1 de julho de 2014

Oh, decisions, decisions...

Aquele momento em que terminamos um livro e trememos de alegria expectante, perante a possibilidade de escolher o próximo.  Nestes momentos sou como uma criança a quem acenam com um gigante chupa-chupa colorido. Embora leia bastante (entre dois a três livros por mês, dependendo do tamanho, chego aos quatro) tenho sempre mais do que o que consigo comprar - sou viciada em comprar livros (ando aqui a roer-me toda para não me adiantar na compra do último do MEC, já que tenho estes todos e mais uns quantos para ler).  
 
Depois de ler um do Ken Follet, levezinho, que se lê bem, mas que não pertence, de longe, ao seu top 5, o escolhido foi o último do Valter Hugo Mãe, que me ficou no coração depois do seu fabuloso "O filho de mil homens".
 
Ainda só li cerca de 30 páginas e já estou agarrada. Sei que o vou terminar num instante. E volta esta sensação de ter tanto por onde escolher! E de querer comprar outros tantos, para sentir esta coisa confortável de ter leitura para um bom par de anos.
 
 

2 comentários:

  1. Olá Bê,
    Eu tambem sou viciada em livros.:)
    Infelizmente, com o meu marido desempregado e eu funcionária publica, o dinheiro é pouco para investir em livros, no entanto tenho muito livros em casa ainda por ler. Sou frequentadora assídua da bibiloteca municipal e tenho muitos amigos que me emprestam livros. Não sei quantos livros leio por semana/mes mas na minha mala trago sempre um livro, se assim não for sinto-me despida! Manias
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como te compreendo. Por aqui em casa o orçamento também está muito mais curto. Por sorte tenho um pai que me oferece livros frequentemente (e que conhece os meus gostos) e o P. tem uma biblioteca no trabalho de onde vai começar a trazer-me livros. Pelo menos temos alternativas!
      PS: também ando sempre com um livro comigo. Sempre!

      Eliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins