5 de dezembro de 2016

14

Sou uma pessoa de celebrações, de datas especiais, de reviver momentos importantes na minha vida, daqueles que nos mudam, que nos ajudam a seguir novos caminhos, a esquecer o que para trás ficou. Por vezes são momentos tão aparentemente simples, como profundamente importantes, são aquele pequeno clique no passado que nos permitiu chegar ao presente. Olho para trás e vejo como tudo poderia ter sido tão diferente e celebro o facto de cada momento da minha vida ter decorrido exactamente como decorreu para ter chegado ao aqui e ao agora. Hoje celebro os 14 anos do primeiro encontro que tive com o P. Aquele mágico encontro, do qual recordo cada detalhe, cada palavra, cada sorriso, sem sabermos ainda que estávamos prestes a arrancar numa dança que é perfeita a dois. São 14 anos que passaram a correr, de meninos a crescidos e tem sido tanto o que temos aprendido e tanto o que temos partilhado...
Não deixem que vos façam acreditar que a paixão acaba e apenas fica o amor, não deixem que vos digam como e o que devem sentir. As borboletas na minha barriga continuam a saltitar, como quando era aquela menina de 24 anos e o meu coração pulava de alegria quando me cruzava com ele nos corredores do trabalho ou quando ele sorria para mim sem que ninguém se apercebesse da cumplicidade que aquele sorriso me transmitia. E tudo é tão melhor agora que nos conhecemos no silêncio, que nos compreendemos sem termos sequer que falar, que não permitimos que as diferenças nos afastem. Os anos passam, mas eu nem dou por eles, certa de que nos conhecemos há mil anos e que mil anos temos pela frente.