdade é que a partir de determinada altura do ano, já não me apetece investir na estação actual, porque sinto que já nada me faz falta, mas  apenas na seguinte, como que a chamá-la, para chegar mais depressa. E agora resta-me esperar que chegue tudo direitinho - já agora, para quem já faz isto há mais tempo, como funcionam os serviços de entrega? O que me preocupa é a possibilidade de não estar em casa e de como fazer caso tal aconteça, imaginando eu que não vá para os CTT para levantar com o aviso de recepção ou lá o que é (eu naba me confesso!). 

Para que nos lembremos, todos os dias, que a beleza real é muito mais do que uma cara bonita e bem pintada



´

Porque a verdadeira beleza é algo que não se pode potenciar, mascarar ou disfarçar. Não é tanto um sentimento condicionado e que podemos controlar, mas algo mais inato e que faz parte da natureza pura de cada um. Ou não.Verdadeira beleza é a que realmente perdura e marca pela diferença, com ou sem maquilhagem e que está lá, em todos os momentos. Porque a beleza exterior é a primeira a ser notada e a interior é a última a ser esquecida. E por isso eu não acho as imagens da esquerda menos bonitas do que as da direita. Acho-as mais reais, mais autênticas e por isso, mais próximas de mostrar cada uma destas mulheres como realmente são.

18 de fevereiro de 2013

Minha querida Zara



Obrigadinha por me presenteares com imagens assim na tua página. A modos que me permites manter-me afastada da loja, sem grandes curiosidades... Aproveito para questionar se serei a única alminha que não acha piadinha nenhuma aos slippers (para quem não domina, são os últimos, os vermelhinhos). É que não consigo gostar deles nem para pantufas. Acho deselegantes e não consigo imaginar uma única fatiota com a qual fiquem bem... E para conforto, temos as sabrinas, tão mais fofinhas.


NOTA: todos os sapatunfos são da nova colecção, disponível no site da marca.

Believe...



Se eu não fosse pessoa de acreditar, de ter fé, deixaria passar ao lado parte da felicidade que vivo diariamente, porque decidi aceitar a vida como ela é. Sem questionar, sem procurar culpados, sem ter pena de mim. Porque acredito no amanhã e acredito que estou a caminho dos meus sonhos e os obstáculos são apenas isso, obstáculos contornáveis que me fortalecem a cada momento.  

16 de fevereiro de 2013

Bolas, Maria!

Depois de ver num blog famoso uma das peças feitas pela Bolas, Maria, cuja lenda me encantou (desde sempre que gosto de tudo o que diz respeito a anjos), fui logo lá espreitar e não resisti a fazer uma encomenda. Ora digam lá se não é uma delícia este meu chamador de anjos
 
 
Comprei o azulinho, embora me tenha apetecido um de cada cor. E se num dia o estava a pagar, no dia seguinte já o tinha em casa, bem acondicionado e com um cartão todo catita da Maria. Para quem não conhece, fica a lenda sobre estas peças:
 
É dificil encontrar a origem exacta dos Chamadores de Anjos.
Há uma lenda associada que conta no fundo a história de uma amizade entre anjos e duendes. Diz-se que há milhares de anos, uns duendes amigos dos anjos tiveram que fugir da floresta, e os anjos como protecção, ofereceram-lhes um amuleto. Os anjos explicaram aos duendes que sempre que se sentissem em perigo ou sempre que precisassem, deviam agitar o amuleto e esse som chamaria os anjos para os socorrer.
O amuleto ficou conhecido por Chama Anjos.
Algumas referências indicam ainda que foram usados na Índia por grávidas para proteger o bebé e a Mãe durante a gravidez. Diz-se que som que emite o tilintar chama os anjos, as fadas, os espíritos protectores, os seres da luz e da alegria.
 
Amei!

15 de fevereiro de 2013

Momentos

 
Lombo de salmão marinado, salada verde e um champanhe muito muito fresco. Assim será o menú de hoje, para um jantar tardiamente romântico por aqui, como que a preparar para um fim de semana a mil que teremos. Por isso hoje o momento será só nosso (e de três gatos meigamente chatos e amorosos que só eles).
 
Bom fim de semana meus queridos, cheio de sorrisos.

14 de fevereiro de 2013

Dia dos namorados?

 
Sim, todos os dias do ano. Em todos os momentos com ele. A cada beijo, a cada sorriso e a cada carícia.
Meus queridos, sejam carinhosos, apaixonados, surpreendentes e felizes hoje, amanhã e em todos os dias da vossa vida. Porque o especial são as pessoas, não as datas.

13 de fevereiro de 2013

Liberdade visual?

Quando vemos televisão, concretamente as notícias, somos muitas vezes avisados sobre imagens que podem ferir pessoas mais sensíveis e que, por isso, não serão recomendadas a todos. A partir daí é uma opção de cada um continuar a ver ou não. O aviso foi feito. Da minha parte, tudo o que diz respeito a guerras violentas, conflitos sangrentos, crianças, animais...não consigo ver. Não é pelo sangue, que não me impressiona minimamente, mas pela dor que o sofrimento alheio me causa. No facebook infelizmente não temos essa hipótese. Todos os dias me entram pelo écran imagens de pessoas em grande sofrimento, animais com os ferimentos dos mais atrozes, ou mesmo perseguições a pessoas que causaram imenso sofrimento a outras pessoas ou animais. Sei que o fazem para partilhar mensagens importantes, mas fazem-no sem pensar na agressão à sensibilidade de todos os que estão do outro lado. Já chorei com imagens que vi, já fiquei horas demais com determinadas fotografias na cabeça. Já desamiguei pessoas por causa disso e hoje será dia de desamigar outras tantas. Eu, que sou solidária com a maioria das causas, que já contribuí para umas tantas, não consigo, nem quero, continuar a sofrer de cada vez que abro o facebook. Não preciso de ver tudo para acreditar e apoiar. Preciso sim, de ter a opção de até onde quero ir. Por isso Zuckerberg, fica a dica grátis: imagens que podemos ter ocultas e escolher ver só se nos apetecer ou então só ler a mensagem, sim?

11 de fevereiro de 2013

Uma segunda-feira diferente

 
As compras para a jantarada estão feitas e arrumadas. A sobremesa para logo à noite já está a refrescar (esta é de babar - estou a ficar para lá de croma nestas coisas). Os meus velhotinhos do centro já foram todos visitados e os miminhos distribuídos. A máscara já está à minha espera e as pinturas aguardam o momento de inspiração que espero conseguir ter. Sobra um tempinho para relaxar, ouvir boa música, ler um pouco, resfastelada na chaise longue, com gatos à minha volta e depois, é tempo de me preparar para uma noite de folia saudável. Da nossa folia. Com os melhores dos amigos. Até amanhã pequenada.
 

8 de fevereiro de 2013

Planos para os próximos dias

Antes de entrar no período de férias forçadas (aka desemprego) vou ter uns diazinhos de descanso bem merecidos, uma vez que os últimos tempos têm sido complicados. É sempre difícil despedirmo-nos de um local que viu tanto de nós, onde crescemos pessoal e profissionalmente, onde fizemos novas amizades e onde demos tanto de nós. Mas a vida é assim mesmo e é em frente que quero seguir. Adiante, que este post não é sobre isso, mas sobre os dias que aí se aproximam. Ora eu nunca fui nada ligada ao carnaval. Achei piada quando era miúda e a minha mãe me mascarava da maneira mais pirosona possível (quanto mais, melhor), mas depois cresci, comecei a levar com ovos, balões de água e brincadeiras parvas e comecei a detestar esta época e tudo o que ela implica. Contudo, nos últimos anos nasceu uma tradição que me fez repensar os instintos que me assolavam por altura do carnaval, e que é uma mega jantarada caseira, com amigos do mais especial que há, todos devidamente mascarados e com a melhor das comidas (feita pelo P. só pode mesmo ser do melhor) e das bebidas. São sempre jantares épicos, que acabam para lá de tarde, já com todos a rebolar de riso e de alegrias, como se quer. Deles resultam sempre fotografias e testemunhos que ficam guardados no segredo dos deuses. Até aqui têm sido temáticos, na comida e nas vestimentas, mas este ano será mais livre. Ficamo-nos pela comida mexicana, pelas margaritas e pelo vinho e cada um mascara-se do que quiser. A minha máscara está pronta e é de uma das minhas grandes paixões - alguém adivinha?
Os restantes dias serão com outras jantaradas, que incluem sushi caseiro e o religiosamente habitual jantar de família de domingo e muito muito descanso, algum estudo e namoro e beijos e tudo a que temos direito. E os vossos planos, hein?

7 de fevereiro de 2013

Dilemas de mulher

Amanhã vou cortar o cabelo. Já não vou há quase um ano (oh vergonha) e está enorme - não fosse ele muito ondulado e chegava quase ao rabiosque. Ora como qualquer mulher normal, antes de ir ao cabeleireiro, espreito sempre as tendências para cabelos, o que para mim é sempre dramático. Ora vejamos as tendências:

Tudo muito lindinho sim senhor, mas não quando se tem uma juba como a minha e não se pretende ser escrava do champô especial, mais da máscara especial, dos óleos assim e das gotas assado e ainda do secador e da prancha. Como podem atestar nas imagens (que não estão grande coisa, mas adiante), isto não é um cabelo fácil:


Ainda para mais, eu sou moça prática que gosta de acordar, lavar a melena e sair para a rua ao natural. Assim, cheira-me que, uma vez mais, me fico pelo corte de dois ou três dedos e pouco mais. Mas chateia, que chateia, andar sempre dentro dos mesmos cortes. Já fiz alisamentos em tempos que já lá vão, mas desisti porque em 4 ou 5 meses o cabelo entra naquela fase chata que não é liso nem ondulado, ou então estava mais liso de um lado e mais ondulado do outro e eu mal aguentava a minha figura ao espelho. Além de que me torna dependente de um processo chato, caro e que terá os seus danos certamente. Por isso amanhã será assim: Dany, faz o que quiseres. Porque é assim que deve ser a relação com o nosso cabeleireiro: de inteira confiança nas suas capacidades e na sua arte.

4 de fevereiro de 2013

Padrões que se repetem...

 
 
Na festa de aniversário do meu irmão, a minha afilhada de quase seis anos descobriu-se declaradamente apaixonada pelo meu sobrinho de sete. E o cenário foi este: ela completamente amorosa e delicada atrás dele. Ele, sabidão e sem paciência para namoradas, a mandá-la fazer um milhão de coisas (inclusivamente a subir e descer as escadas 10 vezes), dar a volta à casa e coisas assim. Ela a cumprir tudinho à risca, cheia de esperanças e de sorrisos, até porque o último "namorado" veio a saber-se um malandro cheio de namoradinhas por aí. E ele " estou nem aí, mas deixa cá divertir-me um bocadinho".
E eu apercebi-me que os padrões generalizados das relações amorosas começam bem mais cedo do que pensamos. Elas com tendência para a burrice e eles para a malandrice. Oh god...

3 de fevereiro de 2013

Acordar perfeito



Primeiro o doce beijo dele. Depois, dois gatos em cima do meu lombo a fazer ron ron e carentes de festinhas como se não houvesse amanhã...Porque há acordares perfeitos e este é o meu.

2 de fevereiro de 2013

Três semanas e já sinto toda a diferença






Desde que soube que a saúde estava outra vez mais frágil aqui para estes lados, que resolvi atacar a coisa de outra forma. E, embora ainda esteja na fase ursa, o facto de ter mudado a minha alimentação (não há cá café, no qual era viciada, açúcar, fritos, gorduras, doces, que amava e leite, sem o qual não imaginava a minha vida), de ter voltado ao pilates religiosamente e de apostar em produtos naturais (muitos chás - e muita pesquisa sobre os benefícios de cada um deles, sementes de linhaça e de chia, óleo de gérmen de trigo, entre outras coisitas), já está a fazer toda a diferença. Nada como tratarmos bem o nosso corpo, porque isso vê-se e sente-se, por dentro e por fora. Mimem-se, sim?
 
Bom fim de semana, cheio de sorrisos.

1 de fevereiro de 2013

Psicólogos da blogsfera, chamados à recepção


Clicar na imagem para ler

Eu cá não sou psicóloga clínica (sou da área social/educacional) e fui até uma excelente aluna a filosofia nos meus tempos de estudante, que já lá vão. Contudo, não consigo imaginar como uma consulta de filosofia pode substituir a psicoterapia. Se alguém por aí souber, estejam à vontade para me elucidar. Agradecida.


Nota: Já não bastava serem os licenciados em filosofia a dar psicologia nas escolas, muitas vezes sem preparação, sem vontade, sem motivação, agora ainda querem substituir os psicólogos na psicoterapia. Este mundo está perdido...