15 de junho de 2013

No mundo dos sonhos

 
Maneiras que, se não são as insónias que me estragam o sono de uma noite, muitas vezes são os próprios sonhos, sempre tão intensos, muitas vezes assustadores e quase sempre de fuga. Não sei porquê. A minha mãe sempre me disse que com a idade mais facilmente nos esqueceríamos dos sonhos (mais um engano honesto de mãe) mas, se é verdade, comigo isso não acontece. E entre dois ou três sonhos mais tranquilos, por vezes alguns sem qualquer sentido, a maior parte das vezes os meus sonhos envolvem catástrofes mundiais, perseguições quase cardíacas, mortes horrendas, animais a sofrer e um sei lá de coisas que me fazem acordar muitas vezes a meio da noite angustiada, não me restando outra solução que não seja levantar-me e agarrar-me ao livro que estou a ler ou a alguma série esquecida na box.
Sendo eu psicóloga, tenho em casa um livro daqueles de interpretações de sonhos de Freud e Jung, mas aquilo leva-nos, muitas vezes (quase sempre) a questões relacionadas com sexo, fobias ou sexo. Ou fobias e sexo. E sendo eu uma pessoa de fobias perfeitamente identificadas (fobia a baratas e claustrofobia) e com uma vida intima muito bem resolvida, a verdade é que os malvados sonhos me trouxeram uma nova fobia - medo de andar de avião. Pois é, eu que sempre gostei, que me sentia sempre tranquila entre as nuvens, depois de sonhar exasutivamente que estava num avião em queda, com o P. (sempre com o P., a viver aqueles momentos terríveis de pânico de quem sabe que vai morrer e nada pode fazer para o mudar), ganhei-lhes medo. Toma lá. Não tinha e agora pimbas, tenho medo de andar de avião. Ando na mesma, mas com stress, prestes a tornar-me daquelas pessoas que bebem wisky com calmante, para não darem pela viagem e que atravessam aeroportos num estado quase comatoso de semi-sonabulismo. Já estive mais longe disso. E sonho todas as noites. E lembro-me todas as manhãs. E gostava de saber se há algum truque, que não envolva fármacos, para dormir na mais pura das tranquilidades...que sendo eu uma pessoa tão tranquilamente calma quando acordada, quero sê-lo também enquanto durmo.

3 comentários:

  1. Insónias e sonos trocados são o meu nome do meio.
    Relativamente a sonhos, sou como tu: SONHO IMENSO e lembro-me sempre de 3/4 sonhos dessa noite.
    Beijinho***

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente há traumas que são difíceis de ultrapassar... esse sonho maldito estragou-te os planos.

    ResponderEliminar
  3. Há muitos truques fáceis e bem bons :) ler todas as noites um pouco, já na cama, durante pelo menos meia hora seguida e sem voltar a mexer em tecnologia até dormir (telemóveis, tablets, computador, tv) e a mente acalma por completo nesse última hora antes de dormir. Um chá de camomila ou de cidreira antes desse processo também ajuda muito. E o principal: não pensar nisso no momento de apagar a luz! :) boa sorte nesse processo, está tudo no nosso psicológico...

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins