19 de novembro de 2017

Insta*momentos

 Por aqui a semana faz-se sempre com companhia felinas  - a minha velhota a chamar por mim
Podia impedi-los de irem para os móveis? Podia, mas depois quem aproveitava o sol? :-)


Tobias e Mel -  Estes dois, doze anos os separam, mas a sua amizade comove-me até aos ossos

 Sim, foi exactamente neste menino que andámos a passear. Se tive medo? Na verdade não, estava tão deslumbrada com a beleza da paisagem que nem pensei em mais nada :-)

 A vista lá de cima, num dia para lá de perfeito para estas aventuras
 :-)

Visto do ar! :D

 Já no áerodromo, a ver outros a descolar
 Baby sis e eu na palhaçada, como habitualmente

O meu pequeno almoço favorito 

E agora siga para um domingo regado a amizades e boa comida, que ainda há muito para aproveitar. Para todos, um dia cheio de sorrisos.

17 de novembro de 2017

E o que vais fazer este fim de semana Maria Bê?

Enfrentar um dos meus medos - que os tenho, mas aos quais não cedo!

 
Sim, tenho medo de andar de avião, mas ando (nove horas para o México e outras tantas para cá assim o provam). Mas mais medo ainda tenho de andar numa caixa de fósforos com asas e deixar os nosso gatos orfãos, mas o convite foi-nos feito há imenso tempo e eu não sou pessoa para recusar a possibilidade de ver a nossa bela costa com detalhe e com tempo, do ar. Rezo para que esteja bom tempo, zero vento e pela destreza do piloto. E pelo momento em que colocarei os pés no solo novamente!



16 de novembro de 2017

New in

Ora como tinha dito no post anterior, ainda nem tinha levantado o rabo para ir para o México, já o P. me acenava com uns bilhetes de avião para a próxima viagem. E quem sou eu para dizer que não? Sendo uma viagem pela Europa (vamos de avião para a Alemanha e depois vamos passear de carro por vários países) dei comigo a olhar o guarda-fatos enquanto despachava para os confins do mesmo as roupas de Verão (finalmente!) e a pensar que o facto de ser uma pessoa profundamente encalorada (e que acha que em Portugal nunca está frio suficiente) leva a que não tenha roupa para o frio, nomeadamente camisolas verdadeiramente quentes. Como sou assumidamente uma Mango adict (de há anos, com uma ou outra fase de desamor pelo meio) lá fui eu preparadinha para gastar dinheiro em roupas quentes, mas não demasiado porque quero usar depois neste nosso cantinho quentinho. Vieram estas três para casa, para se juntarem a duas mais velhinhas mas que ainda estão perfeitas para andarem a passear por Paris, Colónia ou por Bruxelas, cheias de estilo:



Ah, tem as mangas mais curtas, oh tem as costas destapadas! É certo. Também é certo que para comprar tem que ser algo que marque e não uma camisola como as outras, fazer o quê? E depois eu não consigo usar golas altas nem nada demasiado quente e justo e gostei mesmo mas mesmo destas três. De resto, calças de ganga compradas também, já que voltei a vestir um 34 (depois de anos ali no 38, quase a bater no 40), casacos quentinhos tenho com fartura, falta apenas calçado adequado, perante a possibilidade de apanharmos neve, gelo e muito muito frio, mas neste departamento ainda não vi nada de que gostasse realmente. Se alguém tiver dicas de botas giras, confortáveis e boas para intempéries (não de neve, que não quero nada que depois só uso uma vez por ano) estejam à vontade para avisar! :-) 



15 de novembro de 2017

Voltei voltei!

E sou uma desgraça tão grande no que diz respeito a este blog, que já fui ao México, já voltei (há três semanas, diga-se de passagem), já estou a programar a próxima viagem e nem contei nada por aqui. Tenho literalmente comentários que não viram a luz do dia senão hoje (desculpem, mas é uma vida muito atribulada!). 

Ora então o México foi maravilhoso e recomenda-se. Boa comida,boa bebida, boa gente, passeios para lá de espectaculares, uma ida ao maior parque aquático e ecológico natural do mundo e uma pele verdadeiramente encarquilhada de ter passado um dia dentro de água a fazer o belo do snorkling, fora os outros seis dias a marinar entre a piscina e a praia e a rebolar até aos variadíssimos restaurantes do resort onde me empanturrei até mais não. O meu cabelo também passou umas férias giras naquele que é o país mais húmido onde alguma vez estive e ganhou um frizz que começava na raiz e acabava nas pontas, de tal forma que não houve prancha, creme de pentear ou óleo de argão que fizesse milagres. Acabei por desistir e andar com ele preso por sete dias, pobre coitado. Namorámos muito, passeámos muito e vim a rebolar com três kg a mais, que entretanto já foram à vida. Fica aqui apenas um cheirinho (tenho umas 500 fotos ou mais, nomeadamente do resort e dos maravilhosos bichos que por lá havia, mas ainda não passei para o pc):
















Agora planeamos uma viagem pela Europa com um casal amigo: Alemanha, Bélgica, França e Espanha, olé! Tem sido um ano duro em termos pessoais, mas com muitas viagens e a certeza que é de momentos felizes que se faz a vida e que estes momentos felizes nos dão força para o restante. Para todos, muitos sorrisos!