2 de agosto de 2014

Outra verdade universal (para mulheres)

Passamos naquela loja de que gostamos muito, mas só para ver as novidades, porque não vamos com intenções (nem carteira) de comprar nada. Mas de repente há uma peça nova que chama por nós, que nos pisca o olho, que nos seduz logo assim, sem dó nem piedade. Pegamos-lhe, tocamos, pomos à nossa frente enquanto melancolicamente nos olhamos ao espelho, pensando que é só o velho hábito de o fazer e temos a certeza de que nos vai ficar mesmo mesmo a matar. Mas como íamos decididas a não gastar dinheiro, resolvemos ser fiéis ao que estipulámos e vamos embora de mãos a abanar. Mas a peça fica-nos na cabeça. E até nos lembramos de uma ocasião especial cuja data está para breve, na qual a peça ia mesmo ser perfeita, o que justifica perfeitamente a sua compra. Vamos lá no dia seguinte. Corremos no meio da multidão para a resgatar da loja, para que venha viver feliz connosco, para sempre. Damos três voltas à loja. Tornamos a dar, que as meninas às vezes gostam de trocar as coisas de sítio - estratégias de marketing dizem uns, pura tortura psicológica, diz a minha veia vaidosa. E nada. Esfumou-se. Foi-se e nem estava em saldos ou em promoção. Por isso, em boa hora vos digo, não deixem para comprar amanhã o que podem comprar hoje. Agora fica-se-me a dúvida de não saber o que vou vestir naquela tão próxima ocasião especial.

4 comentários:

  1. Acontece-me tanto. Bom conselho esse do não deixar para comprar amanhã o que se pode comprar hoje! :-)

    Maria

    ResponderEliminar
  2. Ui... São tantas as vezes em que isso me acontece... :p

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins