9 de dezembro de 2014

Por aqui festeja-se

Aquele momento em que, um ano depois de deixarmos a medicação de parte porque sabemos que não só não é 100% certa de nos impedir de ter uma recaída como não gostamos dos efeitos secundários, em que vamos fazer os exames de check up meio seguras, meio receosas, em que a médica demora imenso (muito mais do que o habitual) e passeia-se por tudo o que é orgão pélvico e em que ouvimos no final: está tudo óptimo - Não tem preço. Depois de três cirurgias ano sim, ano não, saber que está tudo bem, não obstante tanta coisa que podia ter corrido mal, dá-me a força para acreditar que sou mais forte do que qualquer problema de saúde.

6 comentários:

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins