24 de março de 2017

Este mundo em que vivemos...


Destas duas imagens, a de baixo tem estado a correr mundo, referindo a muitas vozes que a mulher que segue com o telemóvel na mão é indiferente ao terror que se está a passar. Como se não quisesse saber. Eu vejo uma mão a tapar a visão periférica de alguém que muito possivelmente teria que passar ali, mas a quem custava sequer ver o que estava a acontecer. Não a condeno. Tenho um estômago para lá de potente, sei que se estivesse ali ajudaria quem pudesse como pudesse, mas venho de uma família de pessoas mariquinhas sensíveis capazes de desmaiar ao primeiro pingo de sangue (true story). Ontem, a imagem de baixo proliferava já pelo facebook fora, incitando palavras e sentimentos de ódio. Hoje surgiu, no mesmo contexto, a imagem de cima. Felizmente. Se for um caucasiano já ninguém diz nada, mas pelo menos mostra reacções comuns, independentemente da etnia, religião ou género. Da minha parte, como mulher ocidental, lamento por todos os inocentes que sofrem palavras e actos de ódio por esse mundo fora...

4 comentários:

  1. A foto de cima nada tem a ver com terrorismo, lugares diferentes, pessoas diferentes, aparentemente apenas um homem que sofreu um mau subito, ataque ao coracao ou coisa que o valha, a de baixo tem a ver com terrorismo, acho que isto conta bastante. Odio mesmo esta em tirar vidas em nome da religiao (teocracia)/Deus deles, assim como o livro sanguinario deles manda, esta em homossexuais serem punidos com morte ou na melhor das hipoteses cadeias em paises muculmanos, esta em casar com criancas ser normal em muitos paises muculmanos, pedofilia? Ah, ta na boa. Esta em serem ajudados na Europa e criarem a maior onda de estupros e crimes dos ultimos tempos na Alemanha e Suecia, esta em criar no go zones e viver debaixo da imunda, perniciosa e doente sharia law. Quer viver debaixo de sharia law? Volte pro seu pais e viva la. Felizmente nem todos sao assim, apesar de uma grande pesquisa ter provado que a maioria dos muculmanos quer a perniciosa e doente sharia law pra ser implantada, e outra ter provado que a maioria dos muculmanos em Londres nao alertariam as autoridades se soubesse de antemao de um ataque terrorista, coisa respondida por eles durante a pesquisa, mas os que sao assim, nao tem outra, mandem-os de volta pro buraco de onde sairam. Mas na atual situacao, com a atual agenda isso dificilmente acontecera, Europa is down. Hoje foram essas pessoas, amanha pode ser tu ou um filho teu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se reparou que as fotos são na ponte de Londres onde se deu o ataque. Exactamente a mesma situação, com etnias diferentes e as pessoas começaram a julgar o que me parece ser uma mulher a tentar não ver o que se passa. De resto, sim pode ser comigo ou com alguém que amo, até porque já estive naquela ponte e ainda assim, não vou confundir extremistas (neste caso nascido e criado em Inglaterra) com religião.

      Eliminar
  2. Esta perseguição a quem não é caucasiano tornou-se nojenta.

    ResponderEliminar
  3. É tão fácil generalizar e arranjar desculpas básicas para se ser xenófobo! Enfim...

    ResponderEliminar

Aceitam-se elogios, críticas, gargalhadas, lágrimas, sorrisos e afins