31 de março de 2017

Amor felino

Há catorze anos atrás arranquei para uma nova fase da minha vida. Na mala levava um sofá velho, uma mobília de quarto antiga, muitos livros e a minha gata Blue, então com um ano. Ia cheia de vontade de avançar para a aventura de morar sozinha (mas bem acompanhada), de finalmente tornar-me independente, de dar o passo seguinte e natural na vida de uma miúda de 24 anos. Tinha um bom emprego, tinha carro, tinha muitos sonhos na cabeça e tinha o P., na altura a viver na Alemanha. Pouco depois, o P. juntou-se a nós, o Tobias surgiu na nossa vida e, dois anos depois Dona Gata esperava por nós, enfiada numa jaula do veterinário, depois de ter sido encontrada sabe-se lá em que condições. Foi aí que começou a fase mais bonita da minha vida e que ainda dura, contornando todas as teorias fatalistas das crises dos sete anos e afins. Agora somos dois humanos e quatro gatos, já que o Mel veio completar esta família com o seu jeito doce  e companheiro. Somos uma família atípica, mas somos uma família feliz.
Hoje a minha Blue faz 15 anos. No corpo já idoso de gata carrega algumas mazelas, a mais grave uma insuficiência renal felizmente detectada a tempo de a tratarmos com todos os cuidados, comida especial e medicação que merece. É resmungona, gulosa, brincalhona (já foi bem mais) e tem, aos olhos de todos, o terrível defeito de só ter olhos para mim nesta vida, o que eu acho, aqui para nós, uma verdadeira delícia. É a minha companheira, sei que me entende, sei que sabe quando estou chateada ou triste, sabe quando estou disponível para lhe dar todo o mimo do mundo. Adora enroscar-se em mim no sofá e, de preferência, expulsar qualquer um dos nossos outros gatos das redondezas. Já não lhe encontro a força de antes, sinto-a por vezes mais distante, mas continua sempre atenta a mim. Sei também que não se seguem mais quinze anos e isso dói-me com a certeza de que ela se encaminha para a última etapa da sua vida. E tudo o que eu quero é que ela a viva com serenidade e a sentir o amor que nutro por ela. Porque ela é a minha Gata, como eu sou a sua humana.
Aqui à espera que eu acabe de trabalhar, para lhe dar a atenção que quer :-)

2 comentários:

  1. Parabéns à Blue! Que o tempo da sua vida continue a ser com esse amor e companheirismo. Por aqui a família é igualmente atípica: dois humanos, quatro gatos. E somos felizes e unidos.

    ResponderEliminar
  2. Muitos parabéns para a Blue!
    E pronto, é neste post que me desmancho a chorar e que faltava aqui a Irina para me dar um abraço :) há gatos que vivem muitos mais anos e a Blue ainda tem muitos pela frente ♥
    O que fizeste à 14 anos eu fiz à dois, com a mobília de quarto, os livros, e a M. A única diferença é que a M. já tinha cerca de 8 anos ♥ e vocês são umas sortudas por se terem uma à outra há muitos anos :)

    beijinho
    Adriana

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins