9 de julho de 2014

Foram-se 7 Kg, quase 8!

Nunca gostei de rebuçados, gomas, bolos folhados ou cheios de chantilly. Não gosto de batatas fritas como acompanhamento, de comida frita no geral (nem tenho fritadeira em casa), nem de refrigerantes ou supostos chás gelados à partida saudáveis, mas carregados de açúcar e outras coisas. Não sou a maior apreciadora de gelados, talvez, na loucura, coma uns três por Verão e só se for magnum caramelo ou corneto de morango. Como, talvez, um prato de comida pesada por ano, para não fugir ao hábito familiar dos almoços de Inverno, ao calor da lareira. Não como carne. Não bebo leite de vaca (salvos raras exepcções, não sou purista de nada), que substituo por leite de arroz sempre que o preço o permite. Não como manteiga e só como peixe uma a duas vezes por semana, às vezes menos. Não passo fome. Nunca. Adoro água. É a minha bebida favorita de sempre e anda sempre comigo em garrafas ou garrafinhas. Não sou capaz de nada se não tiver água comigo. Sempre adorei sopas cremosas de legumes, que faço maravilhosamente bem. Sou fã de saladas e tenho no agrião o meu legume favorito. Sou capaz de o comer a todas as refeições. Logo a seguir vem o alho francês e depois os bróculos. Sou preguiçosa com a fruta, por isso tenho sempre fruta fácil de comer em casa, como bananas ou Kiwis e maracujás, que corto ao meio e como à colherada. No Verão, as uvas, as cerejas e as meloas fazem as minhas delícias. Faço todos os dias refeições vegetarianas acompanhadas de arroz ou massa integral ou de quinoa biológica. Como pão regularmente, sempre com queijo magro, mas não todos os dias, porque nem sempre me apetece. Como chocolate negro regularmente, porque adoro. E um ou dois quadrados enchem-me as ânsias por doce que por vezes tenho. Bebo vinho aos fins de semana e não me privo das refeições um pouco mais calóricas que o P. tão deliciosamente faz.
Perdi 7 kg, a caminhar para os 8, de Setembro para cá. Calhando, ainda se vão mais umas gramas, que eu cá gosto de números redondinhos. E estes 7, quase 8 kg não se foram com dietas malucas. Com regras douradas ou proibições. Com livros e sites de dietas da moda. Não. Estes 7, quase 8 kg, foram-se pegando naquilo que eu, Bê, mais gosto e que, sendo saudável, tenho sempre em casa. E eliminando aquilo que, não sendo saudável, mais valia não ter nunca em casa, porque senão era certo que comia, como manteiga, bolachas, chocolates que não o negro, qualquer tipo de comida processada, entre muitas outras coisas. Não sofro e não faço restrições extremistas: se o jantar de família for um belo arroz de polvo, com arroz que não o integral e acompanhado de vinho branco ou verde, claro que como. Como bolo de chocolate quando vou a casa da minha mãe porque é só o melhor do mundo. E como tostas com paté de salmão que o meu pai compra para mim, porque sabe que não como os de carne, sempre que vou a casa dele. Porque com sofrimento não vale a pena. Estar a comer um aipo e a pensar na sobremesa calórica que está no frigorífico a solidifcar é dos piores inimigos de qualquer dieta ou cuidado alimentar. Porque o corpo agradece, mas a cabeça não. E para mim as coisas só fazem sentido se forem como um todo: corpo, cabeça e mente saudável e feliz.
Assim, sem dietas loucas, restrições nazis ou qualquer tipo de sofrimento ou de fomes, cá estou com menos 7 Kg, quase menos 8 que em Setembro de 2013. Não é muito, mas era o que eu precisava de perder, depois de operações e tratamentos e uma fase menos cuidada da minha vida, por conta de operações e tratamentos e tratamentos e operações. Sinto-me óptima. E feliz. Aos quase 36 anos de idade, há algum tempo que não gostava tanto do meu corpo como agora. E quanto mais quilos fui perdendo, maior foi o compromisso interior de eliminar tudo o que não me faz nem bem nem falta.  Torna-se, acima de tudo, uma forma de vida. Mais saudável, mais elegante, mais feliz.

20 comentários:

  1. Como eu adorava ser assim! Adoro bolos, gelados... por isso tambem já pesei 98Kg!
    Hoje peso 64kg mas não consigo resistir aos gelados.... compro um embalagem de 1Kg e como durante a semana... não resisto, podia não comprar mas não era a mesma coisa.... Normalmente compro o gelado para o filhote mas quem come sou eu!!!!
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho sorte em gostar de coisas saudáveis. De qualquer forma - de 98 kg para 64 mereces um verdadeiro e sentido UAU!! Mereces um geladinho!

      Eliminar
  2. Perder peso assim, de forma saudável é muito bom! Go go Bêzinha! ;)

    Bjinho

    ResponderEliminar
  3. Parabéns, é uma grande conquista. Infelizmente eu adoro muita coisa que engorda, sobretudo gelados :P

    Bjokas*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há receitas de gelados caseiros saudáveis! Nada como tentar!

      Eliminar
  4. Parabens!!!
    Compreendo-te perfeitamente. Em agosto de 2013 comecei uma dieta por aconselhamento medico, mas passado uns 4/5 meses deixou de ser dieta e passou a ser estilo de vida. O meu crime continua a ser os gelados, magnum caramelo!! era capaz de comer um todos dias :S

    ∞ Desabafos e Coisas ∞

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo magnum de caramelo sou capaz de verdadeiras loucuras! Adoro mesmo, mas a sério, nada como não ter em casa, para não me tentar. Não é por engordar, é mesmo por não ser saudável.

      Eliminar
  5. Fugindo ao tema (desculpa),

    tenho 2 gatos a viverem comigo (desde pequeninos) e agora acolhi uma gatinha de 8 meses em FAT. Não consigo que eles se entendam uns com os outros!! Ficam todos assanhados e tenho optado por os separar durante o dia, enquanto estou no trabalho, e à noite, quando estamos a dormir. Nos meios tempos (quando chego a casa à tarde e de manhã antes de sair, tenho tentado que sejam todos amiguinhos mas está muito difícil.

    Como dona e amante de gatos (sei que tens 3), aplicas-te algum truque para que os 3 tenham ficado "best friends for ever"?

    Desde já agradeço toda e qualquer ajuda que me possas dar neste sentido.

    **Beijinhos**

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Myosotis, no meu caso a história foi semelhante. Tinha o Tobias e a Blue, já adultos, quando a Gata, com meia dúzia de meses e abandonada numa jaula de um vet veio viver connosco. Durante uma semana mal a vi, tal o medo dela e a forma como não foi nada bem recebida pelos outros. Aos poucos foi ganhando confiança, mas ainda hoje, passados 8 anos, não se dá com a Blue - coisa de meninas...Os gatos são muito territoriais por isso têm dificuldade em aceitar novos elementos. Há quanto tempo a tens? Os outros gatinhos estão esterilizados? No meu caso só com o tempo, muita paciência e convivência é que as coisas se normalizaram...

      Eliminar
    2. Tenho-a comigo desde o fim-de-semana. Eu sei que ainda é cedo, mas aflige-me vê-la sempre escondida e cheia de medo... ela nem come, nem vai à casa de banho! Os meus estão esterilizados e ela, como vem de uma associação de defesa de animais, também está.

      Acho que só mesmo dando tempo ao tempo como tu dizes. O Siroco então deu de ir para o pé dela uivar, pobrezinha. Juro que nunca tinha ouvido um gato a uivar!!!

      Obrigada pelo testemunho e uma grande festinha para os teus 3 felinos :)

      Beijinhos

      Eliminar
    3. Estás a fazer as coisas da mlehor forma. Agora são eles a terem que se resolver. Percebo a angústia (também tinha medo que fizessem mal à Gata que era tão magra como uma folha de papel quando veio viver connosco), mas acredito que com o tempo, mesmo que não venham a ser os melhores amigos, acabam por se habituar. Beijinhos!

      Eliminar
  6. As tuas palavras transmitem um grande sentimento de conquista e bem-estar pela pessoa que és hoje! E isto é o mais importantes, que te sintas bem na tua pele e que gostes de cuidar de ti :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo isso, conquista e bem-estar. É encontrar o caminho certo para nós :)

      Eliminar
  7. Cucu*
    gostei imenso da calma como transmitiste as mudanças alimentares! Sente-se que não vives na angústia da dieta :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem angústia alguma. Sem stacrifícios. Só assim me faz sentido, porque de outra forma, a cabeça não iria estar bem :)

      Eliminar
  8. Isto é um incentivo óptimo para mim que tenho 130kg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que sim! O primeiro passo é querer, o segundo é encontrar a nossa forma de o fazer, à nossa medida.

      Eliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins