21 de maio de 2013

Devo ter cara de miúda, só pode

Na semana passada fui fazer um exame ao hospital e fiquei surpreendida por ter sido constantemente tratada por tu pelo técnico que me veio buscar à sala, me acompanhou e me deu as indicações. Tu para aqui, tu para ali, achei que se tratava de uma daquelas pessoas (bemmm mais velho do que eu) que trata por tu toda a gente (coisa estranha num hospital, diria eu, mas vá que há pessoas assim em todo o lado). Por momentos ainda pensei que a informalidade era tanta que seguíamos dali directamente para um cafezinho no bar. Hoje aconteceu-me exactamente o mesmo, mas com um médico. Enquanto tomava nota de todo o meu historial e me fazia aquelas perguntas que já conheço de cor, parecia que me conhecia há anos e era um tu cá tu lá que me deixou constrangida. Eu sou uma pessoa muito despreocupada com essas coisas, que sou, mas acho que cada local e cada tipo de relação tem o seu código e eu não sou já uma miúda, mas uma senhora de 34 anos, prestes a ser operada e a responder a perguntas sobre a minha saúde e a vestir batas azuis com atilhos complicados. Uma senhora -sad but true. Mas pelos vistos não pareço, só posso chegar a essa conclusão... sim, que eu sou aquela que um dia não há muito tempo foi perseguida por uma auxiliar na escola onde trabalhei, porque não tinha passado o cartão - pensava ela que eu era uma aluna. Assim como assim, continuo a achar que em determinados locais e em determinadas profissões, deve haver algum cuidado, como na relação médico-paciente. Fosse eu mais corajosa e tinha respondido da mesma forma, a ver como reagia!
Também vos acontecem coisas destas?

30 comentários:

  1. É verdade: também acho uma piadona a essas coisas. E também tenho vontade de responder na mesma moeda. Mas não... faço de conta que não estão a falar comigo :)

    Bjo*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fiqui sem jeito. Sobretudo por ser naquela circunstância. Noutra qualquer acho que não me fazia tanta diferença

      Eliminar
  2. É altamente atípico isso acontecer, sim. Mesmo os doentes da minha idade não trato por "tu"...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tive uma médica, até hoje, que me tratava por tu, mas porque me acompanhava desde a adolescência, por isso tudo bem. Agora nem os médicos que me acompanham com frequência me tratam assim, por mais à vontade que se sintam comigo, que brinquem com qualquer coisa.

      Eliminar
  3. És linda Bê, e de facto, parece que tens uns 20 anitos. ;) Mas não será também por te acharem colegas de profissão? Estou só a dar uma hipótese... ;)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não sou colega de profissão de médicos querida Raquel. Sou psicóloga social. E ali ninguém sabia sequer o que eu era. Acho que era à vontadinha de mais mesmo.

      Eliminar
    2. Então pensa que, antes miúda que velhota! :) :)

      Bjs

      Eliminar
  4. é como eu, também passo sempre por miúda...
    também não acho nada correto, eu nas minhas relação profissionais também trato toda a gente por vocês, exceto quando trato crianças...

    ResponderEliminar
  5. é fácil, tratava-lo também por tu. amansava logo! bj

    ResponderEliminar
  6. Prestes a fazer 25 anos, continuo a achar que sou uma teenager e o facto de estar sempre a sorrir contribui para isso. Para dizer a verdade, querida, não te dava mais de 27 anos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também estou sempre a sorrir e sim, acho que isso ajuda. Mas continuo a achar que no contexto médico-paciente, em que o paciente é mais do que adulto, é desajustado.

      Eliminar
  7. Detesto!
    E infelizmente cada vez se vê mais...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, tb acho que sim. Sobretudo dos muito mais velhos do que nós...

      Eliminar
  8. Por vezes também me acontece e confesso que não gosto nada. Há uns anos ainda compreendia, mas uma pessoa chega a uma certa idade (lol sou mais nova do que "tu", mas pronto [disse "tu", posso? lol] ) em que ja trabalha e tal e ja acha que deve ser tratada por você. Já nao somos teenagers... A verdade é que sim, acho que pensam que sou mais nova, pareço mais nova. Consigo compreender isso. No entanto, em qualquer serviço publico, a menos que estejamos a atender uma criança (que se veja claramente que o é!), devemos atender as pessoas tratando-as por você. Por vezes noto que há gente que me trata por tu por ser mais ou menos da minha idade (pensam eles... penso eu....), mas "pior"(ou igual?) é quando sao mais velhos e nos tratam por tu. Por acaso, nunca me aconteceu no medico, mas nao iria gostar. Respeitinho é muito bonito. Ah e outra coisa de que nao gosto é tratarem-me por voce literalmente, dizerem "voce". Sempre me disseram que se devia dizer "o senhor/a senhora/a menina" ou omitir, mas nao era de bom tom dizer "voce". Hoje em dia isso já está generalizado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bárbara, lá está, aqui neste contexto de bloguer, acho que o tu é mais do que apropriado!! :-)
      Também não gosto do você. É palavra que não uso - substituo pelo nome ou por dona, senhor, o que for!

      Eliminar
  9. Eu tenho 30 anos, por vezes pensam que sou mais nova.
    Às vezes começam a tratar por menina, mas depois vêem a aliança de casada e passam a senhora.
    Não me importo que me tratem por tu, você, menina, desde que não me tratem mal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paulinha, eu tenho 34 anos. Aliança. Sou do mais educada que há, que sou, não me importo que me tratem por tu na maioria dos contextos. No contexto médico-paciente, acho mal...é um bocadinho desajustado. Mas não deixei de ser simpática como ele até foi para mim, que reconheço que foi.

      Eliminar
  10. Acontece-me às vezes o mesmo... e fico pior que estragada.

    ResponderEliminar
  11. Sim, também me acontece. Tenho 32 anos, não ligo nenhuma aos títulos e não me importo nada que me tratem por "tu", mas há aqueles limites, não é? Quantas vezes me aconteceu no café, na loja, na clínica tratarem-me por tu. Acho desajustado. Às vezes sinto um bocadinho de desconsideração.

    ResponderEliminar
  12. Olá Bê.
    Também sofro do mesmo incómodo. Já tenho 23 anos e, as pessoas quando me vêm, ficam convencidissimas de que tenho 16 anos! Só vejo uma vantagem nisso... quando tivermos uns 60 anos, iremos parecer umas quarentonas! HEHE
    Gosto muito do seu blog e visito-o todos os dias. Aqui fica o link do meu, não deixe de nos visitar.

    http://blogmacaecanela.blogspot.pt/

    Muitos sucessos para o blog. Um beijinho

    ResponderEliminar
  13. Olá Bê.

    Como eu a compreendo...Sofro do mesmo mal. Já tenho 23 anos e, as pessoas quando me vêm, ficam convencidíssimas que tenho 16 anos e tratam-me como tal. Apesar de isso me causar algum incomodo, consigo tirar proveito disso e, tenho a certeza que quando tivermos os nossos 65 anos, iremos parecer umas quarentonas!
    Sou leitora assídua do seu blog, do qual gosto muito. Muitos sucessos. Deixo também o link do meu, não deixe de visitar.

    http://blogmacaecanela.blogspot.pt/

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  14. O extenso comentário anterior que não foi assinado fui eu que escrevi.

    ResponderEliminar
  15. Acontece, pois! Mas, confesso, não sou de ligar muito a essas coisas :)

    ResponderEliminar
  16. Oh sim é o hábito todos nos hospital mesmo quando falam comigo a primeira vez é tu cá tu lá eu acho que é para retirar um bocadinho da pressão do momento, pelo menos sempre encarei dessa maneira ;) mesmo com os meus 28 anos ;)

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins