7 de fevereiro de 2014

Um dia...



Um dia tinha que ser o último dia e esse dia é hoje. Já há muito tempo que luto comigo mesma para não deixar esta pequena/grande parte de mim, que alimento há cinco anos e meio. Mas a verdade é que o amor que lhe tenho não é o mesmo que me manteve aqui durante uma grande parte deste tempo.
Em cinco anos e meio muita coisa aconteceu na minha vida e muitas pessoas acompanharam esses acontecimentos, na sua maioria, sempre com palavras de carinho, sempre acolhedoras e foram elas a grande razão que me foi prendendo aqui. Não minto. Não sendo um blog famoso, confesso que se não tivesse leitores, há muito teria desistido, porque o ter alguém do outro lado a acompanhar-nos alimenta-nos as ideias e às tantas já mão estamos a escrever só para nós, mas para todos os que gostam (ou não) de nos ler. Mas escrevia eu que acompanharam tantas mudanças na minha vida: no início o casamento, a entrada nos trinta, a lua de mel, a minha relação com o amor da minha vida, a minha relação com o meu problema de saúde, todas as minhas cirurgias, as mudanças de trabalho, o desemprego, o início de um negócio meu, o dia em que perdi o meu cão, o meu amor pelos animais, os que salvei e os que tentei salvar, a minha luta com a infertilidade, a minha forma de ver a vida, de viver o amor, de sentir a amizade, o meu amor pela leitura...e tantas tantas outras coisas. Os assuntos não se esgotaram, apenas se esgotou a minha vontade de os escrever como Bê, porque o anonimato se perdeu há anos atrás e tudo teve que ser mais contido.
Fica sempre um pedaço grande de mim aqui. E ficam sempre no meu coração (e alguns no facebook ou instagram) muitos de vós que por aqui passaram, que isto dos blogues também me trouxe pessoas muito especiais à minha vida.
 
E agora vou continuar a ser feliz, sejam vocês mesmos, também, muito felizes. E sorriam muito.
 
Até sempre,
 
 
Bárbara