5 de maio de 2016

Sobre o rapaz e o cão

Não vi o vídeo. Não sou capaz de ver vídeos, imagens, o que for, de maus-tratos. Seja a pessoas, animais ou à natureza, nada a fazer com esta alma frágil que se atormenta com as injustiças. Li muito sobre o tema e a única coisa que me ocorre é: tirem-lhe o pobre cão, que merece melhor, muito melhor, e ofereçam ajuda ao rapaz. Não é preciso ser-se psicólogo ou psiquiatra para perceber que há ali indícios de uma violência assustadora e que, com o tempo e sem acompanhamento, pode piorar. Os maus tratos a animais são um indício de uma violência interior tremenda, muito provavelmente consequência de uma vida que não nos passará sequer pela cabeça. 
Eu, que sou defensora dos animais até à medula, fico sempre chocada com a facilidade com as pessoas se manifestam violentamente contra humanos, nestas situações, desejando-lhes a morte, fazendo ameaças horríveis e esquecendo-se o que isso mostra de si mesmas. Não estou a defender o rapaz, atenção, nunca o faria, apenas a dizer que é alguém que precisa desesperadamente de ajuda, para que as próximas notícias não sejam bem piores e consciente de que violência não é a ajuda acertada. 

2 comentários:

  1. Também me faz confusão a facilidade com que as pessoas desejam a morte a outros seres humanos. O rapaz é desprezível, disso não há dúvida (também matou um pombo ao pontapé, o que para mim é ainda mais grave do que aquilo que fez ao cão, já que o pombo morreu... a nossa sociedade só se sensibiliza com o sofrimento de cães e gatos), mas fico sempre a duvidar do caráter das pessoas que oferecem porrada em vez de apelarem à justiça e à educação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão verdade o que dizes: a sociedade, na sua maioria, só se move por cães e gatos, infelizmente...

      Eliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins